TWIN PEAKS - SEGUNDA TEMPORADA
Direção: David Lynch, Vários
Elenco:
Kyle MacLachlan, Michael Ontkean, Mädchen Amick, Dana Ashbrook, Richard Beymer, Lara Flynn Boyle, Sherilyn Fenn, Warren Frost, Sheryl Lee, David Duchovny
Duração: 1081 min.
Distribuidora: Paramount

Região: 4

Lançamento: 24/04/2007

Nº de discos: 6
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

A SÉRIE
Ao final da primeira temporada, o agente do FBI Dale Cooper (Kyle MacLachlan), que investigava o assassinato da jovem estudante Laura Palmer ( Sheryl Lee) na cidadezinha de Twin Peaks, fora alvejado por um misterioso pistoleiro. Sobrevivendo ao atentado, Cooper recebe algumas estranhas pistas sobre o assassinato vindas de um gigante (Carel Struycken), que surge durante sua recuperação. O diário de Laura Palmer é descoberto, e um novo e brutal crime revela a verdadeira – e surpreendente – identidade do assassino. Cooper acaba sendo suspenso por sua incursão ilegal no bordel Jack Caolho, mas o surgimento de um novo mistério a desvendar faz com que ele permaneça em Twin Peaks.

A primeira temporada de Twin Peaks (na verdade, uma mid season) é considerada uma das produções mais criativas da história da televisão, tendo lançado o enigma "Quem matou Laura Palmer" (além, é claro do "Quem atirou no Agente Cooper?"), e ao final do sétimo episódio a trama estava longe de sua conclusão, sendo produzidos mais 22 episódios tão surpreendentes quanto esquisitos. No desenrolar desta temporada ficou comprovado que o mistério original não poderia se prolongar por muito tempo, sob pena de frustrar os impacientes telespectadores (alguém aí falou em Lost?). Assim, após o nono episódio desta temporada, que até então vinha mantendo o mesmo nível da inicial, o assassinato já foi solucionado. A verdade sobre o misterioso Bob e a identidade do assassino de Laura e sua prima Maddy surgem para o espectador em momentos tão (ou mais) memoráveis quanto os melhores da primeira temporada. Após isso, na tentativa de substituir o mistério já solucionado, o foco dos episódios passou para novas tramas envolvendo personagens secundários, com direito até a conspirações alienígenas e a participação de David Duchovny, de Arquivo X, interpretando o hilário agente travesti Dennis/Denise Bryson. Mesmo aparecendo ocasionalmente como o chefe de Cooper, Gordon Cole, o diretor David Lynch, envolvido à época com as filmagens de Coração Selvagem (longa com o qual viria a ganhar a Palma de Ouro no Festival de Cannes), afastou-se da criação e delegou a uma nova equipe as tarefas de dirigir e escrever a série. Um programa de computador com as diretrizes básicas do enredo e as características dos personagens era seguido por todos, para tentar manter a unidade da trama. Porém os índices de audiência despencaram, apesar de restarem na série elementos de interesse, como o jogo de gato e rato entre o agora auxiliar do Xerife Cooper e seu ex-mentor Windom Earle (Kenneth Welsh) e o mistério de White/Black Lodge. Aliás, a série encerra com outro cliffhanger envolvendo Cooper, indicando que havia a intenção de que ela fosse renovada. Infelizmente o estrago provocado pela baixa audiência já estava feito, e Twin Peaks só retornaria dois anos depois, mas via cinema, na instigante prequel Twin Peaks: Os Últimos dias de Laura Palmer. Enfim, esta segunda e mais longa temporada, apesar de ter perdido o pique inicial, merece ser conferida por todos os que são fãs desta cultuada série. E para aqueles que nunca a viram, ou só conhecem a versão picotada exibida pela Globo nos anos 1990, recomendo que a assistam na íntegra.

O DVD
A segunda temporada de Twin Peaks chega em DVD no Brasil praticamente três anos após o lançamento da primeira, mas quase simultaneamente com os EUA. E nós ainda temos a vantagem de o piloto da série ter sido incluído no box da primeira temporada, o que não aconteceu por lá. Os 22 episódios da temporada (que não possuem nome e são identificados apenas por seu número seqüencial, sendo que o primeiro do box é o 8) estão distribuídos em seis discos, armazenados em embalagens amaray slim individuais que trazem na capa imagens de personagens da série, envoltas pela tradicional luva de papelão. Tecnicamente o box nacional é idêntico ao da Região 1, que tambérm possui áudio e legendas em português. Os episódios, em seu formato original full 1.33 :1, foram remasterizados em alta definição, e pelo que consta as transferências foram supervisionadas e aprovadas pelo próprio David Lynch. A qualidade da imagem é excelente (os episódios parecem ter sido filmados ontem), com defeitos de película praticamente inexistentes, e nenhum artefato de compressão. A nova faixa de áudio em inglês 5.1 possui alta qualidade, com graves robustos e boa espacialidade. Mas por vezes os diálogos soam um pouco baixos, com o som claramente privilegiando a música, que possui grande relevância na série original. Apesar de identificadas nos menus como 2.0, as dublagens em português e espanhol são mono, porém de boa qualidade. Falando em menus, estes são animados e soturnos, bem de acordo com o clima estranho da série. Os episódios estão divididos em capítulos, mas os menus não trazem a opção de seleção de cenas. Estão disponíveis legendas em português, inglês e espanhol.

OS EXTRAS
Os primeiros extras do box, se é que assim podem ser consideradas, são as "Introduções da Senhora do Tronco" criadas por David Lynch quando Twin Peaks passou a ser exibida na TV a cabo dos EUA. São pequenas vinhetas filmadas com a atriz Catherine E. Coulson (já presentes no box da primeira temporada), que o espectador pode assistir antes de cada episódio ou separadamente. Apesar de interessantes, são dispensáveis, e por não terem sido remasterizadas como os episódios, possuem qualidade de imagem bem inferior. Além das vinhetas, cada disco traz uma curta entrevista com um membro da equipe de criação da série. No disco 1 temos Jennifer Lynch, filha de David Lynch e autora do "Diário de Laura Palmer" (3:49min.). Ela fala do processo de criação da história de Laura Palmer, ressaltando que em determinado momento ela era uma das três únicas pessoas que sabiam a identidade do assassino. Todd Holland, diretor dos episódios 11 e 20, está no disco 2 (4:13min.), revelando como surgiu a memorável abertura do episódio 11. O disco três apresenta Caleb Deschanel, diretor dos episódios 15 e 19 (4:22min.), que em entre outras coisas afirma que a série é mais realista do que se pensa. Dwayne Dunham, diretor dos episódios 18 e 25, é o entrevistado do disco 4, e fala sobre a durabilidade da série e revela que o título original do piloto era "Northwest Passage". O diretor do episódio 27, Stephen Gyllenhaal, fala sobre o elenco no disco 5 (3:45), e finalmente no disco 6 temos o depoimento do diretor dos episódios 16 e 28, Tim Hunter (2:44). O disco 6 traz ainda uma "Grade Interativa" que inclui entrevistas com Kyle MacLachlan, Madchen Amick, Sherilyn Fenn, Dana Ashbrook, Gary Hershberger, James Marshall, David Duchovny, Kimmy Robertson, Don Davis, Mary Jo Deschanel, Lenny Von Dohlen e Charlotte Stewart. As entrevistas são divididas em três assuntos: "Origem", "Produção" e "Legado". A grade permite que o espectador crie seu próprio modo de assistir as entrevistas, que no total somam 38:55min. de duração e, para mim, são o ponto alto dos extras deste box – todos, aliás, com áudio em inglês 2.0 e legendas em português. À exceção das "Introduções da Senhora do Tronco" os extras possuem vídeo widescreen anamórfico, e o interessante é que os trechos dos episódios neles mostrados foram convertidos para este formato de tela, com excelentes resultados.

MENUS

DVDs COMENTADOS