GRITO DE HORROR
Direção: Joe Dante
Elenco: Dee Wallace-Stone , Patrick Macnee, Christopher Stone, Kevin McCarthy, Belinda Balaski, John Carradine, Slim Pickens

Distribuidora: Cinemagia

Região: 0

Ano: 2004

Nº de discos: 1
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

o filme
Joe Dante, como seus colegas Jonathan Demme e James Cameron, formou-se na "escola" do diretor/produtor Roger Corman, onde era possível fazer filmes bons e baratos graças, principalmente, ao talento do realizador e de sua equipe. O inesperado sucesso de Piranha (também já lançado pela Cinemagia), produção "B" de 1978 que veio no rastro do sucesso de Tubarão, de Steven Spielberg, deu o sinal verde a Dante para, dois anos depois, realizar um filme mais ambicioso: Grito de Horror (The Howling). Esta pequena obra-prima acabou tornando-se um cult do horror, que levou o diretor a trabalhar para várias produções de Spielberg, como os dois Gremlins, No Limite da Realidade, Viagem Insólita e a série de TV Amazing Stories. Com roteiro de John Sayles (o mesmo de Piranha), baseado em um livro de Gary Brandner, o filme narra a história de uma repórter de TV (Dee Wallace-Stone), que após um encontro traumático com um serial killer (Robert Picardo), viaja com o marido (Christopher Stone) para um retiro na costa da Califórnia - conhecido como "A Colônia" - de propriedade de um psicólogo (Patrick Macnee), que é uma espécie de "guru da auto-ajuda". Lá chegando, conhecem outros pacientes que se recuperam de traumas recentes, como uma bela ninfomaníaca (Elisabeth Brooks) e um velho com tendências suicidas (o lendário John Carradine). Não demora muito para a repórter descobrir uma terrível conexão entre sua experiência traumática com o assassino em série e a Colônia, que na realidade é um ninho de lobisomens.

Nesta trama, Dante distribui doses certas de humor, sexo, violência, suspense e horror, dando um clima todo especial à produção. A seqüência passada na sala de projeção de uma loja pornô, onde muito é sugerido e pouco é mostrado, é antológica. E depois, quando finalmente os monstros aparecem, destacam-se os ótimos efeitos de maquiagem (para a época) de Rob Bottin, que um ano antes de Um Lobisomen Americano em Londres colocou nas telas esta fantástica transformação de homem em lobo - pela primeira vez o processo não foi feito por meio de imagens sobrepostas. Como de praxe nos filmes de Dante, piadas e referências a filmes de terror, ficção científica e desenhos animados (dos quais o diretor do recente Looney Tunes: De Volta à Ação é fã assumido) abundam: há as aparições de Roger Corman (o homem que entra na cabine telefônica), Forrest J. Ackerman (o editor da pioneira revista norte-americana "Famous Monsters", que aparece na livraria), Kenneth Tobey (astro de vários clássicos da FC dos anos 50), Kevin McCarthy (protagonista do clássico Vampiros de Almas, de Don Siegel), trechos de um antigo desenho do Lobo Mau que são exibidos simultâneamente com a primeira visão completa que temos do lobisomem, etc. Para completar, o filme é enriquecido por uma ótima trilha sonora do italiano Pino Donaggio. Hoje, quando os sucessos do gênero são pré-fabricados e pasteurizados (à la Olhos Famintos), é uma delícia assistirmos a este legítimo cult movie dos anos 80, onde a limitação dos recursos foi mais do que compensada pela inteligência e a criatividade. Atenção: não confunda este Grito de Horror com as péssimas continuações que foram realizadas até o início dos anos 90 por outros diretores, sendo as últimas, inclusive, produzidas diretamente para home-video.

O DVD
Acredito ser impossível comentar os aspectos técnicos deste DVD sem deixar de referir a ótima Edição Especial de The Howling lançada na Região 1 pela MGM. Nela, o filme é apresentado em dois formatos - fullscreen e widescreen anamórfico (à escolha do espectador), com áudio em inglês remasterizado para 5.1 canais. Esta versão da Cinemagia contém apenas a versão wide 1.85:1 (pelo menos escolheram a melhor opção, preservando o formato de tela original), e a qualidade da imagem, considerando-se que a cópia aparentemente não passou por um processo especial de restauração, é boa. Em algumas cenas podemos notar certa falta de nitidez, esmaecimento de cores e defeitos da película, mas isto se deve unicamente à condição da matriz utilizada para a transferência para DVD, que é correta e sem artefatos de compressão notáveis. Infelizmente, o áudio disponibilizado é apenas o original em inglês mono. Ao contrário do que informa a distribuidora, que diz ser o áudio do filme Dolby 2.0, não pude perceber qualquer separação nos canais dianteiros, e durante todo o filme os canais surround e de graves simplesmente não foram acionados. Ou seja, de fato o áudio do filme é Dolby mono. Estão disponíveis legendas em espanhol e português, e nestas há erros grosseiros de grafia e concordância. O desleixo também se estende aos feios menus, que inclusive apresentam o título em português do filme de forma errada - Gritos de Horror.

OS EXTRAS
Também nos extras, esta versão da Cinemagia perde feio para a da MGM. Eles restringem-se ao trailer original de cinema, biografias e filmografias de atores e diretor e a uma curta sinopse do filme (a mesma que está na contra-capa do DVD). O melhor extra é mesmo o texto de Carlos Primati, que além do filme de Joe Dante, comenta de forma didática a trajetória do Lobisomem no cinema, dos primeiros clássicos até os dias de hoje. Já a edição norte-americana está repleta de extras: "Unleashing The Beast: Making Of The Howling", um documentário em vários capítulos; Cenas Eliminadas; Outtakes; o featurette "Making A Monster Movie: Inside The Howling Documentary"; Comentário em Áudio com Joe Dante, Dee Wallace-Stone, Christopher Stone e Robert Picardo; Galeria de Fotos; e, finalmente, Trailers de Cinema.

CONCLUSÃO
Apesar das limitações do lançamento da Cinemagia, a chegada de Grito de Horror ao Brasil, em DVD, merece ser comemorada. Mesmo em VHS este título teve uma distribuição limitada, há muitos anos, e ele raramente é exibido na TV paga. Ou seja, finalmente uma nova geração de fãs do gênero poderá conferir este clássico moderno do horror, que influenciou muitas produções posteriores e que, pela primeira vez, mostrou lobisomens que não pareciam atores disfarçados. Agora é aguardar que, futuramente, a Fox/MGM disponibilize aqui sua Edição Especial - afinal ela já fez isso, no Brasil, com filmes como Robocop e O Exterminador do Futuro, originalmente lançados por outras distribuidoras em DVDs precários.

DVDs COMENTADOS