QUARTETO FANTÁSTICO (VERSÃO ESTENDIDA)
Direção: Tim Story
Elenco:
Ioan Gruffudd, Jessica Alba, Chris Evans, Michael Chiklis, Julian McMahon, Hamish Linklater, Kerry Washington, Laurie Holden, David Parker
Distribuidora: Fox
Duração: 126 min.

Região: 4

Lançamento: 11/06/2006

Nº de discos: 1
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

O FILME
Após serem expostos a uma estranha nuvem de radiação cósmica, quatro astronautas adquirem poderes sobre-humanos e se tornam fantásticos super-heróis: Senhor Fantástico (Ioan Gruffudd), Mulher Invisível (Jessica Alba), Tocha Humana (Chris Evans) e O Coisa (Michael Chiklis). O financiador da missão (Julian McMahon) também se transforma, porém no mortal supervilão Doutor Destino. Divididos entre a fama e o preconceito, os quatro amigos, liderados por Reed Richards – o Senhor Fantástico - devem escolher entre buscar uma cura para se tornarem novamente normais, ou manter seus poderes para enfrentar Destino num avassalador confronto em plena Nova York.

O advento do DVD foi uma excelente chance para que os diretores pudessem disponibilizar versões de seus filmes mais fiéis ao seu conceito original, muitas vezes significativamente alterado para os lançamentos nos cinemas. Apenas para falarmos nas adaptações de quadrinhos da Marvel, já tivemos lançadas no formato versões estendidas ou “do Diretor” de Demolidor, o Homem sem Medo (2003), Elektra (2004, esta ainda não lançada aqui) e Homem-Aranha 2 (2004). Apesar do caráter oportunístico desses lançamentos, que normalmente buscam faturar em cima da chegada de um novo filme, eles até agora vêm trazendo versões melhores, em maior ou menor grau, do que aquelas originalmente lançadas nos cinemas. O que nos leva a este DVD com a versão estendida de Quarteto Fantástico (2005), trazendo nada mais, nada menos, que 20 minutos de cenas adicionais. A exemplo do que aconteceu com Demolidor, esses segmentos propiciam uma significativa melhora no filme, principalmente no que toca ao desenvolvimento dos personagens. Quando o filme do Quarteto inicialmente chegou às telas as comparações com outra franquia de sucesso da Marvel, a mais sombria X-Men, foi inevitável e muitas opiniões enfatizaram, sob um aspecto negativo, o fato de o filme ser light, mais direcionado para crianças e dando destaque às cenas de humor entre Johnny Storm (Tocha Humana) e Ben Richards (O Coisa). O interessante é que gostei do filme principalmente por isso, já que o torna bem fiel aos gibis – uma das criações mais bem humoradas e desencanadas de Stan Lee e Jack Kirby. O que muitos não perceberam é que das adaptações da Marvel para o cinema, esta foi a que teve o roteiro (co-escrito por Mark Frost, um dos criadores da memorável série de TV Twin Peaks) que mais investiu nos personagens, que têm de encarar e mesmo questionar a realidade de serem diferentes das demais pessoas. Pois o grande mérito das cenas agora incluídas no filme é de reforçar o desenvolvimento dos personagens, melhorando exatamente aquele que já era o ponto forte do filme, além de corrigir algumas omissões que havia na versão do cinema. Vamos falar um pouco sobre essas cenas adicionais (não necessariamente em ordem cronológica):

1 – Créditos Principais - A abertura foi totalmente modificada. Antes aparecia o título e o filme já começava, agora temos uma apresentação animada no estilo dos filmes do Homem-Aranha, já dando uma deixa do que veremos adiante. Uma pena que não usaram ilustrações no estilo de Jack Kirby, o desenhista original do Quarteto;

2 – Reed e Ben – Vemos um pouco mais Reed e Ben dentro do prédio de Victor, antes do encontro onde serão mostrados os projetos da empresa, inclusive seus contratos militares (daí sabemos de onde vêm as armas que Victor posteriormente rouba de um depósito de sua empresa);

3 – Estação Espacial – Sem dúvida uma seqüência que estava fazendo falta: após o acidente, todos aparecem desacordados caídos no chão da estação espacial. Aos poucos a energia da estação vai se normalizando, e eles, acordando. A cena explica como os quatro e Victor voltaram para a Terra (a energia da estação se normalizou após a passagem da nuvem cósmica);

4 - Susan e Victor – Sue e Victor jantam e rompem a relação. Ele fica enciumado porque ela se refere à pesquisa que está fazendo com Reed como "nossa". Aliás, é aqui que ele nota que Reed e Sue estão passando um bom tempo juntos. Na mesma cena as emoções de Victor se tornam claras com as oscilações da luz do restaurante, e Susan chega a ficar invisível;

5 - Reed e Susan – Aqui o casal ganha mais tempo de exposição. Em um depósito do edifício Baxter, Reed revela que vai construir uma máquina. Sue observa uma caixa com seu nome no alto de uma prateleira, ao tentar pegá-la a prateleira cai sobre ela, Reed se estica e cai sobre Sue, absorvendo o impacto, e ambos ficam cara a cara (uma pena que o efeito visual não foi muito bem acabado, e a cena do “esticamento” está bem granulada). Ben vê de longe o casal deitado no chão e aí nasce a semente de sua raiva posteriormente explorada por Victor, no sentido de que Reed não está atrás de uma cura porque deseja passar mais tempo com Sue;

6 – O Teste da Máquina - Reed testa os efeitos da máquina numa planta, o que é muito mais coerente do que ele ser a primeira cobaia, como acontece na versão reduzida do cinema;

7 - Reed e Sue - Após o diálogo no planetário, Reed faz a cara de Wolverine para Sue. Essa cena estava nos extras do DVD da versão anterior, e apesar de ser redundante em termos de enredo é divertida, além de interessante por fazer uma ligação direta com outra franquia da Marvel;

8 - Ben – O Coisa assiste a gravação de um de seus aniversários, e fica depressivo;

9 – Popularidade - O Quarteto recebe cartas de todos os lugares do mundo, pedindo ajuda. Sue pega uma carta e mostra para Reed, que no momento a ignora porque está no meio de uma pesquisa. Logo em seguida escutam berros do Ben, fulo da vida porque Johnny está na TV, no programa de esportes;

10 – Elevador Quente – O conquistador Johnny passa o dia andando de elevador
no edifício Baxter, aumentando a temperatura dentro do mesmo paras as mulheres ficarem, digamos, mais à vontade;

11 – Victor e Johnny - Victor dá carona para Johnny (que sai de uma festa) em sua limusine cheia de garotas, e faz a cabeça do rapaz para que siga carreira solo, pois ao contrário dos outros três ele é um astro. Essa é a origem da discussão posterior de Johnny com Sue, logo após Ben quebrar o protótipo do seu bonequinho;

12 – Ben e Alicia - Ben passeia pela rua após ter tido o encontro com Victor na lanchonete (cena das panquecas), e passa por uma galeria de arte que exibe várias esculturas com sua imagem. Dela sai Alicia, que o convida para entrar. Ele diz que está todo sujo, e ela responde que vai ajudá-lo a se limpar, e o faz numa cena tocante, dando-lhe uma lição sobre ser diferente e alvo de chacotas. Isso abre os olhos dele para a possibilidade de continuar como O Coisa. Aliás, enquanto ela o limpa, nos fundos da galeria, Ben observa vários bonecos e pergunta se foi ela quem os fez. Ela responde que eles são coisa de seu padrasto, que como os fãs do Quarteto sabem, é O Mestre dos Bonecos.

13 – Festa de Alicia - Alicia convida Ben para uma festa, onde ela está expondo suas esculturas. Lá, além de ser confundido com uma das esculturas, Ben vê Alicia ser alvo de piadas por fazer esculturas com a sua imagem. Sentindo-se ofendido ele sai bravo, acarretando a briga com Reed que veremos logo em seguida;

14 – Victor chama Ben - Após Reed testar a máquina sem sucesso, Victor manda seu ajudante buscar Ben, e na versão de cinema a cena seguinte já era Ben chegando no edifício Baxter e perguntando onde está Reed, o que não fazia muito sentido - porque ele perguntaria por Reed, se o encontro seria supostamente apenas com o Victor? Pois na nova versão, após a briga com Reed e Victor mandando seu ajudante procurá-lo, Ben está sentado numa praça, claramente triste, quando chega o ajudante do Victor e o avisa que Reed deseja falar com ele urgentemente. Daí a surpresa de Ben ao chegar no Baxter e não encontrar Reed, apenas Victor;

15 – Johnny se dá Mal - Após abandonar o Quarteto (briga com Sue), o flamejante Johnny está numa festa se exibindo, lançando rajadas de fogo para cima, sendo o legítimo centro das atenções. Ele vê uma bela garota e chega nela, contudo ela tem um namorado que lhe dá um puxão de orelhas, dizendo que ele não deveria cantar a garota dos outros. Irritado, Johnny faz a bebida do cara pegar fogo, numa atitude estúpida. A garota fala que ele poderia ter queimado alguém, e que se ela tivesse os poderes dele faria algo produtivo, ajudaria as pessoas e não ficaria se exibindo em bares. Nesse momento todos no bar ignoram Johnny, ou seja, ocorre aquilo que Sue falou: ele é um modismo, daí a razão dele voltar para o edifício Baxter;

16 – Confronto com o Doutor Destino – No confronto final com Victor (já como Doutor Destino), Reed assume uma forma curva para direcionar a água do hidrante para cima do vilão.

Enfim, graças a essas cenas temos agora uma versão melhorada de Quarteto Fantástico, com um roteiro mais bem acabado e que até mereceria passar nos cinemas.


O DVD
Na Região 1 esta versão estendida de Quarteto Fantástico recebeu uma caprichadíssima edição com dois discos, trazendo áudio DTS e uma grande variedade de extras. Aqui no Brasil, só para não deixar de aproveitar a chegada aos cinemas de Quarteto Fantástico e O Surfista Prateado, a Fox lançou uma versão básica contendo apenas um extra bem curto e áudio exclusivamente Dolby Digital 5.1 em inglês, português e espanhol. Pelo menos o áudio disponível é excelente, de grande fidelidade e graves possantes, com os efeitos surround se destacando nas cenas de ação. As legendas estão disponíveis nos mesmos idiomas. A imagem, em seu aspecto original widescreen anamórfico 2.35:1, é estupenda, me parecendo superior à da transferência utilizada no lançamento do DVD original com a versão do cinema. Exceto no curto trecho já citado acima, com granulação e onde o efeito visual foi mal finalizado, a imagem se destaca por suas cores vivas e sólidas, pretos fortes e inexistência de artefatos.

OS EXTRAS
Da grande quantidade de extras existentes na edição lançada na Região 1, além dos dois teasers que rodam antes de surgirem os menus herdamos apenas o featurette de oito minutos legendado As Origens do Surfista Prateado, sobre o personagem introduzido no novo filme. Ao eliminar o segundo DVD só de material suplementar, pelo menos a Fox poderia ter mantido em nossa edição os extras do disco 1 americano, que incluem uma nova faixa de comentários de áudio com o diretor Tim Story, os produtores Avi Arad e Kevin Feige, e os roteiristas Michael France e Mark Frost. Do jeito que ficou, o único e mirrado extra que restou no DVD nacional é dedicado a um personagem que nem aparece no filme. Que vergonha...

MENUS
 Os menus são básicos, e muito semelhantes aos do DVD anterior.

DVDs COMENTADOS