LADRÃO DE DIAMANTES (After the Sunset, EUA, 2004)
Gênero: Aventura
Duração: 100 min
Elenco: Pierce Brosnan, Salma Hayek, Woody Harrelson, Don Cheadle, Obba Babatundé, Michael Bowen, Frank Bruynbroek, Alan Dale
Compositor: Lalo Schifrin 
Roteiristas: Paul Zbyszewski, Paul Zbyszewski, Craig Rosenberg 
Diretor: Brett Ratner

Sonolento paraíso

O diretor Brett Ratner, mostrando-se incapaz de bem explorar o material que tinha à mão, entrega um filme onde o melhor são as belezas naturais

Filmes de roubos inteligentes geralmente não me atraem tanto. Até o filmes dos "onze / doze homens" de Soderbergh não me dizem muito, ainda que o segundo tenha as suas qualidades. É que prefiro os filmes de assalto a banco, mais pesados e violentos, como PARCEIROS DO CRIME, de Roger Avary, ou UM DIA DE CÃO, de Sidney Lumet. Desses de roubos inteligentes, o meu preferido continua sendo UMA SAÍDA DE MESTRE, de F. Gary Gray, mais por suas qualidades fílmicas do que pela "genialidade" do roubo.

LADRÃO DE DIAMANTES (2004), de Brett Ratner, seria o típico filme desse subgênero leve, que gosta de zombar dos menos inteligentes e elogiar a inteligência e o crime pacífico e sem armas. Seria, se não tivesse entre seus subtemas a vontade da mulher de encontrar a paz e o sossego, em oposição à vontade do homem de continuar a "guerrear". Aqui, temos a história do ladrão de diamantes Pierce Brosnan (sempre interpretando o mesmo personagem), que após o roubo de um valioso diamante, parte para uma suposta aposentadoria numa ilha do Caribe, com sua bela namorada (Salma Hayek). Isso, depois de ter humilhado o agente do FBI vivido por Woody Harrelson.

Não sei se por culpa do filme ou de uma gripe que estava começando a me pegar, mas ver esse filme não foi das melhores experiências, já que eu estava me esforçando para não dormir. Como o filme é muito leve, acabamos não ligando muito para os personagens. Até mesmo a porção "comédia matrimonial" do filme, que poderia me despertar maior interesse, acabou não me envolvendo o bastante. E olha que a musa do filme é a supersexy Salma Hayek.

Outro problema é que o diretor, o medíocre Brett Ratner, nem sequer teve a boa vontade de nos presentear com uma cena de nudez de Salma. Os melhores momentos do filme são aqueles que privilegiam as belezas naturais de seu corpo e da ilha paradisíaca, valorizados pela bela fotografia de Dante Spinotti.

Cotação:
Ailton Monteiro
FILME EM DESTAQUE