GUERRA DOS MUNDOS (1953, EDIÇÃO DE COLECIONADOR)
Direção: Byron Haskin
Elenco:
Gene Barry, Ann Robinson, Les Tremaine
Distribuidora: Paramount
Duração: 85 min.

Região: 4

Lançamento: 08/11/2005

Nº de discos: 1
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

O FILME
Marte é um planeta moribundo e a única esperança de sobrevivência para seus habitantes, mais avançados tecnologicamente que a humanidade, é emigrarem para a Terra. A invasão dos marcianos começa quando um grande meteoro cai na zona rural de uma cidadezinha americana, o que é presenciado por várias pessoas. Mais tarde, o meteoro é visitado pelos habitantes, autoridades locais e pelo Dr. Clayton Forrester (Gene Barry), um cientista que estava pescando perto dali. Já à noite, três homens ficam de guarda, e espantados testemunham a saída, de dentro do meteoro, de uma cabeça semelhante à de uma cobra, sustentada por um fino e longo pescoço. Tentando demonstrar intenções pacíficas, são desintegrados por um raio de energia, que por um efeito eletromagnético deixa toda a cidade às escuras. O Xerife, atendendo aos conselhos de Forrester, convoca o exército. As tropas cercam três Máquinas de Guerra Marcianas, que estavam no meteoro e agora começavam a avançar. Na cena mais simbólica do filme, o Pastor Collins avança em direção aos marcianos com a Bíblia nas mãos, disposto a dialogar com os misteriosos mas inteligentes seres. Collins é impiedosamente desintegrado por raios de energia, ao mesmo tempo em que as baterias do exército abrem fogo. O exército é dizimado, e nada parece funcionar contra as temíveis máquinas, nem mesmo a bomba-A.

Guerra dos Mundos
(War of The Worlds), produção da Paramount de 1953 baseada na novela de H. G. Wells publicada em 1897, foi o primeiro filme a retratar uma invasão alienígena à Terra. E apesar de não ser a única realização do período a lidar com a iminente destruição da humanidade, sua objetividade narrativa e as idéias originais de Wells garantiram um impacto duradouro. No filme, dirigido por Byron Haskin já em plena Guerra Fria, as Máquinas de Guerra Marcianas, que no livro eram símbolos do colonialismo inglês e da tecnologia levada ao extremo, passaram a representar a ameaça comunista (vermelha como Marte). Guerra dos Mundos é fruto da criação do produtor e mestre de efeitos especiais George Pal, que realizou filmes memoráveis como Da Terra à Lua (1950), Colisão Entre Planetas (1951) e outra célebre adaptação de H. G. Wells, A Máquina do Tempo (1960). O filme adota o mesmo tratamento dado à obra por Orson Welles (Cidadão Kane) na famosa adaptação radiofônica de 1938, situando a história na época atual, mudando o cenário da ação da Inglaterra para os Estados Unidos. À época um marco no avanço dos efeitos especiais, Guerra dos Mundos, juntamente com King Kong, foi a inspiração para nove entre dez técnicos que posteriormente passaram a trabalhar no ramo. Apesar de o especialista em efeitos especiais Gordon Jennings inicialmente tentar criar as máquinas marcianas em sua forma trípode, como no livro, George Pal achou que o efeito obtido seria muito caro e dificilmente pareceria realista na tela. Decidiu então que os marcianos tripulariam veículos flutuantes em forma de arraia, que seriam manipulados e suspensos pelos técnicos por cabos invisíveis (nem sempre tão invisíveis, principalmente na maior resolução do DVD). Em termos de construção, os modelos das naves eram pequenas maravilhas eletrônicas. A "cabeça de cobra" que lançava os raios de energia era controlada por controle remoto. Os comandos eram enviados pelos mesmos cabos que davam sustentação às miniaturas, que estavam presos a uma plataforma móvel que movimentava-se pelo cenário, a fim de criar o movimento suave das naves. Os raios de energia foram obtidos com o uso de tochas de acetileno aplicadas em metal, posteriormente adicionados às "cabeças de cobra" por efeitos óticos. As cenas de destruição em massa à época não tinham paralelo, e foram obtidas através da combinação de efeitos óticos, pinturas de fundo e detalhadas miniaturas. O filme custou razoáveis U$ 2 milhões, destes indo U$ 1,3 milhão para os efeitos especiais, e foi um grande sucesso de bilheteria, sendo indicado para os Oscars de Melhor Som e Melhor Edição, tendo Gordon Jennings, que morreu logo após a conclusão das filmagens, recebido o prêmio póstumo por Efeitos Especiais. Apesar de hoje já estar datado, Apesar de hoje já estar datado, na época o filme foi uma vívida e aterrorizante adaptação da obra de Wells, realçada por efeitos visuais e sonoros então revolucionários e pela competente música de Leith Stevens. Para aqueles que, como eu, conseguiram assisti-lo num cinema (tive essa sorte nos anos 60, quando tinha uns 10, 11 anos de idade), ele continuará sendo memorável, superior inclusive à nova versão de Spielberg.


O DVD
A Paramount já havia disponibilizado Guerra dos Mundos por aqui, em 2002, num DVD acanhado, tecnicamente razoável mas trazendo apenas um trailer de extra. Agora, para coincidir com o lançamento da nova versão de Steven Spielberg em DVD, a distribuidora lançou quase que simultaneamente uma nova "Edição Especial de Colecionador" do filme de 1953, que se não é perfeita, pelo menos faz justiça a este clássico sci-fi. O filme é apresentado em seu formato de vídeo original full 1.33:1, com áudio  Dolby Digital 2.0 em inglês, português e espanhol, e vários extras. A nova transferência é claramente superior à do DVD anterior, perfeitamente estável, nítida e livre de granulação. As cores, registradas em glorioso Technicolor, são vivas. Artefatos de compressão, se existentes, são imperceptíveis. A melhoria de imagem, contudo, trouxe um efeito colateral - os cabos de sustentação das naves marcianas nunca estiveram tão visíveis. O áudio Dolby 2.0 igualmente é um grande avanço em relação ao disco antigo. Não que haja grandes efeitos surround (que são esparsos mas efetivos) ou graves explosivos. Mas temos uma espacialidade razoável e uma maior fidelidade sonora, que destaca a trilha musical e os geniais efeitos sonoros da Máquinas Marcianas. Os mais puristas poderão reclamar a ausência do áudio original mono (do DVD antigo), mas se é para escolher ele e a nova faixa 2.0, fico com ela. Também estão disponíveis dublagens em português e espanhol (2.0). 

OS EXTRAS
Uma das razões pelas quais este DVD faz justiça ao filme são os extras, praticamente inexistentes na edição antiga. Apesar de não serem muito abundantes, são imperdíveis por resgatarem a história da produção, inclusive através das próprias palavras de alguns dos profissionais que dela participaram. São eles:

Comentários de áudio - Temos não uma, mas duas faixas de comentários de áudio, ambas legendadas em português: uma com os atores Ann Robinson e Gene Barry, que relembram os tempos da filmagem, contam anedotas e inclusive dão algumas informações técnicas sobre a produção; a outra, conta com a participação de Joe Dante (diretor de filmes como Viagem ao Mundo dos Sonhos e Gremlins), do historiador Bob Burns e de Bill Warren, autor do livro Keep Watching the Skies!. Todos demonstram possuir boas informações sobre o filme e sua realização;

O Céu Está Despencando: Making Of de Guerra dos Mundos - Este featurette de 30 minutos, com legendas em português, traz entrevistas atuais com membros da equipe e do elenco, além de outras pessoas familiares com os detalhes da produção. Certamente está longe de ser longo e detalhado como o making of da nova versão de Steven Spielberg, mas em compensação possui algo que falta àquele - os envolvidos demonstram genuínos afeto e reverência por este clássico;

H.G. Wells: o Pai da Ficção Científica - Featurette de 10 minutos, conduzido pelo diretor/roteirista Nicholas Meyer (Um Século em 43 Minutos) sobre "O Pai da Ficção Científica", com legendas em português, que traça um breve retrato sobre a personalidade do profético escritor, rival do outro célebre escritor do gênero à época, Jules Verne;

O Mercury Theatre on the Air: Apresenta a Transmissão Radiofônica de Guerra dos Mundos - Este extra, por si, já vale a aquisição deste disco. É a gravação, na íntegra, da transmissão radiofônica original da adaptação de Guerra dos Mundos feita pelo então jovem Orson Welles, ocorrida no Halloween de 1938 e que levou muitos a acreditarem que uma invasão alienígena realmente estava ocorrendo. Apenas a lamentar o fato de não estar legendado em português;

Trailer Original de Cinema - É o mesmo trailer que já estava presente no DVD anterior.

DVDs COMENTADOS