SUPERMAN - O RETORNO (EDIÇÃO ESPECIAL)
Direção: Bryan Singer
Elenco: Brandon Routh, Kate Bosworth, Kevin Spacey, James Marsden, Parker Posey, Frank Langella, Sam Huntington, Eva Marie Saint, Marlon Brando, Kal Penn, David Fabrizio, Tristan Lake Leabu

Distribuidora: Warner
Duração: 154 min.
 

Região: 4

Lançamento: 09/11/2006

Nº de discos: 2
Cotações:
Filme
DVD

Comentários de
Jorge Saldanha

O FILME
Superman (Brandon Routh) passa cinco anos viajando pelo espaço em busca do que restou de Krypton, seu planeta natal. Quando retorna, percebe que as coisas mudaram na Terra: Lois Lane (Kate Bosworth) agora tem um filho, um noivo e ganhará um Pulitzer por sua matéria "Por Que o Mundo Não Precisa do Superman". Mas o pior é que seu arquiinimigo, Lex Luthor (Kevin Spacey), tem um novo plano para enriquecer que, para variar, provocará a morte de bilhões de pessoas.

O cineasta Bryan Singer (de Os Suspeitos, X-Men e X-Men 2), após anos de indefinições da Warner quanto à franquia Superman, assumiu o projeto e o resultado chegou aos cinemas e ao DVD em 2006. Após tanta espera, acho que o filme poderia ser um pouco melhor, e não é tão bem resolvido como os filmes de Singer para X-Men; mas por outro lado está longe de ser a bomba que imaginava, quando vi as primeiras fotos do Brandon Routh no collant do Super, ou a porcaria que alguns dizem que é. Estes não podem esquecer que viram os filmes com o saudoso Christopher Reeve na infância e adolescência, e seria mesmo impossível que este Superman do século 21 provocasse neles o mesmo impacto. O roteiro, baseado numa história do próprio Singer, preocupa-se bem mais com os personagens do que com cenas mirabolantes de ação (que existem e são ótimas, mas não muitas) e cascatas de efeitos visuais. Após a estranheza inicial causada por Routh (uma espécie de clone mais jovem de Reeve, sempre preocupado em imitar seus trejeitos), e pela Lois Lane de Kate Bosworth, que na verdade é loira e no filme está de peruca castanha, os personagens conquistam o espectador graças principalmente ao bom trabalho do roteiro. Como é normal neste gênero de filme, o pior é sempre o plano megalômano do vilão, mas há certas qualidades que justificam a ida ao cinema. A principal se resume a uma palavra: respeito. A produção buscou de todas as maneiras respeitar e homenagear as fontes pretéritas do filme - das referências ao # 1 da Action Comics, que trazia na capa o Homem de Aço levantando um carro, até os eventos ocorridos em Superman II (aquele no qual Luthor descobre a localização da Fortaleza da Solidão e onde o Super abandona seus poderes para ter um relacionamento íntimo com Lois), do qual se propõe a ser uma continuação direta, ignorando os ruins III e IV. Os créditos iniciais seguem o mesmo estilo dos outros filmes, e na seqüência final mais uma vez vemos Superman voando em órbita da Terra, inclusive com Routh passando diante da câmera e sorrindo para a platéia, como Reeve fazia. Impossível não ficar cativado por estas homenagens aos filmes de Richard Donner e Richard Lester. Neste aspecto, obviamente há outro fator importantíssimo - a utilização pelo compositor/editor John Ottman, em sua trilha musical, dos memoráveis temas criados por John Williams para o filme de 1978. Em torno deles Ottman construiu a que talvez seja sua melhor partitura até agora. Enfim, há uma série de referências visuais e auditivas que não deixam dúvidas: para o bem ou para o mal, este é um legítimo filme do Superman, e é o primeiro de uma nova série. Mas ao final resta um furo do roteiro, que tanto primou pelo respeito à continuidade. Em Superman II, após o herói revelar sua identidade a Lois e abandonar seus poderes para consumarem seu romance, ele a faz esquecer por completo de toda a experiência. Ou seja, após o super-herói recobrar seus poderes, Lois passa a não lembrar de nada do que aconteceu. Contudo em Superman - O Retorno - ATENÇÃO: SPOILER A SEGUIR - ela não demonstra muita surpresa ao descobrir que o pai de seu filho de cinco anos é Superman, e não seu marido. Ou seja, ela age como se lembrasse de ter ido para a cama com o super-herói... De qualquer maneira, esperemos pelo próximo filme, que tem tudo para ser ainda melhor.

O DVD
A Warner lançou Superman - O Retorno num DVD duplo com muitos extras (a Edição Especial aqui comentada), e outra simples para locação trazendo apenas o filme. A embalagem é a nossa velha Amaray para dois discos, sem requintes como luva de cartolina externa. O filme é apresentado no formato original widescreen anamórfico 2.40:1, mas sua transferência para DVD não me agradou. Nas filmagens foram utilizadas câmeras digitais de alta definição, e quando assisti ao filme no cinema não percebi maiores problemas. Já em DVD a coisa muda bastante de figura. As cores são saturadas, a imagem é suavizada demais e o pior, há muita granulação perceptível nas cenas escuras e nítidos ruídos de compressão. Apesar de serem problemas que serão notados principalmente em televisores de maior tamanho e resolução, é de se lamentar que a Warner tenha sido tão desleixada com este lançamento. O próprio áudio Dolby Digital 5.1 em inglês e português, apesar de ser de boa qualidade, é inferior ao de títulos recentes. Há um uso adequado de efeitos surround e sem dúvida há graves suficientes para alimentar o subwoofer, mas o som, especialmente a trilha musical (mixada em volume baixo demais, no meu entender), parece um tanto sem brilho. Tudo isso são sintomas de uma compressão elevada, desnecessária já que o DVD não traz faixas de áudio DTS ou de comentários, que normalmente ocupam espaço considerável no disco. As legendas disponíveis são português e inglês.

OS EXTRAS
Se tecnicamente o DVD de Superman Returns está longe de ser Super, sua Edição Especial traz, no segundo disco, mais de três horas de material adicional de ótima qualidade, com informações bem interessantes sobre todo o processo de produção. Comentários em áudio, só quando relançarem este filme no futuro. Mas vejamos o que esta edição já nos oferece:

  • Réquiem para Krypton: Making of de Superman - O Retorno Longo documentário em widescreen anamórfico, com áudio em inglês 2.0 e legendas em português – sem dúvida é o grande destaque dos extras. Dividido em cinco partes, ele se aprofunda em informações sobre o processo criativo de Singer e todas as fases da produção. Mostra que houve, desde o início, a preocupação do diretor em documentar o que fosse possível para colocar o material futuramente em DVD, e isso foi feito de forma criativa e, não raro, divertida. Os capítulos do making of são: Origens Secretas e Primeiros Problemas: Cristalizando Superman (com 29:13min, mostra as origens do roteiro, seleção do elenco, criação de figurino, cenário, e destaca o teste final de Brandon Routh, que era o único que não sabia já ter sido selecionado para o papel), O Método Cristal: Desenhando Superman (em seus 34min., prossegue nos trabalhos de pré-produção – construção dos enormes cenários, a apresentação das novas câmeras de alta definição usadas nas filmagens, o treinamento de Brandon, etc.), Um Gosto por Propriedades à Beira-Mar: Filmagens de Superman (subdividido em três partes - Superman na Fazenda, Superman na Cidade e Superman em Apuros - que totalizam 73:61min., dedicadas às filmagens em locação da fazenda, em Sidney e algumas complicadas seqüências de ação em estúdio), A Alegria de Lex: Ameaçar Superman (com 21:32min. é um divertido segmento focado em Kevin Spacey, o Luthor, que adorava dirigir no set um carrinho de golfe com kryptonita nas laterais, arrastando um boneco do Superman e gritando “Superman deve morrer!”), e Terminando de filmar Superman (com 10:50min., mostra a rodagem da última cena do filme com Brandon Routh, e encerra o making of com uma divertida série de erros de filmagem).

  • Ressuscitando Jor-ElPequeno vídeo (com legendas) que mostra a modificação digital e a utilização de uma cena de Marlon Brandon como Jor-El;

  • Cenas eliminadas – 11 cenas que ficaram de fora da edição final, todas elas em widescreen anamórfico, com áudio em inglês 2.0 e legendas em português: O Namoro, Fotos de Família, Choque ao Aterrissar/Visão de Raio X, Velhos Jornais, Vocês dois estão Namorando?, Martinis e Perucas, Eu estou Sempre Certo, Jimmy, o Exuberante, Barreira Lingüística, Cristais a Salvo e Nova Krypton;

  • Trailers – Temos Trailer Teaser, Trailer de cinema e Trailer do jogo da EA.

Finalmente, se você procurar um pouquinho, encontrará um easter egg que mostra os vários takes que foram necessários para a cena em que Lex Luthor (Kevin Spacey) grita para Lois Lane (Kate Bosworth) "Errado!”.

MENUS
Os menus (animados apenas no disco 1) são interessantes mas pouco criativos.

DVDs COMENTADOS