LALO SCHIFRIN – MOVIE MUSIC MAN
Distribuidora: Image
Região: 1
Lançamento: 17/05/2001

Nº de discos: 1
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

Se os fãs de música clássica, pop e jazz estão bem servidos pelo mercado de home video, o mesmo não se aplica aos apreciadores da música de cinema. Praticamente inexistem títulos em DVD dedicados às trilhas sonoras e aos seus compositores. Assistirmos a um concerto completo de Jerry Goldsmith ou John Williams, interpretando temas e trechos de seus scores famosos, hoje parece um sonho distante. Um raro título dedicado a um compositor de cinema é este Lalo Schifrin - Movie Music Man, documentário originalmente produzido em 1993, que apresenta trechos de um concerto do conhecido compositor argentino no festival de Cinema de Cannes (regendo a Orquestra Nacional de Lyon), uma entrevista na qual Schifrin fala sobre suas influências musicais, trilhas sonoras e métodos de composição, sua prática de karatê (incentivada por ninguém menos que o próprio Bruce Lee, que o compositor conheceu durante a produção de Enter The Dragon) e informações biográficas apresentadas por um narrador. Para o fã, este programa de uma hora de duração é indiscutivelmente interessante e informativo, já que comprova a extrema versatilidade e competência do compositor em gêneros musicais variados – jazz, música clássica, tango e, é claro, música de cinema, na qual via de regra ele faz uma bem sucedida mistura de todos esses estilos. “Muitas pessoas não sabem como me classificar, o que é bom já que eu gosto de deixá-las malucas”, afirma um divertido Schifrin logo no início do documentário, certamente referindo-se aos críticos musicais.

Schifrin desde pequeno nutriu paixão pelos grandes compositores do cinema e pelo jazz, tendo iniciado sua carreira como pianista em clubes de jazz de Buenos Aires. Teve a sorte de ser descoberto pelo lendário trompetista norte-americano Dizzy Gillespie, que convidou-o para ser o pianista de sua banda. Este foi o início de uma carreira de sucesso como compositor, regente, arranjador e intérprete, que se espalhou por vários discos solo, de artistas consagrados (incluindo vários do próprio Gillespie) e em mais de 100 scores. Nos trechos selecionados do concerto, podemos assistir Schifrin regendo alguns de seus trabalhos mais conhecidos, como os temas de Mission: Impossible, Bullitt, The Fox e Cool Hand Luke, alguns inclusive com direito a cenas dos filmes correspondentes. Na orquestra, Schifrin atua como regente e pianista, e conta com os ilustres convidados Dizzy Gillespie (trompete), Ray Brown (baixo acústico), Grady Tate (bateria) e a soprano Julia Migenes.

No concerto ele não apresenta apenas suas composições para cinema, e abre espaço inclusive para a música de nosso país, da qual é declaradamente fã. Um dos pontos altos é exatamente a interpretação de um trecho das “Bacchianas Brasileiras”, de Villa Lobos, com a voz luminosa de Migenes. A qualidade de imagem e som do DVD é boa, e os trechos do concerto são valorizados sobremaneira pelo áudio em Dolby 5.1. Mas seria preferível que a parte documental tivesse sido separada do concerto, já que somos constantemente levados da música para a entrevista, e vice-versa, em interrupções que às vezes aborrecem. Mas indiscutivelmente é muito melhor do que nada, e é um DVD que faz um bom par com o outro que Schifrin lançou há alguns anos, Latin Jazz Suíte (também comentado aqui). E vamos esperar que novos títulos dedicados aos compositores cinematográficos sejam lançados. Na Europa em breve deverá ser editado um DVD com concertos de Ennio Morricone, vamos esperar…

DVDs COMENTADOS