ABAIXO O AMOR (Down with Love, EUA, 2003)
Gênero: Comédia
Duração: 101 min.
Estúdio: Fox
Elenco: Renée Zellweger, Ewan McGregor, Sarah Paulson, David Hyde Pierce, Rachel Dratch, Jack Plotnick, Tony Randall, John Aylward
Compositor: Marc Shaiman
Roteiristas: Eve Ahlert, Dennis Drake
Diretor: Peyton Reed

Já vi esse filme... e não gostei

Com o mesmo roteiro e piadas de tantas outras comédias românticas, filme do diretor Peyton Reed não consegue sequer fazer rir

Algum amante da Sétima Arte deveria imediatamente inventar um remédio para a cabeça dos roteiristas de comédias românticas, ou então, na pior das hipóteses, arrumar uma maneira de deixar todos em coma. Afinal, estamos absolutamente cansados da  tortura que são filmes como AMOR À SEGUNDA VISTA, VOANDO ALTO, DOCE LAR e agora esse ABAIXO O AMOR. Assistir a esses quatro filmes certamente é algo digno de uma ditadura militar.

Vamos aos porquês: Primeiro, todos têm a mesma história. "Mocinho e mocinha no início se odeiam e se combatem, para em seguida se apaixonarem perdidamente. Algum imprevisto fará com que fiquem separados por certo tempo mas, obviamente, tudo acabará em festa". Segundo, todos têm as mesmas piadas, que giram em torno de fatores que constrangem o público ou provocam suspiros na platéia. Terceiro, também não pode haver algo de "quente", como excesso de palavrões ou cenas de sexo, já que isso aumentaria a censura e tiraria das salas o público alvo, as adolescentes americanas (e, por tabela, brasileiras) loucas por... Ewan McGregor, Hugh Grant, Hugh Jackman ou seja lá quem for.

É possível dizer que todos são os mesmos filmes, apenas maquiados em um ou outro detalhe na sinopse e, claro no elenco. Porém, ABAIXO O AMOR é quase idêntico a uma comédia romântica lançada esse ano que tinha potencial, COMO PERDER UM HOMEM EM DEZ DIAS. A similaridade é tanta que a profissão dos personagens principais é a mesma. O motivo que separa os amados é o mesmo. O fator de reconciliação é o mesmo. Tudo é igual. Só a ambientação de época é diferente, já que por causas talvez inexplicáveis, ABAIXO O AMOR se passa nos anos 60.

Dirigido com inacreditável incompetência por Peyton Reed (AS APIMENTADAS, que pelo menos difere um pouco das obras citadas neste texto), ABAIXO O AMOR não consegue sequer fazer rir, já que as piadas estão completamente saturadas. Assim, não podemos nem dizer que o filme diverte.

Na próxima comédia romântica que entrar em cartaz, provavelmente vou apenas copiar e colar esse texto substituindo o nome de ABAIXO O AMOR pelo do filme em questão. Boa sorte para quem achar que consegue engolir isso.

Cotação: *zero*
Carlos Massari
FILME EM DESTAQUE