ARMAGEDDON (Armageddon, EUA, 1998)
Gênero: Ficção Científica, Aventura
Duração: 153 min.
Estúdio: Touchstone
Elenco: Bruce Willis, Billy Bob Thornton, Ben Affleck, Liv Tyler, Will Patton, Steve Buscemi, William Fichtner, Owen Wilson 
Compositor: Trevor Rabin
Roteiristas: Jonathan Hensleigh, Robert Roy Pool, Tony Gilroy 
Diretor: Michael Bay

ARMAGEDDON é mais um videoclipe de duas horas e meia de duração produzido pela Jerry Bruckheimer Films, responsável entre tantos outros por TOP GUN, BAD BOYS e MARÉ VERMELHA. Ou seja: é cheio de imagens estilizadas, alternando cortes rapidíssimos e confusos com cenas filmadas em câmera lenta, personagens rasos e vazios e, acima de tudo, doses cavalares de insuportável patriotada norte-americana - repare que a bandeira dos EUA é mostrada em quase todas as cenas!

Mas, como todo enlatado pré-fabricado por Bruckenheimer, ARMAGEDDON até pode até ser divertido se encarado como comédia - pelo menos não tem as pretensões "dramáticas" do seu rival IMPACTO PROFUNDO. Aqui o besteirol e o absurdo rolam soltos (perfuradores de petróleo virando astronautas da noite para o dia?), afinal o filme é todo construído a partir de um roteiro prá lá de esquemático e, principalmente, sobre canastrice geral do elenco liderado por Bruce Willis, que nunca esteve tão inexpressivo e sonolento. 

Peca por ser excessivamente longo (153 minutos!) e arrastado em sua primeira parte (quem se interessa pelo romance açucarado entre os patéticos Ben Afleck e Liv Tyler?), já que a justificativa para a existência desse filme são as incríveis seqüências no espaço, produzidas com o que há de melhor em efeitos visuais e sonoros. Entretanto, mesmo quem for capaz de desligar o cérebro e entrar no clima de total non-sense da produção, será obrigado a engolir todas as inverossimilhanças e exageros (ônibus espaciais voando como caças de STAR WARS?) e a trilha sonora ensurdecedora e piegas do horrível Trevor Rabin (ex-guitarrista do YES). Difícil mesmo é não rir de tanta bobagem junta - principalmente nas cenas que deveriam ser levadas a sério!

Cotação: **½

André Lux

VOLTAR