XENA, A PRINCESA GUERREIRA - PRIMEIRA TEMPORADA (VOLS. 1 e 2)
Direção: Vários
Elenco:
Lucy Lawless, Renee O'Connor
Distribuidora: Universal
Duração: 1060 min.
 

Região: 4

Lançamento: 03/11/2006

Nº de discos: 6
Cotações:
Filme
DVD

Comentários de
Jorge Saldanha

A SÉRIE
Na época dos antigos deuses, guerreiros e reis cruéis, uma terra em conflito gritava por um herói. Ele surge na forma escultural da guerreira Xena, que juntamente com sua companheira Gabrielle, percorre as estradas da Grécia Antiga com a missão de redimir-se de seu passado sangrento, ajudando as pessoas a se libertarem da tirania e da injustiça.

Xena é uma spin-off (série derivada) de Hércules, que igualmente foi produzida pela dupla Sam Raimi (Darkman, trilogia Evil Dead, Homem-Aranha) e Robert Tapert (O Alvo, Timecop). A personagem apareceu em três episódios de Hércules - A Princesa Guerreira, O Desafio e Unindo Forças Contra o Mal, inicialmente com a intenção de matar Hércules e conquistar a Grécia. Porém o filho de Zeus a convence a lutar pelo Bem, e ela parte para reparar o mal que fizera. A repercussão foi muito boa, e para a temporada de 1995 ela ganhou sua própria série, também filmada na Nova Zelândia com praticamente a mesma equipe de Hércules. A série inicia com Xena (Lucy Lawless) retornando à sua terra natal, para defendê-la de um antigo guerreiro aliado, Draco. No caminho, conhece aquela que seria sua companheira de aventuras, Gabrielle (Renee O'Connor). Após vencer Draco em um duelo e conseguir o perdão de sua mãe, Xena parte mais uma vez e, em companhia da tagarela Gabrielle, continua sua luta contra as forças do mal. Para derrotar seus inimigos Xena usa estratégia, artes marciais, sua espada e o “chakram”, uma afiada arma em forma de disco que ela lança contra os inimigos. Com o “Toque de Xena”, uma pressão feita com os dois dedos em determinados pontos do pescoço, ela extrai informações de seus prisioneiros. Apesar de Xena e Gabrielle, ao longo da série, terem interesses amorosos por homens, elas se tornaram ídolos das lésbicas por haver insinuações de um relacionamento mais íntimo entre ambas. A atriz Lucy Lawless é nativa da própria Nova Zelândia, e já participara de Hércules no papel de Lyla, a esposa humana do centauro Deric. Anteriormente ela interpretara a amazona Lysia no longa Hércules e as Amazonas. Com 1,80m, longos cabelos negros e pernas bem torneadas, Lawless possui o tipo físico perfeito para encarnar a heroína. Sua grande chance surgiu quando a atriz originalmente escalada para ser Xena, Vanessa Angel, adoeceu. Os produtores, reconhecendo o potencial de Lawless através de suas participações anteriores em Hércules, contrataram-na para o papel. Lucy não tinha qualquer treinamento prévio de artes marciais ou espada, mas rapidamente demonstrou uma aptidão natural para os desafios físicos exigidos pelo personagem. Versátil, ela fala quatro idiomas (inglês, francês, alemão e italiano), adora jazz e inclusive chegou a compor e cantar (bem!) uma música da trilha sonora de Xena. Durante as filmagens ela se casou com o produtor Robert Tapert. Após as seis temporadas de Xena, Lucy Lawless se limitou a fazer pontas em filmes e séries de TV. Suas aparições mais recentes ocorreram na série Battlestar Galactica, onde interpreta a personagem recorrente D'Anna Biers. Se você procura uma diversão descompromissada, e não se incomodar com o visual trash que não tem nada a ver com a Grécia Antiga e efeitos visuais toscos (tanto Xena como Hércules podem ser vistos como homenagens aos filmes B), irá curtir esta primeira temporada da série, que ainda hoje é reprisada pela Record.

O DVD
A Universal já lançara aqui, em 2003, o DVD duplo Xena e Hércules: A Última Jornada, que incluía os três episódios de Hércules onde Xena foi apresentada. Como a série da Princesa Guerreira é a mais popular por aqui, até faz sentido que agora ela seja a primeira a ser disponibilizada no Brasil, dividida em dois volumes separados. Cada um foi lançado com pouco mais de um mês de diferença entre si, trazendo 12 episódios da primeira temporada (no total, 24). Cada volume contém três DVDs, acondicionados numa embalagem Amaray com encaixe para quatro discos (idêntica às utilizadas em Rambo: A Saga Completa). Como cada volume só traz três discos, o quarto encaixe é preenchido com um panfleto em forma de DVD, fazendo publicidade de outro lançamento da Universal. Essa polêmica embalagem sem dúvida é uma forma de baratear custos para a distribuidora, que também lucra mais dividindo as temporadas em duas partes. Quanto aos DVDs em si, os episódios não são divididos em capítulos. Ou seja, se você por alguma razão pular para o próximo capítulo passará para o episódio seguinte, e se quiser retornar ao ponto em que estava, só selecionando novamente o episódio e usar o avanço rápido desde o seu início. Há duas opções de áudio, o original em inglês e a dublagem em português, que felizmente é a mesma que já conhecemos da TV. A Universal continua fazendo trapalhadas, mas neste caso ela acabou resultando numa surpresa positiva. O áudio em inglês, que na embalagem é informado com sendo Dolby 2.0, na verdade é codificado em 5.1 canais. Certamente não é dos mais agressivos e nem apresenta acentuada espacialidade, mas certamente é bem superior à dublagem em português Dolby 2.0 mono - que ainda assim é clara e apresenta boa fidelidade, sem ruídos ou chiados. Já quanto à imagem, é uma história bem diferente. Costumava ver Hércules e Xena na TV, e já naquela época notava que a qualidade da imagem desta era inferior, fato que agora, em DVD e na minha TV de grandes proporções, fica dolorosamente claro. No DVD Xena e Hércules: A Última Jornada, o único episódio de Xena que ele trazia, Prometeu Acorrentado, era o que tinha a pior imagem, e infelizmente ele não difere muito dos demais episódios da primeira temporada da série. Em seu formato original fullscreen, na maioria do tempo a imagem carece de maior definição e sofre com um alto grau de granulação, tanto em cenas claras como escuras. Não há nem como se falar em problemas de autoração ou de compressão, porque se trata claramente de um problema da própria película utilizada para a filmagem dos episódios. Pelo jeito, para baratear custos, na primeira temporada da série foi utilizado filme de qualidade inferior ao que era usado em Hércules. Tanto é assim que, no episódio Gabrielle, a Contadora de Histórias, que contém cenas de episódios da outra série, estes segmentos possuem qualidade de imagem bem superior. Provavelmente a remasterização digital destes episódios minoraria o problema, mas o fato é que isto não foi feito. Quanto às legendas, elas estão disponíveis em inglês e português. Nesta, temos erros de tradução e eventualmente coisas curiosas, como a repetição de termos originais em inglês e até do próprio título do episódio. Mas o pior está no disco 2 do volume 2: o episódio O Casal Real de Ladrões termina abruptamente nos 8:03 min. (no drive de DVD do meu computador, esta é a duração total do episódio que é informada!), e voltamos ao menu de episódios. Não sei se o problema está apenas no meu DVD ou se foi um erro geral de autoração, mas o certo é que, definitivamente, a Universal do Brasil precisa melhorar bastante seu controle de qualidade.


OS EXTRAS
Aqui há pouco sobre o que falar. Os únicos extras são duas galerias de imagens, que estão no disco 1 de cada volume - sendo que a segunda galeria repete várias fotos da primeira. As imagens são reproduzidas num slide-show, com uma música da trilha sonora de fundo. O detalhe é que na galeria há imagens de Xena nos episódios de Hércules, que não foram incluídos no lançamento.


MENUS
Os menus são animados, reproduzindo cenas dos episódios.

DVDs COMENTADOS