LOST – A TERCEIRA TEMPORADA COMPLETA
Direção: Vários
Elenco:
Matthew Fox, Josh Holloway, Evangeline Lilly, Emilie de Ravin, Jorge Garcia, Daniel Dae Kim, Yunjin Kim, Dominic Monaghan, Terry O'Quinn, Naveen Andrews, Henry Ian Cusick, Michael Emerson
Distribuidora: Buena Vista/Disney
Duração: 989 min.

Região: 4

Lançamento: 26/09/2007

Nº de discos: 7
Cotações:
Filme
DVD

Comentários de
Jorge Saldanha

A SÉRIE
Enquanto o poder de curar e destruir da ilha ficam mais evidentes, o bem e o mal se misturam ainda mais, desafiando a lealdade dos sobreviventes. Finalmente descobrimos quem são os "Outros", liderados pelo sinistro Ben, porém novos mistérios continuam a surgir.

Lost estreou em 2004 arrebatando as audiências da televisão, ao introduzir uma forma inovadora e criativa para narrar a história dos sobreviventes da queda de um avião de passageiros, numa ilha repleta de segredos. A primeira temporada serviu para introduzir os personagens principais, mostrando seu passado em flashbacks, e também os grandes mistérios de uma ilha que parece estar isolada no tempo e no espaço. Na segunda surgiram novos personagens, e começamos a descobrir mais um pouco sobre o Projeto Dharma, estabelecido na ilha nos anos 1980 para tentar desvendar seus segredos. No entanto, logo se notou a clara intenção de esticar a premissa da série ao máximo possível, com episódios dispensáveis. J. J. Abrams, após ser contratado pela Paramount para dirigir filmes, afastou-se da produção executiva, e o primeiro sintoma notável de que havia mesmo algo errado surgiu quando os produtores restantes afirmaram categoricamente que Lost não era uma série sci fi, quando estava na cara de qualquer espectador que a série trazia várias premissas e conceitos típicos de ficção científica. No final da segunda temporada a série já era um claro exemplo do mal que pode fazer o sucesso, porém em boa parte desta terceira (já exibida pelo canal pago AXN) as coisas melhoraram – apesar de terem matado, relativamente no início, o melhor personagem que havia sido introduzido no ano anterior. Aliás, prepare-se para outras mortes, até mesmo a de um personagem principal. O ritmo torna-se mais ágil, os “Outros” ganham destaque (inclusive também com direito a flashbacks), e boa parte da ação se desenrola onde vivem. Um atrativo à parte foi a participação do ator brasileiro Rodrigo Santoro como o personagem Paulo, fato que provavelmente será alardeado pela Globo quando a emissora exibir esta temporada ano que vem. Ao final do terceiro episódio Paulo e sua namorada Nikki (Kiele Sanchez), que até então faziam parte dos sobreviventes “anônimos”, começam a participar das tramas de alguns episódios. Aparentemente os roteiristas estavam reservando um papel relevante para o novo casal nesta temporada, apesar de suas aparições sempre serem esparsas e com poucos diálogos (principalmente de Santoro). Mas os episódios foram passando, e ambos pouco fizeram até chegarmos a “Exposé”, onde o casal finalmente ganhou o primeiro plano - mas certamente de uma maneira que Santoro e sua colega de elenco não gostariam. Sem entregar detalhes para quem ainda não viu esta temporada, só digo que os roteiristas fizeram ambos pagarem um grande mico. Do jeito que ficou, fica reforçada a impressão de que os criadores introduzem personagens, elementos e tramas sem saber no que tudo vai dar, na linha do "isso não faz nenhum sentido, mas depois daremos um jeito". O problema maior de Lost é que, conceitualmente, ela deveria ser uma mid-season, ou no máximo, ter só uma temporada cheia. Mas fez tanto sucesso que já anunciaram que a série vai ter seis temporadas. A terceira termina numa reviravolta que aparentemente leva o programa para rumos inesperados. Contudo, se isso será suficiente para manter a série no ar por mais três longas temporadas, é uma outra história.

O DVD
A Buena Vista surpreendeu ao disponibilizar no Brasil a terceira temporada de Lost, que tem como subtítulo “Explore esta Aventura”, mais de dois meses antes do lançamento nos EUA e Europa. Sinal de que a série pode estar gozando, no momento, de uma popularidade maior por aqui. O capricho no produto é o mesmo que a distribuidora já apresentara nos boxes anteriores: na embalagem, nada de amarays ou scanavos, temos um atraente digistack envolta numa luva de cartolina vazada, contendo os sete discos. O áudio original em inglês é Dolby Digital 5.1, que proporciona uma ótima ambientação e realça as trilhas sonoras misteriosas de Michael Giacchino. As dublagens em português e espanhol estão disponíveis apenas em Dolby 2.0. Aliás, algo que poderá desagradar a quem assiste à série com a dublagem em português, é que houve alterações nas vozes dos personagens. E essa é uma das coisas que me irritam nas dublagens nacionais: além de a maioria ser ruim (técnica e artisticamente), quando o sujeito se acostuma com a voz de alguém ela muda. Os 23 episódios da temporada estão no formato widescreen anamórfico na proporção original 1.78:1, com uma imagem cristalina e nítida, sem problemas de compressão e granulação excessiva e com cores vivas e firmes. As legendas estão disponíveis em português, inglês e espanhol.

OS EXTRAS
Ao inserir o primeiro disco, antes do carregamento do menu entram alguns trailers de outras séries em DVD da Buena Vista - mas, como já disse em outras resenhas, não considero este tipo de material como um extra. De resto, os lostmaníacos irão se esbaldar, explorando um considerável material suplementar com legendas em português (inclusive os comentários), que mostram o processo de criação da série. Apenas no disco 7, são 160 minutos de extras, com imagem wide anamórfico e áudio inglês 2.0. Os extras estão separados em seções, que são acessadas primeiramente acionando os monitores de TV que vemos no menu. Depois, é só ir clicando nos pontos iluminados para que surjam as listas dos bônus. Este último DVD do box tem todos os documentários sobre a produção, inclusive alguns escondidos como easter eggs. Se você prestar bem atenção em algumas fotos dos menus, já terá uma pista de como achá-los.

  • Comentários em Áudio – Alguns dos 23 episódios trazem comentários dos realizadores e de alguns membros do elenco. São interessantes, porque além de fornecerem informações dos bastidores, esclarecem algumas questões criativas;

  • Clube do Livro Lost (8:12min.) – Este bônus foca as referências literárias (citações a livros e autores) vistas em vários episódios;

  • O Elenco Modelado: Criando os Bonecos de Todd McFarlane (5:13min.) – Mcfarlane, que já foi um talentoso criador de HQs, parece que hoje se contenta em ganhar dinheiro com sua linha de action figures feitas em resina. Para Lost ele criou bonecos caprichados do elenco principal, com base em scans de computador feitos nos atores;

  • A Próxima Fase: Por dentro do Videogame (4:06min.') – Estava demorando, Lost vai virar game. Vemos cenas da produção do jogo e algumas telas, que não permitem deduzir se ele será bom ou, como a maioria dos jogos baseados em filmes e séries, se tornará mais uma bomba;

  • Lost: Na locação – São dez featurettes mostrando os bastidores das filmagens de um episódio específico: The Glass Ballerina (4:50min.), Every Man For Himself (6:58min.), Not in Portland (7:02min.), Flashes Before Your Eyes (7:41min.), Tricia Tanaka Is Dead (4:30min.), The Man From Tallahassee (4:37 min.), Exposé (5min.), The Man Behind The Curtain (5:09 min.), Greatest Hits (6:29 min.) e Through The Looking Glass (6:07 min.);

  • Tributo à Equipe com Evangeline Lilly (7:19min.) – Lilly, a bela que interpreta Kate, apresenta a equipe de técnicos que, durante as filmagens, está atrás das câmeras;

  • Um Dia na Produção de Lost (25:33min.) – O mais longo featurette do box nos leva aos bastidores de um dia de filmagem da série – na ocasião, estavam sendo rodadas simultaneamente cenas de sete episódios diferentes;

  • O Mundo dos Outros (14:12min.) – Com depoimentos dos realizadores e de membros do elenco, este interessante featurette é focado no misterioso grupo que ameaça os sobreviventes;

  • Terry O'Quinn: Arremessado (1:41 min.) – Acompanhe O’Quinn, que interpreta o carismático Locke, em seus treinos de arremesso de faca;

  • Erros de Gravação (6'35'') – As trapalhadas e gracinhas que acontecem quando os atores erram as suas cenas ou caem;

  • Flashbacks de Lost – São aquelas cenas que mostram o passado dos personagens, só que estas foram deixadas de fora. Nenhuma é particularmente importante, mas todas têm algum interesse. São elas: Further instructions: “A Fuga de Locke”(1:27 min.), The Glass Ballerina: “A Cena do Funeral” (0:39 min.) e Exposé: “As Pessoas Podem Mudar” (3:35 min.);

  • Cenas Inéditas – Mais nove cenas que ficaram na sala de edição. Novamente, nada essencial, mas algumas (como as que envolvem Nikki e Paulo) ajudam a entender mais os personagens e suas motivações: “Doutor ao Resgate” (2:36 min.), “Apresentando Nikki & Paulo” (1:27 min.), “Falando de Sexo” (1:59 min.), “Quebrando Pedras (1:45 min.), “Alex & Papai” (2:48 min.), “Super-poderes, Cara” (1:51 min.), “Charlie Continua” (1:36 min.), “Mudando nossa Sorte” (1:30 min.) e “Jornada ao Lugar de Jacob” (1:03 min.)

MENUS
Os ótimos menus animados capturam a ambientação e o mistério de Lost, tendo como fundo os efeitos sonoros da série. Apesar dos episódios serem divididos em capítulos, não existe a opção de seleção de cenas.

DVDs COMENTADOS