O ENIGMA DE OUTRO MUNDO
Produção: 1982
Duração:
109 min.
Direção:
John Carpenter

Elenco:
Kurt Russell, Wilford Brimley, T.K. Carter, David Clennon, Keith David, Richard A. Dysart
Vídeo:
Widescreen Anamórfico 2.35:1 (1080p/VC-1)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 5.1), Francês, Italiano, Alemão (DTS 5.1), Espanhol (Dolby 2.0 mono)
Legendas: Português de Portugal, Inglês, Francês, Alemão, Espanhol, Japonês, Coreano, Sueco, Holandês, Norueguês e Mandarim
Nº de discos: 1
Região:
A, B, C
Distribuidora: Universal
Lançamento:
1º/12/2008

Cotações:
Filme -

Imagem:

Áudio:

Extras/Menus:

Média:

Comentários de
Jorge Saldanha

SINOPSE
A equipe de uma base científica norte-americana na Antártica presencia uma cena bizarra: homens de uma base norueguesa próxima caçam desesperadamente um simples cachorro. O helicóptero usado na caçada acaba explodindo, deixando os pesquisadores sem nenhuma explicação razoável para tudo aquilo. Durante a noite, porém, o cão sobrevivente sofre uma mutação e ataca os outros cachorros da base. Este seria apenas o prenúncio do terror que ainda estava por acontecer, já que os pesquisadores estão diante de uma terrível forma de vida alienígena que tem o poder de assumir a forma exata de suas vítimas. O pânico e a paranóia se instalam de maneira definitiva e mortal naquela isolada área gelada, onde ninguém mais é confiável.

COMENTÁRIOS
John Carpenter, da leva de cineastas que, a partir do final dos anos 1960, surgiram para se dedicar ao gênero fantástico, é o meu preferido. A partir de seu sucesso com o horror Halloween (1978), o cineasta realizou grandes filmes que iam do suspense fantástico (A Bruma Assassina, 1980) à aventura futurista (Fuga de Nova York, 1981). Tendo iniciado como diretor independente, sua oportunidade para trabalhar em um grande estúdio surgiu quando a Universal convidou-o para dirigir a refilmagem de O Monstro do Ártico (The Thing, 1951). Carpenter não titubeou em aceitar a oferta, até porque o filme original é um dos seus prediletos. Assim, ele convidou para o papel principal o ator Kurt Russel, com quem já trabalhara em Fuga de Nova York, arregimentou uma equipe de grandes talentos e realizou este O Enigma de Outro Mundo.

Em 1982, quando de seu lançamento nos cinemas, o filme foi injustamente classificado pela crítica americana, então empolgada com o bonzinho
E.T. de Steven Spielberg (que estreara duas semanas antes), como uma cópia inferior e mais violenta de Alien. O publico também não correspondeu nas bilheterias, mas no exterior o filme encontrou admiradores, sendo posteriormente redescoberto pelos americanos na TV e em vídeo. Hoje, The Thing é considerado um dos melhores filmes do gênero e o ponto mais alto na carreira do cultuado diretor, que graças a um roteiro conciso e aos espetaculares efeitos de maquiagem criados por Rob Bottin, é bem mais fiel ao conceito imaginado pelo escritor John W. Campbell Jr. no seu conto "Who Goes There", no qual se baseara o longa original.

Indiscutivelmente The Thing não pode ser considerado um filme para estômagos fracos, graças às cenas onde vemos on camera (não esqueça que, na época, inexistiam efeitos em computação gráfica) a criatura absorver suas vítimas e, gradualmente, assumir formas deformadas e monstruosas de cães e seres humanos. Mas engana-se quem achar que Carpenter baseia a eficácia de seu filme apenas nisso. Aqui ele mostra que sabe construir, de modo lento e muitas vezes exasperante, uma claustrofóbica trama de suspense e horror. Outro fator de apoio importantíssimo é a memorável trilha original do lendário maestro Ennio Morricone, que usa timbres de sintetizadores que remetem não apenas às composições que o próprio Carpenter criou para seus filmes anteriores, mas também à antológica de Goblin para Zombie – O Despertar dos Mortos (1978), de George Romero. O score, principalmente em seu tema principal, apresenta ritmos pulsantes, graves e lentos, transmitindo ao ouvinte um senso de iminente ameaça. Também emprega cordas agudas para, em determinados momentos, acentuar o suspense ou simplesmente criar um caos orquestral.

Da memorável seqüência de abertura ao som da música hipnótica de Morricone, onde vemos um cão percorrer a vasta planície nevada perseguido por um helicóptero, passando pelo memorável desempenho "Clint Eastwood" de Kurt Russell, as cenas claustrofóbicas e as apavorantes encarnações do monstro, O Enigma de Outro Mundo é um filme de exceção – do tipo que, no gênero, há muito tempo não se faz.
E dificilmente a prequel que está em planejamento na Universal, com roteiro de Ronald D. Moore (Battlestar Galactica), estará à sua altura.

O BD
O Enigma de Outro Mundo já teve vários lançamentos em home video, sendo os mais recentes (de alta definição) em HD-DVD e no vitorioso Blu-ray. No Brasil o filme foi primeiramente lançado em 2000, quando os títulos da Universal ainda eram distribuídos aqui pela Columbia (hoje Sony). Anos depois esta mesma edição (de colecionador) foi relançada pela Sony, porém trazendo a mesma transferência fullscreen letterbox extraída de uma matriz remasterizada ainda na época do laserdisc. Provavelmente a Universal nunca colocará aqui em DVD a versão anamórfica disponível lá fora, mas agora que está iniciando seus lançamentos em alta definição no Brasil, quem sabe lance o filme em Blu-ray, que sem dúvida traz a melhor apresentação do filme até hoje.

A versão comercializada nos EUA não traz legendas em português, além de omitir parte dos extras que estavam disponíveis na Edição de Colecionador em DVD. Melhor é esta edição lançada em dezembro de 2008 na Inglaterra (BD-25, de camada simples), Free Zone, que traz legendas em português de Portugal tanto no filme como nos extras. Pelo que consta a transferência widescreen anamórfica 1080p/VC-1, no aspect ratio original 2.35:1, é a mesma do HD DVD, e quanto a ela não há do que reclamar. Como já disse, temos aqui a melhor apresentação em vídeo do filme, apesar de ocasionalmente notarmos um pouco de ruídos e granulação nas cenas de composição de imagens – problemas inerentes à fonte que, em alta definição, tornam-se mais perceptíveis. Mas quanto à transferência em si, ela é de elevada qualidade e acentua a atmosfera sombria do filme, com seus exteriores brancos e gelados e interiores de pouca variação cromática, onde eventualmente temos lampejos de cores mais fortes – principalmente nas cenas sangrentas e quando surge a criatura. Os pretos são fortes, e o contraste consistente por toda a escala de cinza. Os níveis de detalhe e profundidade são muito bons, talvez um pouco suaves para os padrões atuais, mas para um filme que se aproxima das três décadas de idade, são mais do que satisfatórios.

Também no áudio temos a melhor transposição do filme para home video. A faixa original em inglês é uma lossless DTS-HD Master Audio 5.1 que realça, sobremaneira, a música de Morricone – que sem dúvida é um dos destaques do filme. Ela é ouvida de forma clara, nítida e precisa, com graves robustos e preenchendo todo o ambiente. Os efeitos sonoros também ganham um considerável upgrade, o que notamos já na abertura, quando o disco voador da criatura cruza a tela e o nosso campo auditivo, em direção à Terra. Tiros, ruídos de helicópteros e explosões nunca soaram tão bem. A mixagem também é muito eficaz para criar uma ambientação discreta com os sons do gelado vento ártico, que ouvimos de tempos em tempos, ajudando a criar um apreciável senso de realismo. Os diálogos são sempre nítidos, e apesar de não termos aqui uma mixagem multicanal típica de um blockbuster dos dias de hoje, ainda assim ela não faz feio frente aos requerimentos do filme. As demais faixas de áudio disponíveis são francês, italiano, alemão (DTS 5.1) e espanhol (Dolby 2.0 mono).

Por fim, uma palavra sobre menus e legendas – os primeiros, animados e unicamente em inglês, obedecem ao padrão dos Blu-rays da Universal, de estilo elegante e bonito. Há uma versão reduzida de forma pop-up que pode ser acessada durante a reprodução do filme, que tem opções de legendas em português de Portugal, inglês, francês, alemão, espanhol, japonês, coreano, sueco, holandês, norueguês e mandarim.

OS EXTRAS
Este BD inglês traz praticamente todos os extras da antiga Edição de Colecionador de O Enigma de Outro Mundo. Exceto pelo material PIP, em alta definição e sem legendas, todos os vídeos estão em resolução 480p, com imagem fullscreen ou letterbox e áudio em inglês.

  • Comentários em áudio - John Carpenter e Kurt Russell participam desta animada faixa de comentários, e sua camaradagem torna-se óbvia desde o início. Também parceiros em Fuga de Nova York (1981), Aventureiros do Bairro Proibido (1986) e Fuga de Los Angeles, eles ajudam a tornar o que poderia ser uma discussão séria sobre um assunto árido numa conversa jovial, sarcástica e por vezes hilária – como nas referências de Russell ao sangue e tripas de algumas cenas. Mas também há informações legais sobre a produção, como as difíceis filmagens em locação e os fantásticos efeitos de Rob Bottin. É um extra obrigatório, até porque está com legendas em português (ainda que lusitano);

  • Terror Takes Shape: The Making of The Thing (85 min.) – Realizado para o lançamento do filme em laserdisc nos anos 1990, este ainda hoje é um dos melhores documentários já feitos sobre um filme de horror ou ficção cientifica. Ele traz depoimentos de John Carpenter, Rob Bottin, do diretor de fotografia Dean Cundey (outro habitual colaborador do diretor), de Kurt Russell e da maioria do elenco. Nenhum assunto é evitado, desde as dificuldades nas filmagens até a reação irada da crítica após seu lançamento. Possui a opção de legendas em português (PT);

  • U-Control – Faixa PIP que requer um reprodutor Blu-ray já atualizado para o “Profile 1.1”. Quando acionada (via menu ou controle remoto), uma janela pop-up surgirá intermitentemente durante o filme, exibindo depoimentos de Carpenter, elenco e equipe de produção. O detalhe é que este material (ou sua maior parte) foi retirado do making of “Terror Takes Shape” já referido acima, disponível na íntegra neste BD inglês e que, portanto, torna este extra – que não possui opção de legendas - redundante;

  • MyScenes – Recurso comum nos BDs da Universal, que dá a opção de que você marque e salve seus capítulos favoritos para acesso posterior, mesmo após retirar o disco do reprodutor. Também permite que você compartilhe suas cenas com outros na internet, se o reprodutor for compatível com BD-Live.

  • Completando os extras temos: uma grande galeria de imagens, com textos em inglês, dividida em seis seções ("Production Background Archive", "Cast Production Photographs", "Production Art and Storyboards", "Location Design", Production Archive” e "Post Production"; e vídeos de cenas não utilizadas ("The Blairmonster," "The Saucer", "Outtakes") e o trailer original de cinema, tudo em resolução 480p e qualidade de imagem medíocre.

DVDs / BDs COMENTADOS