IT – UMA OBRA-PRIMA DO MEDO
Direção: Tommy Lee Wallace
Elenco:
Harry Anderson, Dennis Christopher, Richard Masur, Annette O'Toole, Tim Reid, John Ritter, Richard Thomas, Tim Curry
Distribuidora: Warner
Duração: 186 min.
 

Região: 4

Lançamento: 17/04/2007

Nº de discos: 1
Cotações:
Filme
DVD

Comentários de
Jorge Saldanha

O FILME
Derry, no Maine, é uma pacata cidade que há 30 anos foi aterrorizada por uma criatura assassina de crianças conhecida como "A Coisa", que aparecia na maioria das vezes na forma do palhaço Pennywise (Tim Curry). Agora, o retorno do ser é pressentido por Michael Hanlon (Tim Reid), o único de um grupo de sete amigos que continuou morando em Derry. Ele liga para Richard Tozier (Harry Anderson), Eddie Kaspbrak (Dennis Christopher), Stanley Uris (Richard Masur), Beverly Marsh Rogan (Annette O'Toole), Ben Hanscom (John Ritter) e William Denbrough (Richard Thomas), pois todos os sete, quando jovens, confrontaram "A Coisa" e juraram combatê-la caso surgisse outra vez. Porém, esse juramento poderá custar as suas vidas.

Já fui um grande fã dos livros de Stephen King, mas hoje não acompanho regularmente seus lançamentos que, na minha opinião, não estão mais à altura de sua obra lançada até o final dos anos 1980. Desta, destaco livros como O Iluminado, A Hora do Vampiro e It – A Coisa, sendo este último uma leitura que, apesar de extensa (levei um susto quando vi pela primeira vez seus dois grossos volumes), é fascinante e traz alguns dos mais efetivos recursos narrativos do escritor. Temas como a ameaça sobrenatural que ronda uma pequena cidade do Maine, ou o de um grupo de amigos de infância que volta a se reunir em torno de um objetivo comum, são recorrentes nas tramas de King. Cito como exemplo mais recente o fraco Apanhador de Sonhos, que adaptado para o cinema resultou num filme ainda pior. Mas em It King estava no auge de sua forma, e a utilização desses recursos e temas foi feita de modo exemplar. O livro tornou-se um dos maiores best-sellers do autor, e Hollywood não demorou para adquirir os direitos de filmagem. Mas havia um problema: por ser muito extenso o livro teria de sofrer cortes drásticos para virar um filme, e a solução encontrada foi adaptar It não para o cinema, mas sim para a televisão, na forma de uma minissérie em quatro episódios. Com pouco mais de três horas de duração, a minissérie foi dirigida em 1990 por Tommy Lee Wallace, associado de menor talento do diretor John Carpenter. Infelizmente a produção acabou sofrendo das restrições da TV da época – elenco medíocre (onde se destaca principalmente Tim Curry como Pennywise), orçamento pequeno (os efeitos visuais na aparição final da Coisa são ruins), limitação da violência e direção burocrática. Mas se It – Uma Obra-Prima do Medo está longe de ser uma das melhores adaptações do autor (como O Iluminado e À Espera de um Milagre), também não é uma Colheita Maldita, por exemplo. A minissérie, apesar de sem dúvida não ter boa parte do impacto que havia no livro, preservou o suficiente da obra de King para provocar e manter o interesse do espectador, pelo menos até o seu final decepcionante. O resultado é recomendado principalmente para os fãs de King, e espero que, a exemplo do que aconteceu com A Hora do Vampiro (originalmente adaptada para a TV em 1979 e que ganhou uma ótima refilmagem lançada em DVD por aqui com o título A Mansão Marsten), It retorne no futuro com uma versão que esteja à altura do livro.

O DVD
Quatro anos após ser lançado em DVD nos EUA, Stephen King's It chega por aqui numa edição praticamente idêntica à da região 1. A minissérie está apresentada na forma de um filme de três horas de duração, contido num só DVD de camada simples porém gravado em suas duas faces - ou seja, lá pela metade do filme você terá que virar o disco para continuar assistindo. Preste atenção, ou você poderá começar a assistir a história partir de sua segunda metade. It foi originalmente filmado em full frame 1.33:1, mas para seu lançamento em DVD a Warner adaptou o formato de tela para widescreen anamórfico 1.85:1, ou seja, fez uma conversão na qual certamente houve cortes acima e abaixo da imagem original. Idêntico processo a distribuidora já utilizara na primeira temporada de Kung Fu, mas aqui os resultados foram melhores. As perdas não são tão aparentes, e quem tem um televisor 16x9 pensará que a produção foi originalmente filmada nesta proporção. A qualidade da imagem da transferência não é excelente, mas é plenamente satisfatória – principalmente se considerarmos o baixo orçamento desta produção para a TV. De vez em quando notamos alguns defeitos de película e granulação, mas por outro lado as cores estão vivas e sólidas, e os níveis de preto são adequados. A única opção de áudio é inglês Dolby Digital 2.0, com qualidade apenas razoável. Mais uma vez, temos que ter em mente as limitações da produção original – que, por outro lado, não seriam empecilho para que a Warner fizesse uma nova mixagem 5.1. Temos legendas em português, inglês, espanhol, japonês, coreano, tailandês e chinês.

OS EXTRAS
Por ser uma produção já um tanto antiga para a TV, não seria surpresa se o DVD de It viesse sem extras. Mas a surpresa aqui é outra – há extras, porém nenhum trailer ou featurette, apenas uma faixa de comentários de áudio (infelizmente, sem legendas em português), material suplementar valioso para uns, dispensável para outros. Nela, o diretor e co-roteirista Tommy Lee Wallace e os atores Dennis Christopher, Tim Reid, John Ritter e Richard Thomas fornecem várias informações e lembranças da produção. Thomas, que nos anos 1970 ficou célebre no papel de John Boy na série Os Waltons, pouco fala nessas três horas (aliás, há momentos em que ninguém fala nada). Ajudaria um pouco se a Warner tivesse legendado esses comentários, já que para alguém que não entenda inglês perfeita ou razoavelmente, este extra se torna inútil.

MENUS
Os menus são estáticos, mas interessantes.

DVDs COMENTADOS