TRÊS HOMENS EM CONFLITO (EDIÇÃO DE COLECIONADOR)
Direção: Sergio Leone
Elenco:
Clint Eastwood, Eli Wallach, Lee Van Cleef 
Distribuidora: Fox/MGM
Duração:
 179 min

Região: 4

Lançamento: 26/07/2004

Nº de discos: 2
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

o filme
Em meados dos anos 60, o cinema italiano havia falido após ter produzido uma série de filmes épicos caros que naufragaram nas bilheterias. O western spaghetti então já existia, mas eram filmes muito baratos e que raramente eram exibidos fora da Itália. O destino do gênero e da própria indústria cinematográfica italiana começou a mudar em 1964, quando o diretor Sergio Leone, um apaixonado pelo western norte-americano, lançou Por um Punhado de Dólares. O filme foi um grande sucesso que, além de revelar Clint Eastwood (ex-astro da série de TV Rawhide) no papel do "Pistoleiro Sem Nome", levou o western spaghetti ao mercado norte-americano e, por extensão, ao resto do mundo. No ano seguinte Leone deu seguimento ao que seria uma trilogia, com Por uns Dólares a Mais, juntando a Eastwood Lee Van Cleef, que nos EUA era conhecido apenas por papéis de coadjuvante. Finalmente, em 1966, a trilogia que mudaria para sempre a linguagem do western foi concluída com o ambicioso Três Homens em Conflito, estrelado por Eastood, Van Cleef e Eli Wallach, conhecido à época por ter sido o vilão Calvera no clássico western norte-americano de 1960, Sete Homens e um Destino. Tendo como pano de fundo um episódio pouco conhecido da Guerra Civil americana que ocorreu no Novo México, o filme mostra a busca de três pistoleiros (o Bom, o Mau e o Feio do título original, interpretados respectivamente por Eastwood, Van Cleef e Wallach) por oito sacolas roubadas cheias de moedas de ouro, que foram escondidas na cova de um soldado Confederado. O Feio (Tuco) sabe a localização do cemitério, o Bom (Blondie) sabe o nome que está no túmulo do soldado, e o Mau (Angel Eyes) apenas quer o ouro, custe o que custar. Até chegar ao climático duelo final no cemitério, os três vão se envolver em muitas aventuras, emboscadas e traições que transcorrem paralelamente à Guerra Civil. Leone criou um longo e estilizado filme que por muitos é considerado o melhor e mais bem dirigido western já feito. Seja isso verdade ou não, o fato é que The Good, The Bad and The Ugly apresenta Leone, o trio de protagonistas (em especial Wallach) e "Il Maestro" Ennio Morricone, autor das antológicas trilhas sonoras da trilogia, em grande forma. A fotografia é espetacular, seja nas cenas de batalha como nas que Leone explora, como só ele sabe fazer, a amplidão das paisagens (da Espanha, bem convincentes como o oeste americano) e os longos closes nos rostos dos atores. O nível de ambição, perfeccionismo e detalhismo na produção de Três Homens em Conflito somente seria ultrapassado por Leone em Era Uma Vez no Oeste (1968), outra de suas obras-primas.

O DVD
Dada a importância do filme, esta Edição de Colecionador de Três Homens em Conflito, com 2 DVDs, é mais do que merecida e bem-vinda. Ela contém uma versão estendida, com 18 minutos adicionais de cenas anteriormente disponíveis apenas na cópia originalmente exibida na estréia italiana, deixando o filme, portanto, com praticamente três horas de duração. A partir dos negativos originais em Techniscope, os técnicos da MGM restauraram e remasterizaram as imagens, e a dublagem em inglês também recebeu tratamento especial, sendo remasterizada em 5.1 canais. Como não havia áudio em inglês para as cenas acrescentadas, Clint Eastwood e Eli Wallach tiveram que recriar seus diálogos, e o falecido Lee Van Cleef foi substituído pelo ator Simon Prescott. O resultado é convincente, mesmo que Eastwood e Wallach claramente soem mais velhos. Além do áudio em inglês temos áudio em espanhol Dolby 2.0 e a dublagem em português (que apesar de constar na embalagem como Dolby Surround 2.0, para mim é mono), feita para a versão do filme exibida na TV e que igualmente não incluía as cenas agora acrescentadas. Nestes momentos, ouve-se apenas áudio em inglês. No disco 1 temos o filme, apresentado em uma exemplar transferência widescreen anamórfica 2.35:1. A imagem é brilhante, bem detalhada e com cores vivas. Há imperfeições em alguns trechos, oriundas dos elementos originais utilizados na restauração, mas que devem ser relevadas em razão de tratar-se de um filme com quase 40 anos. O mérito maior do áudio Dolby Digital 5.1, que inclui alguns novos efeitos surround e de sub-woofer, é destacar o score de Morricone, que apenas não soa melhor porque na faixa de áudio original a música não foi separada dos efeitos sonoros, o que limitou a separação dos canais na remasterização. As legendas estão disponíveis em português, espanhol e inglês. A embalagem plástica dos discos é envolta por uma luva de cartolina, e em relação à edição da Região 1 a brasileira perdeu um encarte de oito páginas com comentários do crítico Roger Ebert, e uma série de cards com reproduções dos posters do filme em várias línguas.

OS EXTRAS
Felizmente, no que se refere aos extras, a versão nacional deste lançamento é idêntica à norte-americana. No disco 1 temos, durante o filme, comentários em áudio com o historiador Richard Schickel, sem legendas em português. Mas o melhor está no disco 2: os featurettes "O Oeste de Leone (20 minutos) e  "O estilo de Leone" (24 minutos) nos dão algumas interessantes informações sobre a produção do filme e sobre o diretor, com depoimentos atuais e de arquivo de Eastwood, Wallach, membros da equipe, do produtor e do próprio Leone. Wallach, por exemplo, nos informa que, no set de filmagens, os astros norte-americanos falavam em inglês, e os demais atores, em italiano. Vemos inclusive uma cena em que Tuco fala em inglês com o seu irmão padre, que lhe responde em italiano... Já "O Homem que perdeu a Guerra Civil" (14 minutos) é focado no episódio verídico que Leone utilizou como pano de fundo para o filme, enquanto que em "Reconstruindo Três Homens em Conflito" (11 minutos) ficamos conhecendo um pouco do processo de reconstrução da versão estendida do filme - que chegou a ser exibida nos cinemas dos EUA em 2003. Para os fãs de trilhas sonoras, "Il Maestro: Ennio Morricone e The God, The Bad and the Ugly" (8 minutos) é um imperdível featurette onde o especialista Jon Burlingame fornece algumas informações interessantes sobre Morricone, sua parceria com Leone e a trilha de The Good, The Bad and The Ugly. Por exemplo, ficamos sabendo que, neste filme, Morricone começou a trabalhar antes mesmo do início das filmagens, e quando elas começaram os temas principais já estavam compostos, sendo que Leone adaptava as cenas à música (e não o contrário, como é a regra). Também é interessante sabermos como a música de Morricone buscava, em vários trechos, reproduzir alguns sons de animais presentes no filme. De lamentar, apenas, a ausência de pelo menos um depoimento do próprio Morricone sobre o seu trabalho. Em "Cenas Deletadas" temos a cena completa do espancamento de Eli Wallach (que teve de ser reduzida na versão restaurada, devido ao mal estado de conservação dos negativos originais), a reconstrução da cena da cidade de Socorro (cujas filmagens não foram concluídas) e um trailer de cinema francês que inclui alguns trechos inéditos desta cena. Completam os extras uma pequena galeria de fotos (posters) e trailers de Três Homens em Conflito e outros filmes da MGM.

MENUS

DVDs COMENTADOS