X-MEN 1.5 (EDIÇÃO DE COLECIONADOR)
Direção: Brian Singer
Elenco:
Patrick Stewart, Ian McKellen, Hugh Jackman, Famke Jamssen, James Marsden, Halle Berry, Anna Paquin, Rebecca Romijn-Stamos, Ray Park, Tyler Mane, Bruce Davidson
Distribuidora: Fox
Duração: 104 min.

Região: 4

Lançamento: 2003

Nº de discos: 2
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

Antecedendo à chegada nos cinemas de X-Men 2, a Fox relançou em DVD o filme original, uma bem sucedida adaptação para o cinema da saga dos heróis mutantes criada pelos mestres das HQ Stan Lee e Jack Kirby. No entanto, para esta edição a Fox produziu um DVD duplo chamado X-Men 1.5, corrigindo algumas falhas do lançamento anterior, em especial da edição nacional. O filme traz os shakesperianos Patrick Stewart (o capitão Picard de Jornada nas Estrelas- A Nova Geração) como o professor Charles Xavier, líder dos X-Men, e Ian McKellen (o Gandalf da trilogia O Senhor dos Anéis) no papel do vilão Magneto. Tendo os executivos da Fox gasto a maior parte dos US$ 75 milhões do orçamento em marketing e efeitos especiais (estes a cargo da Digital Domain), não foram contratados outros nomes de peso (à época) para o restante do elenco. Mesmo assim, o australiano Hugh Jackman roubou a cena como o atormentado Wolverine, e posteriormente tornou-se um astro de Hollywood. A trama do filme já é bem conhecida: em um futuro próximo o mundo testemunha o surgimento de uma nova raça de pessoas que, graças a mutações genéticas, são dotadas de poderes sobre-humanos. Os mutantes sofrem com o preconceito do restante da população até que um grupo deles, os X-Men, resolve provar à humanidade que não há motivo para medo. Liderados pelo professor Charles Xavier, telepata que os ajuda a lidar com seus poderes, eles enfrentarão Magneto (capaz de comandar tudo o que é feito de metal), que com sua maligna Irmandade dos Mutantes, resolve impor-se aos humanos normais através da força.

O fio condutor da história é a entrada no grupo do mais famoso dos mutantes, Wolverine, o mal humorado sujeito com esqueleto e garras de adamantium, possuidor de enorme poder de regeneração e que se apaixona por Jean-Grey (Famke Janssen, de 007 Contra GoldenEye), dotada de poderes de telepatia e telecinésia e que namora Cíclope (James Marsden), líder dos X-Men cujos olhos emitem raios com alto poder de destruição (ufa!). Não esqueçamos Tempestade (Halle Berry, de 007 - Um Novo Dia para Morrer), descendente de uma linha de sacerdotisas africanas que tem a habilidade de controlar o tempo. Outro destaque do grupo é a novata Vampira, interpretada por Anna Paquin (O Piano). Vampira, independentemente de sua vontade, absorve a força vital de todos a quem toca, o que lhe causa alguns "pequenos problemas" amorosos. X-Men nos propicia bem mais do que um simples desfile de figuras estranhas, vestidas em roupas também estranhas (mas nem tanto como nos quadrinhos). Cada personagem teve um desenvolvimento acima da média em filmes do gênero, e a história refere-se ao preconceito da sociedade contra todos os que são diferentes das pessoas consideradas normais. Mas como X-Men é acima de tudo um filme de ação e FC, há também efeitos especiais. As cenas do Senador Kelly (Bruce Davison) virando água e da vilã Mística (a escultural Rebecca Romjin-Stamos, de Femme Fatale, toda pintada de azul e "vestindo" apenas algumas escamas) assumindo uma de suas muitas formas são ótimas. Os outros mutantes do mal, Groxo (Ray Park, o Darth Maul de Star Wars Episódio I: A Ameaça Fantasma), com sua língua de 4 metros, e Dentes-de-Sabre (Tyler Mane), em seus combates com Wolverine, também protagonizam bons momentos. Certamente há pontos fracos no filme, seja no roteiro, em algumas escolhas de atores e até mesmo na discreta trilha de Michael Kamen. Mas são falhas que não comprometem o resultado final de X-Men, que marcou a estréia do diretor Bryan Singer (Os Suspeitos) em um filme de ação.

Após faturar mais de US$ 300 milhões nas bilheterias mundiais, X-Men – O Filme mereceu por parte da Fox um DVD até que caprichado e com vários extras, mas que na edição nacional perdeu seus menus animados e recebeu uma péssima legendagem em português (entre outros equívocos os nomes dos mutantes não foram traduzidos, ao contrário do que ocorreu nas HQs e desenhos animados). Com este novo lançamento as falhas foram corrigidas, e o filme (novamente apresentado no formato widescreen 2.35:1 anamórfico) ganhou, além do som em inglês Dolby Digital 5.1, uma poderosa faixa de áudio DTS 5.1 que realmente faz diferença. Também há dublagens em espanhol e português com som Dolby Digital 2.0, porém esqueça-as. O disco 1 contém o filme com comentários opcionais em áudio do diretor Bryan Singer, seis cenas estendidas e 17 segmentos Por trás Das Câmeras que podem ser assistidos incorporados ao filme - infelizmente as cenas não receberam o mesmo acabamento dado ao restante do filme, o que prejudica este modo de exibição. Já o disco 2 apresenta muitos extras: Introdução de Bryan Singer, cinco featurettes repletos de informações adicionais e cenas multi-ângulo (Efeitos Especiais de X-Men, Reflexões sobre X-Men, A Produção de X-Men, Dando Vida ao X-Men, O Fator X) , X-Men 2: Uma Rápida Olhada, trailer de X-Men 2, trailer de Demolidor - O Homem Sem Medo, trailer do game Wolverine´s Revenge e Bastidores de X-Men 2. Em suma, esta nova edição em DVD de X-Men, apesar de não apresentar os mesmos extras da anterior, a substitui com amplas vantagens.

DVDs COMENTADOS