JORNADA NAS ESTRELAS: A SÉRIE ANIMADA
Direção: Hal Sutherland
Elenco:
William Shatner, Leonard Nimoy, DeForest Kelley, George Takei, James Doohan, Nichelle Nichols
Distribuidora: Paramount
Duração: 528 min.

Região: 4

Lançamento: 13/12/2006

Nº de discos: 4
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

A SÉRIE
Após os eventos mostrados na Série Clássica e situada antes dos filmes, temos a continuação da jornada de cinco anos da nave estelar Enterprise que, sob o comando do Capitão James T. Kirk, segue audaciosamente indo onde nenhum homem jamais esteve.

Como se sabe, após o cancelamento da Série Clássica de Jornada nas Estrelas, que teve apenas 79 episódios em três temporadas, a criação de Gene Roddenberry cresceu muito em popularidade. Nos anos 1970 a Paramount começou a pensar em meios de trazê-la de volta, e antes do projeto de uma nova série de TV conhecido como “Phase 2” (que eventualmente acabou dando origem ao primeiro filme da franquia em 1979), existiu Jornada nas Estrelas: A Série Animada. Para muitos esta produção televisiva de baixo orçamento é totalmente inédita, já que no Brasil ela não foi mais reprisada desde o início dos anos 80, saindo do ar antes mesmo da chegada do videocassete. Os mais antigos, como eu, tinham apenas uma vaga lembrança desta série de animação realizada para a temporada de 1973/1974 pela Filmation, de Norm Prescott e Lou Scheimer, que à época, juntamente com a Hanna-Barbera, produzia a maioria dos desenhos direcionados ao público infantil. O próprio Roddenberry admitiu ter aceitado o projeto principalmente pelo dinheiro, mas não há dúvidas de que também foi uma oportunidade de realizar um desenho animado com roteiros mais densos do que a média do gênero. Foram produzidos 22 episódios, muitos escritos por roteiristas que também haviam participado da Série Clássica, supervisionados por Dorothy Fontana. A série utilizou as vozes de quase todo o seu elenco principal: William Shatner (Kirk), Leonard Nimoy (Spock), DeForest Kelley (McCoy), James Doohan (Scotty), George Takei (Sulu), Nichelle Nichols (Uhura) e Majel Barret (Enfermeira Chapel). Alguns até disfarçam a voz, mas percebemos claramente que eles também dublam vários personagens secundários. O personagem de Walter Koenig (Chekov) não foi incluído na série, mas o ator contribuiu com o roteiro de "The Infinite Vulcan" (foi o primeiro ator da franquia a escrever um episódio). Mesmo que o desenho não seja considerado canônico, alguns elementos introduzidos por ele foram adotados nos filmes e séries que se seguiram, como o nome do meio de Kirk ser Tiberius, o holodeck, pingos predadores, o Capitão April como o primeiro comandante da Enterprise, e por aí vai. Há constantes referências aos 79 episódios da Série Clássica, o que, se por um lado reforça a continuidade, por outro limita a criatividade dos roteiristas, dando origem a alguns plots que são apenas variações do que já foi visto. Apesar de à época a série apresentar uma animação padrão para o que então se produzia, hoje ela pode ser considerada visualmente muito pobre. Claramente houve esforços para baratear e acelerar sua produção: os traços são simples, os personagens movem-se apenas o mínimo necessário e quando correm seus desenhos são meras silhuetas pretas, há muita repetição de cenas e os fundos são simples, sem muitos detalhes. Outro problema, ao meu ver, foi a substituição do clássico tema de Alexander Courage por uma imitação musical genérica – afinal, se esta é uma continuação direta da Série Clássica e sua conhecida abertura foi duplicada em desenho, porque não manter o mesmo tema? Apesar dos pesares, o fã de Jornada nas Estrelas deve conferir a Série Animada em DVD, uma verdadeira relíquia da franquia resgatada pela Paramount.

O DVD

Lançada no final de 2006 somente um mês após o box da Região 1, a versão nacional chegou com suas mesmas especificações técnicas, sendo a maior diferença a embalagem – a da R1 é uma caixa plástica, similar à usada nas primeiras tiragens dos boxes da Série Clássica; aqui, ela foi substituída por uma mais econômica digistack que, se não é tão bonita, permite um melhor manuseio dos quatro DVDs. As legendas estão disponíveis em português, inglês e espanhol. As únicas opções de áudio disponíveis para os 22 episódios são inglês original mono, espanhol mono e numa nova mixagem em inglês Dolby Digital 5.1 – infelizmente, assim como ocorreu com a dublagem original em português da AIC para a Série Clássica, também a da Série Animada foi perdida, e a Paramount não bancou uma nova dublagem. Considerando que o áudio original do programa era monaural (mantido como uma opção para agradar os puristas), a nova faixa em inglês 5.1 é um considerável upgrade. Mesmo que não haja grande ambientação surround (a maior parte do som vem do canal central) a mixagem faz um bom trabalho em ocasionalmente distribuir os efeitos sonoros e a música. Os diálogos são sempre claros, e os chiados e ruídos foram eliminados. Ainda que maior força nos graves fosse algo bem-vindo, o som de modo geral é claro e de boa fidelidade, e sempre é bom lembrar que este é um desenho feito há mais de 30 anos para a TV. Sob esta mesma ótica, a qualidade da imagem é melhor do que se poderia esperar, e mostra o ótimo trabalho de restauração feito pela Paramount. As maiores nitidez e resolução têm o efeito secundário de ocasionalmente realçar as sujeiras e imperfeições das transparências usadas na animação – na época a tecnologia digital ainda estava distante, e todo o processo era manual. As cores são vibrantes e firmes, os pretos sólidos, a granulação fica dentro dos imites esperados e não há artefatos de compressão digital visíveis.

OS EXTRAS
Os suplementos da Série Animada estão longe da quantidade e variedade dos presentes em outros boxes da franquia. Apesar de não considerá-las como extras, algumas prévias de lançamentos de Jornada nas Estrelas e The 4400 podem ser acessadas antes do carregamento do disco 1. Mas vamos aos que realmente interessam:

  • Comentários em Texto - Três episódios -"Yesteryear", "Eye of the Beholder" e "The Counter-Clock Incident" – podem ser assistidos com informações em texto, traduzidas para o português, compiladas por Michael e Denise Okuda. Como de hábito, são muitas curiosidades e informações interessantes sobre o universo de Star Trek e, no caso, sobre A Série Animada;

  • Comentários em Áudio - Outros três episódios podem ser assistidos com comentários em áudio, legendados em português. David Gerrold, o criador dos Pingos, é ouvido em "More Trouble, More Tribbles" e "Bem", que tiveram roteiros seus. O terceiro comentário é de David Wise em "How Sharper Than a Serpent's Tooth", que antes de criar as Tartarugas Ninja foi co-autor deste roteiro;

  • Galeria de Storyboards - O episódio “The Infinite Vulcan” traz uma galeria com alguns esboços de sua produção. Nada de muito relevante;

  • Animado Até a Fronteira Final - Making of de pouco mais de 24 minutos, trazendo depoimentos sobre a história do programa, feitos por roteiristas e produtores. Apesar de não trazer entrevistas com nenhum dos atores sem dúvida é o melhor extra, e nele é revelada a verdadeira razão para a ausência de Chekov na série;

  • A Conexão Jornada nas Estrelas - Com pouco mais de cinco minutos, trata-se de um conjunto de curtos featurettes (que via menu podem ser vistos separadamente ou em seqüência) sobre as ligações da Série Animada com a Série Clássica e as demais produções cinematográficas e televisivas da franquia;

  • Diário de Bordo da Série - Apenas em texto, traz algumas informações básicas sobre a produção da Série Animada. Como os menus não foram traduzidos para o português, este extra também está apenas em inglês.

MENUS
Os menus (alguns animados, outros estáticos) são bem desenhados, porém não foram traduzidos para o português.

DVDs COMENTADOS