JORNADA NAS ESTRELAS VI: A TERRA DESCONHECIDA (EDIÇÃO ESPECIAL)
Direção: Nicholas Meyer
Elenco:
William Shatner, Leonard Nimoy, DeForest Kelley, Christopher Plummer, David Warner,  Iman, James Doohan, Nichelle Nichols, George Takei, Walter Koenig
Distribuidora: Paramount

Região: 4

Ano: 2004

Nº de discos: 2
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

O FILME
Uma gigantesca explosão nas minas de dilítio da lua Praxis provoca a destruição da camada de ozônio do planeta natal dos klingons. Tendo seus recursos consumidos por décadas de hostilidades, os tradicionais inimigos da Federação dos Planetas Unidos estão próximos à beira da extinção. O chanceler klingon Gorkon (David Warner) resolve iniciar negociações com a Federação para finalmente celebrar a paz, em troca de ajuda para que seu povo sobreviva à catástrofe. A nave estelar Enterprise, em sua última viagem sob o comando do capitão James T. Kirk (William Shatner), é enviada para escoltar a nave de Gorkon até a Terra, onde ocorrerão os encontros diplomáticos. No entanto, após um jantar oferecido à comitiva klingon, a nave de Gorkon é atacada, aparentemente pela própria Enterprise. Em sua nave à deriva, Gorkon é mortalmente ferido por dois tripulantes da Enterprise vestindo trajes espaciais. Indo a bordo do cruzador klingon na esperança de salvar Gorkon, Kirk e o Dr. McCoy (DeForest Kelley) chegam tarde demais, são presos pelo General Chang (Christopher Plummer) e responsabilizados pelo assassinato do chanceler. Levados a julgamento em Kronos, o mundo klingon, ambos são condenados a passar o resto de suas vidas em Rura Penthe, um gelado planeta-prisão. A bordo da Enterprise, o Sr. Spock (Leonard Nimoy) decide resgatar Kirk e McCoy, a tempo de evitar que os verdadeiros responsáveis pela morte de Gorkon sabotem a conferência de paz que está prestes a se realizar.

Com uma trama que envolve política, intriga e mistério, Jornada nas Estrelas VI: A Terra Desconhecida é tido como um dos três melhores filmes da franquia, ao lado de A Ira de Khan e A Volta para Casa (o segundo e o quarto filmes, respectivamente). Não por acaso, todos estes filmes contaram com a colaboração do diretor Nicholas Meyer (em A Volta para Casa ele se limitou a ser co-roteirista). Neste A Terra Desconhecida Meyer, além de dirigir, também ajudou a escrever o roteiro baseado em uma idéia de Leonard Nimoy que, essencialmente, transportava para o futuro e para as estrelas o fim da Guerra Fria, ocasionado pela crise que atingiu a União Soviética após a explosão da usina nuclear de Chernobyl. Alguns poderão criticar o filme por, em princípio, ser um tanto atípico para Jornada nas Estrelas. Mas o fato é que essa é uma avaliação superficial e precipitada: a inteligência de sua concepção e o toque pessoal de Meyer, que entre outras coisas fez do General Chang um vilão que recita Shakespeare - em klingonês! - proporciona alguns dos melhores momentos de toda a franquia. Jornada nas Estrelas VI foi sucesso de bilheteria e recebeu duas indicações ao Oscar, nas categorias de Efeitos Sonoros e Maquiagem. Algumas curiosidades sobre o filme: 
- Kim Cattrall, hoje mais conhecida como a Samantha de Sex and the City, interpreta a tenente vulcana Valeris; 
- Jornada nas Estrelas VI: A Terra Desconhecida é o último filme protagonizado pela tripulação original da série; 
- No início dos créditos finais aparecem as assinaturas dos principais integrantes do elenco da Série Original de Jornada nas Estrelas, como uma espécie de despedida dos atores de seus personagens; 
- O nome do planeta-prisão, Rura Penthe, é uma homenagem a 20.000 Léguas Submarinas, de Júlio Verne. Rura Penthe é o nome do campo de concentração que inspira o Capitão Nemo a se voltar contra a sociedade; 
- Gene Roddenberry, criador da série original e da Nova geração, morreu apenas 48 horas após assistir Jornada nas Estrelas VI
- O filme Frankie e Johnny foi rodado no mesmo estúdio e na mesma época em que Jornada nas Estrelas VI estava sendo rodado. A proximidade dos dois sets de filmagens fez com que o diretor de Frankie e Johnny, Garry Marshall, e os atores William Shatner e Leonard Nimoy organizassem uma brincadeira com Al Pacino, um dos protagonistas daquele filme. Ao abrir a porta do estúdio onde iria rodar uma cena, ele deu de cara com o Capitão Kirk e o Sr. Spock à sua frente. 
- Christian Slater, à época um jovem ator em ascenção, tem uma pequena participação especial como um tripulante da nave estelar Excelsior, em um pequeno diálogo com o capitão Sulu (George Takei).

O DVD
Para começar, mais uma vez os menus são animados, seguindo o padrão das outras Edições Especiais da série ao reproduzir em animação CGI cenas ou locais dos filmes: no disco 1 temos a grande sala de julgamento klingon; no disco 2, o gelado gulag Rura Penthe. No DVD anteriormente lançado de Jornada nas Estrelas VI em 1999, o filme possuía formato de tela widescreen não-anamórfico 2.35:1, o que obviamente era uma adaptação, uma vez que ele não fora rodado neste formato. Felizmente esta Edição Especial apresenta uma nova transferência do filme, agora apresentado em seu formato original widescreen 2.00:1 anamórfico. O que significa que, em televisores 16x9, o filme preencherá toda a tela sem qualquer distorção ou perda de imagem. Esta apresenta excelente contraste, com um nível de preto sólido e cores vibrantes. Ocasionalmente notamos um pouco de granulação ou alguns pontos na película, mas nada que comprometa. Na verdade, este é o filme da série que recebeu a melhor transferência para DVD. Ao contrário da Edição Especial de A Ira de Khan, na qual o diretor escolheu uma versão que acrescentava algumas cenas adicionais, esta de A Terra Desconhecida possui a mesma duração da versão exibida nos cinemas, mas ainda assim com alguns atrativos: Meyer optou por substituir algumas tomadas por outras filmadas em ângulos diferentes, e inseriu alguns closes dos rostos de alguns atores. Isto é mais notável na cena do elo mental de Spock com Valeris, onde agora vemos as faces dos conspiradores, conforme o vulcano vai sondando o cérebro da tenente. No que se refere ao áudio do DVD (unicamente em inglês), também houve melhoras em relação à versão anterior - que já era em DD 5.1, mas tinha menos "peso" e menor distribuição entre os canais. Na explosão inicial do filme a sala treme, ouvimos a onda de choque se aproximar e, finalmente, se afastar trovejando pelo canal surround direito. Na ponte da Enterprise os sons emitidos pelos equipamentos vêm de todas as direções. No ataque ao cruzador klingon, os efeitos direcionais de torpedos, phasers e explosões magnificam a cena. No julgamento, a multidão klingon grita e esbraveja à nossa volta. E tudo isso acompanhado pela trilha agressiva e sombria de Cliff Eidelman, que nunca soou melhor lá em casa! Para finalizar, há legendas disponíveis em português, espanhol e inglês, tanto no filme como nos comentários de áudio e demais extras. 


OS EXTRAS
Como não poderia deixar de ser, temos material extra em abundância, e também neste aspecto esta Edição Especial se candidata como sendo uma das melhores já lançadas, em muito graças à inteligência, ironia e bom humor de Nicholas Meyer. Vejamos:

Disco 1
Comentários
- O principal extra do disco 1 é sem dúvida os comentários em áudio de Nicholas Meyer e do Roteirista Denny Martin Flinn. Neles, Meyer demonstra novamente conhecer de sobra os fatores que fazem funcionar um filme de Jornada nas Estrelas - boas histórias e a correta utilização dos personagens. Mesmo tendo menos atrativos, os comentários (somente texto, inclusive em português) de Michel Okuda e Denise Okuda também oferecem muito para serem apreciados pelos fãs;

Disco 2
Os Riscos da Pacificação - Iniciando o extenso material adicional do disco 2, temos este documentário de 27 minutos que traça os paralelos históricos entre a trama do filme e os fatos reais do século XX. Meyer e Nimoy ocupam a tela na maior parte do tempo, mas também foram incluídos depoimentos de historiadores e outros especialistas;
Histórias de Jornada nas Estrelas VI  - Documentário de quase 1 hora de duração sobre a produção do filme, dividido em 6 featurettes que podem ser assistidos individualmente ou em conjunto. São destacados o desenvolvimento da história e seus elementos "shakespeareanos", o envolvimento do diretor, o último dia de filmagem com o elenco da Série Original, cenas de bastidores e muito mais. Há uma série de depoimentos, da época e atuais, com quase todos os envolvidos;
O Universo de Jornada nas Estrelas - São 5 featurettes sobre vários aspectos da franquia, totalizando 47 minutos. Temos uma conversa com o diretor, uma visão sobre a criação e o desenvolvimento dos klingons, com destaque para a mudança de sua caracterização e maquiagem, um "arquivo confidencial" sobre os atores convidados que interpretaram outros personagens no universo de Jornada, e uma curiosa visita aos arquivos da Paramount, onde estão guardados muitos dos objetos utilizados no filme;
Um Tributo a DeForest Kelley - Um extra que sozinho já vale o disco, este featurette de 13 minutos é uma bela homenagem ao falecido DeForest Kelley, do início de sua carreira até sua aparição final como o Dr. McCoy. Momentos inesquecíveis e divertidos são relembrados em depoimentos emocionados de amigos e colegas;
Entrevistas Originais - Entrevistas gravadas à época do lançamento do filme com todo o elenco da Série Original - William Shatner, Leonard Nimoy, DeForest Kelly, James Doohan, Nichelle Nichols, George Takei, Walter Koenig e a Srª. David Bowie, Iman - um total de 50 minutos de duração;
Galerias de ProduçãoFeaturette de 3 minutos com cenas de bastidores; 
Storyboards - Galeria de desenhos para 4 cenas do filme, incluindo uma que chegou a ser escrita mas acabou não sendo filmada;
Trailer Teaser, Trailer de Cinema e Apresentação da Convenção de 1991 por Nicholas Meyer - Sem dúvida o teaser (no qual vemos cenas da Série Original e dos filmes anteriores projetadas no casco da Enterprise) é mais interessante que o trailer de cinema. Esta seção também inclui uma curiosa apresentação gravada por Meyer para ser exibida em uma convenção de 1991, na qual ele fala sobre o filme sentado na cadeira do comandante da Ave de Rapina klingon, fumando um charuto.

CONCLUSÃO - Esta é uma edição à altura de um dos melhores títulos cinematográficos de Jornada nas Estrelas. O filme ganhou uma transferência impecável, e os 2 discos apresentam material suficiente para passarmos horas e horas na frente da TV, dando-nos muito sobre o que pensar. Considerando-se o que veio depois na franquia (no cinema e na TV), sob o comando do medíocre produtor Rick Berman, é um mistério a razão pela qual Meyer nunca mais foi contratado e entrou numa espécie de limbo, de onde saiu apenas para gravar os comentários e depoimentos destes DVDs da Paramount.

DVDs COMENTADOS