JORNADA NAS ESTRELAS: A SÉRIE CLÁSSICA - TEMPORADAS COMPLETAS
Direção: Vários
Elenco:
William Shatner, Leonard Nimoy, DeForest Kelley, George Takei, James Doohan, Nichelle Nichols
Distribuidora: Paramount
Duração: 4070 min.

Região: 4

Lançamento: 2005

Nº de discos: 22
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

A SÉRIE
No século XXIII a nave estelar Enterprise, comandada pelo Capitão James T. Kirk (William Shatner), vai audaciosamente onde nenhum homem jamais esteve em busca de novas vidas, novas civilizações. Auxiliando o Capitão em suas decisões de comando estão o lógico Oficial de Ciências vulcano Sr. Spock (Leonard Nimoy), e o impulsivo e extremamente humano Dr. Leonard McCoy (DeForest Kelley).

“Espaço, a Fronteira Final. Estas são as viagens da nave estelar Enterprise, em sua missão de 5 anos...”  Por três temporadas a partir de 1966, a narração de William Shatner introduzia as aventuras semanais da nave da Federação dos Planetas Unidos Enterprise, na série original concebida por Gene Roddenberry que, de lá para cá, deu origem a dez filmes para o cinema e mais quatro séries de TV derivadas (sem contar uma série em animação). Apesar de nunca ter sido considerada um sucesso na época de sua exibição, e mesmo com orçamentos baixos, Jornada nas Estrelas foi um marco para a televisão, um verdadeiro clássico que, mesmo depois de seu cancelamento, através das reprises, continuou conquistando uma legião de fãs ao redor do mundo. Aqui no Brasil, a Série Original foi a mais exibida e, dentre todas as produções da franquia, continua sendo a mais popular. Revendo agora as três temporadas em DVD, as razões de tal perenidade são evidentes: em que pesem os efeitos especiais canhestros e cenários e figurinos de segunda, a série extrai sua força basicamente da empatia e sintonia do trio de personagens principais, e de ótimos roteiros criados por profissionais como David Gerrold, Harlan Ellison e Dorothy (D. C.) Fontana. Dando uma rápida passada nos 79 episódios da série, encontramos não algumas, mas várias pérolas: "O Ardil Corbomite", "A Coleção" (o único episódio em duas partes da série, no qual foi aproveitado praticamente todo o primeiro episódio piloto, "The Cage", estrelado por Jeffrey Hunter e nunca exibido na íntegra), "O Equilíbrio do Terror" (surgem os romulanos!), "Semente do Espaço" (Khan!), aquele que é considerado o melhor episódio da série, o ganhador do Prêmio Hugo "A Cidade à Beira da Eternidade" (nos EUA da época da Depressão Kirk apaixona-se por uma pacifista e, ao salvá-la da morte, muda o futuro da Terra), "Tempo de Loucura" (Pon-Farr!), "Máquina da Destruição", e por aí vai. A terceira temporada, produzida apenas após uma campanha dos fãs, que entupiram a produtora Desilu de cartas, é considerada a mais fraca. Isto porque Roddenberry, após ver a série ser colocada num dia e horário ruins (sextas às 22h), afastou-se em busca de novos projetos e deixou de supervisionar pessoalmente os roteiros. Como resultado, vieram episódios como "O Cérebro de Spock" e "Caminho para o Éden", execrados pelos fãs - mas ainda assim, divertidos. Contudo, mesmo com roteiros de padrão inferior, se comparados aos das duas temporadas anteriores, e com orçamentos cada vez mais reduzidos, em seu último ano Jornada nas Estrelas também trouxe episódios memoráveis como "O Incidente Enterprise", "Síndrome do Paraíso", "A Teia Tholiana", "Elaan de Troyus" e "Todos os Nossos Ontens".


O DVD

Foi preciso que antes a Fox lançasse com sucesso Perdidos no Espaço no Brasil para que a Paramount, finalmente, ficasse convencida de que temos mercado para séries clássicas em DVD, e tomasse a coragem de disponibilizar as séries de Jornada nas Estrelas por aqui também. E os lançamentos vieram em boxes praticamente idênticos aos lançados no exterior – inclusive com a interessante embalagens plásticas coloridas importadas (importante: as tiragens posteriores não incluem as embalagens plásticas: os DVDs vêm em boxes digistak comuns). Dentro, junto com os suportes de fixação dos discos, há um encarte contendo a relação e o resumo dos episódios, a lista dos extras e notas sobre fatos da série - o Comando da Frota Estelar, os romulanos, os klingons, etc. Antes destes boxes, a Paramount já havia lançado a série, nos EUA, em 40 discos individuais, com os episódios apresentados em sua ordem cronológica de produção. Já nestes box-sets, a série é apresentada na ordem em que foi originalmente exibida pela rede NBC – o que faz com que, por exemplo, o segundo piloto "Onde Nenhum Homem Jamais Esteve" seja o terceiro episódio do disco 1 da primeira temporada. Acho isto um tanto aborrecido, até porque os episódios permanecem numerados pela ordem de produção, o que gera uma certa confusão visual no menu; contudo este é um problema menor, tendo em vista o capricho dispensado ao produto. Os menus animados, por exemplo, são excelentes. Quando os discos carregam, a Enterprise surge voando pelo espaço, ao som da memorável fanfarra do tema musical de Alexander Courage e da narração de Shatner “Space, the Final Frontier...”. Em seguida somos levados para a ponte de comando, recriada à perfeição em CGI (inclusive com os sons característicos de fundo), onde a câmera gira até sermos posicionados frente à tela principal, que mostra a relação de conteúdo do DVD. São quatro episódios por disco, exceto nos últimos de cada box, que além de incluírem episódios contém a maior parte dos extras. O formato de tela é o fullscreen 1.33:1 original, e a qualidade da imagem, após a restauração, é mais do que satisfatória.  Do mesmo modo que ocorreu com os DVDs de Perdidos no Espaço, os 40 anos de idade do material deixaram marcas (principalmente nas tomadas de efeitos especiais, onde são perceptíveis sujeiras e arranhões), mas de qualquer maneira a qualidade visual ainda é muito superior à de qualquer exibição da série na TV do Brasil. Alguns episódios da segunda temporada não parecem ter sido tão bem restaurados, mas não chegam a comprometer. Selecionando cada episódio somos levados às  opções de configuração de idiomas (Comunicador), seleção de cenas (Diário de Bordo) e trailer (cada episódio possui um, chamado "Star Trek Next Voyage"). Todos os episódios possuem áudio em inglês - este, remasterizado em Dolby Digital 5.1 a partir das fitas originais, é o de melhor qualidade, sem nenhum chiado audível e até com alguns efeitos surround -, espanhol e português (ambos em Dolby 2.0 mono). A dublagem em português disponibilizada é a feita pela VTI-Rio, que após também passar por um processo de recuperação, está melhor do que quando ouvida na televisão. Lamentavelmente a dublagem original dos anos 60, da AIC-SP, foi destruída num incêndio e apenas parte dela existe no acervo em VHS de fãs. As legendas disponíveis são português, inglês e espanhol.

OS EXTRAS
Como de praxe, a Paramount segue legendando em português todo o material extra de seus lançamentos. Do mesmo modo que nas Edições Especiais dos filmes de Jornada nas Estrelas, em vários episódios temos comentários em texto dos especialistas Michael e Denise Okuda, repletos de informações e trivias. Mas o principal está reunido no último disco de cada box: são documentários e featurettes (com vídeo fullscreen ou letterbox e áudio em inglês 2.0) que, abordando determinados aspectos da série, reúnem depoimentos recentes ou de arquivo de membros do elenco e da equipe de produção. Na primeira temporada temos O Nascimento de um Legado Histórico, documentário de 24 minutos sobre a criação de Jornada nas Estrelas, enfatizando a produção dos pilotos "The Cage" e "Onde Nenhum Homem Jamais Esteve". Entre os depoimentos, os de Robert Justman e do já falecido Gene Roddenberry, em entrevista de 1988. Já Visionários da Ficção Científica, em 17 minutos, trata da equipe de roteiristas da série, que por ser em boa parte composta por escritores de FC, criou tramas cientificamente plausíveis e sérias. D. C. Fontana, John D.F. Black e Robert Justman dão seus depoimentos. Além destes e de outros extras específicos para cada temporada, os boxes apresentam algumas "seções" fixas de featurettes. Em A Vida Depois de Jornada, um ator fala sobre seu hobby: na primeira, ouvimos William Shatner falar sobre sua paixão por cavalos; na segunda, Leonard Nimoy mostra seus projetos fotográficos; e na terceira, Walter Koenig (Chekov) apresenta suas coleções de buttons, gibis, Star Trek, etc. Já Audaciosamente Indo são documentários para cada temporada, cada um dos três com aproximadamente 20 minutos, contendo informações sobre a a série, depoimentos da equipe e citações dos melhores episódios de cada ano. Diário de Fotos são galerias de fotos de divulgação da série e storyboards. Além disso, em cada disco de extras há de quatro a seis easter eggs Red Shirt Logs, bem fáceis de achar (é só navegar com o controle que alguns dos painéis ficarão verdes), com depoimentos de atores e trivialidades da série. Infelizmente, nenhum box traz os famosos "Star Trek Bloopers" (erros de gravação). Na terceira temporada, o disco de extras também inclui duas versões do piloto original de 60 minutos "The Cage" (batizado de "Jornada nas Estrelas: Onde Tudo Começou"): a versão original (utilizada para vender o conceito aos executivos do estúdio), com introdução de Gene Roddenberry, possui qualidade de imagem "histórica", alternando cenas em preto e branco e coloridas; já a versão restaurada, totalmente a cores, apresenta qualidade de som (apenas em inglês, com legendas) e imagem bem superior.

MENUS

DVDs COMENTADOS