STAR WARS EPISÓDIO III: A VINGANÇA DOS SITH
Direção: George Lucas
Elenco:
Ewan McGregor, Hayden Christensen, Natalie Portman, Samuel L. Jackson, Ian McDiarmid, Christopher Lee, Frank Oz
Distribuidora: Fox
Duração: 139 min.

Região: 4

Lançamento: 1º/11/2005

Nº de discos: 2
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

O FILME
No episódio final da saga Star Wars, as Guerras Clônicas estão em seu momento decisivo, e as diferenças entre o Chanceler Palpatine (Ian McDiarmid) e o Conselho Jedi se intensificam. O jovem Cavaleiro Jedi Anakin Skywalker (Hayden Christensen) está dividido sobre quem merece a sua lealdade - os Jedi ou Palpatine, que a ele revela ser o maligno Lorde Sith Darth Sidious. Na esperança de salvar a vida de sua amada Padmé (Natalie Portman), Anakin rende-se ao Lado Sombrio e se torna Darth Vader. Os Lordes Sith colocam em ação um plano para exterminar todos os Jedi, a fim de que a democrática República seja transformada no Império Galáctico, sob o domínio de Palpatine. Anakin e seu ex-mestre Obi-Wan Kenobi (Ewan McGregor) se enfrentam, em um duelo de sabres de luz que irá decidir o destino da galáxia.

Dezesseis anos se passaram entre o lançamento do último filme da trilogia original de STAR WARS (EPISÓDIO VI: O RETORNO DE JEDI, 1983) e o primeiro da nova (EPISÓDIO I: A AMEAÇA FANTASMA, 1999), e aos trancos e barrancos em 2005 finalmente chegou este EPISÓDIO III: A VINGANÇA DOS SITH (2005), o capítulo essencial onde testemunhamos a destruição dos Cavaleiros Jedis, da democrática República e a transformação do jovem Jedi Anakin Skywalker no mais célebre vilão do cinema, Darth Vader. Certo, A VINGANÇA DOS SITH continua sendo um típico filme de Lucas: nele temos diálogos piegas, atuações por vezes caricatas - excetuando-se, claro, Ian McDiarmid (Palpatine) e Ewan McGregor, que faz um soberbo Obi-Wan Kenobi - muitas criaturas e robôs exóticos e efeitos especiais numa profusão inédita. Mas também é um típico filme de STAR WARS, e digo isto no sentido positivo. Lucas mostrou ter absorvido boa parte das críticas feitas aos outros filmes da trilogia recente e realizou um capítulo no qual os acertos superam em muito os deslizes. Mesmo quem já esperava um capítulo mais sombrio e dramático ficou surpreendido. Aposto que ninguém imaginaria ver na tela cadáveres de crianças, ou mesmo uma descrição tão gráfica do destino de Anakin. Finalmente, este foi o filme mais adulto, sério e empolgante que os fãs exigiam, o único da série a receber, nos EUA, a classificação PG-13. Em sua primeira metade, A VINGANÇA DOS SITH não difere muito dos filmes que lhe imediatamente antecederam. Mas nela já se nota uma trama mais sólida e focada, que não perde muito tempo com acessórios: desta vez o principal é a história, que tem como força motriz não Anakin, mas sim o Chanceler Palpatine e sua busca pelo poder. No início de sua segunda metade, até por saber de antemão praticamente tudo o que acontecerá, o espectador sente-se como uma testemunha da história. E também testemunha como Lucas, ao som de uma magistral trilha de John Williams que mescla composições novas com temas já conhecidos, soube belamente amarrar quase todas as pontas soltas e direcionar a saga não para um fim, mas para o início da trilogia original. Contudo, o que mais me fascinou no filme foi ele se afastar um pouco do maniqueísmo que sempre caracterizou a franquia e tratar, basicamente, da zona cinzenta que fica entre a luz e as trevas - o comportamento ambíguo dos Jedis ao tramarem um golpe de Estado; aliados que se tornam, repentinamente e numa reviravolta do destino, em inimigos traiçoeiros; de como, enfim, heróis tornam-se vilões. STAR WARS EPISÓDIO III: A VINGANÇA DOS SITH (pelo menos é o que Lucas diz) completa a história da família Skywalker, é um dos melhores da série logo após O IMPÉRIO CONTRA-ATACA e dá a ela a consistência e coerência que lhe era cobrada. A partir de agora, ela pode ser julgada por inteiro e, até mesmo, ser classificada como uma das maiores sagas do cinema. Mesmo que parte da crítica ainda insista em dizer que STAR WARS não é cinema, mas pura forma e marketing.

O DVD
A VINGANÇA DOS SITH foi lançado para locação em DVD simples, e como os outros filmes da nova trilogia, em uma versão para venda direta com dois discos, numa embalagem Amaray adequada. Como de praxe, Lucas disponibilizou mundialmente um DVD com certificação THX impecável em todos os quesitos. Os menus animados, como sempre, são deslumbrantes e alternam aleatoriamente três ambientações do filme (Utapau, Coruscant e Mustafar). O formato de vídeo é widescreen anamórfico 2.35:1, e a transferência, produzida diretamente a partir das masters digitais do filme (que a exemplo do EPISÓDIO II foi gravado inteiramente em alta definição), é simplesmente estupenda. O filme beneficiou-se do aprimoramento que a tecnologia do vídeo de alta definição recebeu nos últimos anos, e isto é claramente visível em DVD. Definição de imagem, contraste, níveis de preto, solidez de cores, em qualquer quesito que pensemos só pode haver uma classificação possível: excelente. Certamente este é um título que pode ser utilizado como um novo padrão de referência para o formato, pelo menos enquanto não chega a nova geração de DVDs de alta definição. O áudio original Dolby Digital 5.1 EX é, literalmente, de cinema, levando para o home theater todas as nuances sonoras possíveis - agressivo nas grandes seqüências de ação, sutil e ambiental nos momentos mais calmos, sempre com o uso na medida dos canais surround e de graves. Tanto quanto os efeitos visuais, o áudio sempre foi de extrema importância nos filmes de STAR WARS, e no quesito "imersão do espectador", este chegou à perfeição. Há também disponíveis faixas de áudio em português e espanhol, em Dolby 2.0 de boa qualidade. Podemos escolher as legendas nos idiomas português, espanhol e inglês.

OS EXTRAS
Os extras deste episódio final da saga seguem o padrão estebelecido nos DVDs anteriores, apesar de não serem tão bons ou atraentes - pelo menos na minha opinião. Ainda assim, não dá para ninguém se queixar de sua qualidade técnica (todos estão em formato wide anamórfico e áudio em inglês Dolby 2.0, com legendas em português) ou de falta de informação sobre a produção. Como de praxe, o segundo disco concentra a maior quantidade de extras. Vejamos:

Disco 1 

Comentários de áudio
– Na faixa de comentários de áudio, o diretor George Lucas e membros de sua equipe (Rick McCallum, Rob Coleman, John Knoll e Roger Guvett), fornecem muitas informações e curiosidades sobre a produção. O mais interessante sem dúvida são as colocações de Lucas sobre a trama e os personagens no contexto da saga.

Além dos comentários, o disco 1 inclui o easter egg "Hip-Hop Yoda", que pode ser acessado de modo análogo aos dos que estão outros DVDs da trilogia

Disco 2
Cenas Excluídas - Seis cenas inéditas que ficaram de fora da montagem final, finalizadas para o DVD (exceto trechos da primeira) e com introduções de George Lucas e Rick McCallum. Todas estão em formato wide anamórfico e com áudio Dolby Digital 5.1 EX, só falta Lucas inserí-las numa futura edição especial... A mais popular sem dúvida será a da chegada de Yoda ao planeta Dagobah, mas há três delas particularmente interessantes, sob o ponto de vista da trama - elas mostram encontros de Padmé com o que seria o embrião da futura Aliança Rebelde;
Em Um Minuto: O Making Of do Episódio III - Este documentário de aproximadamente 80 minutos, apresentado pelo produtor Rick McCallum, é original por expandir todo o processo de produção do filme a partir da realização de uma seqüência de apenas 49 segundos, que faz parte do duelo de sabres de luz entre Anakin e Obi-Wan. Cada departamento de produção - seus profissinais e sua função - é apresentado. Interessante, mas por vezes tedioso;
O Escolhido - Interessante featurette de 15 minutos, focado na transformação de Anakin Skywalker em Darth Vader. Curiosidade: há um momento em que vemos um trecho do EPISÓDIO I em que aparece Yoda, mas ele não é o boneco que foi utilizado originalmente - ele agora é totalmente digital, como nos dois filmes seguintes. Hmmm...;
É Tudo Verdade - Featurette de 11 minutos que trata da preparação dos atores e dublês para a criação das cenas de ação, em especial das que envolvem lutas de sabres de luz;
Documentários para a Internet - 15 dos 18 featurettes originalmente produzidos para serem divulgados no site oficial, cada um com cinco minutos em média e tratando de um aspecto específico da produção (desde a "pré" até a "pós"). No conjunto, formam um ótimo making of;
Clipe musical "A Hero Falls" - Vídeo musical com cenas do filme, ao som de "Battle of The Heroes", o grande novo tema composto por John Williams;
Trailers e Spots de TV - Temos aqui dois trailers e 15 comerciais exibidos na de TV.

Completam os extras deste disco uma galeria de fotos de produção, um demo jogável para o console Xbox com dois níveis do novo videogame STAR WARS: BATTLEFRONT II, trailers deste jogo e de outro, Star Wars: Empire at War, e uma seção em DVD-Rom com um link para acessar na web o conteúdo exclusivo do site de Star Wars.

DVDs COMENTADOS