DOIDAS DEMAIS (The Banger Sisters, EUA, 2002)
Gênero: Comédia
Duração: 97 min.
Estúdio: Fox Searchlight
Elenco: Susan Sarandon, Goldie Hawn, Geoffrey Rush, Erika Christensen, Eva Amurri, Robin Thomas, Matthew Carey, Justin Neill
Compositor: Trevor Rabin
Roteirista: Bob Dolman
Diretor: Bob Dolman

Simpáticas groupies 

Comédia repleta de momentos engraçados e nostálgicos homenageia o rock e os inesquecíveis anos 70  

Em Quase Famosos (filme de 2000, dirigido por Cameron Crowe), umas das personagens mais cativantes era a groupie Penny Lane, interpretada por Kate Hudson. Groupies, pra quem não se lembra, eram garota fãs de alguma banda de rock que acompanhavam seus ídolos nas turnês e que, eventualmente, dormiam com alguns deles. Pois bem: se a inesquecível Penny Lane tivesse crescido e vivesse em 2003, provavelmente ela seria uma das Irmãs Doidas Demais, tradução horrível de Banger Sisters. Qual delas, fica difícil saber.

Doidas Demais, filme que chega agora ao Brasil depois de relativo sucesso nos EUA (onde arrecadou o triplo de seu custo, sem nenhuma grande divulgação), retrata o reencontro de duas ex-groupies. A primeira é Suzette (interpretada por Goldie Hawn), mulher "maluquinha" que vive em Los Angeles, está desempregada e parece viver numa eterna adolescência. A segunda é Lavinia (Susan Sarandon), que agora vive em Phoenix, tem uma família (com direito a cão Golden Retriever) e nem de longe lembra a groupie bagunceira que transava com todos os artistas que via pela frente. 

Precisando de dinheiro, e querendo rever a antiga amiga, Suzette parte para Phoenix. No caminho ela encontra Harry (Geofrrey Rush), um escritor frustrado que a ajuda com a gasolina e que pega carona com ela. Reencontrando a amiga, Suzette acaba se espantando com a mudança radical de Lavinia, e sem querer acaba ajudando a amiga a voltar a ser quem ela era. Além disso, sua presença acaba inspirando Harry a voltar a escrever.

Em Doidas Demais o amadurecimento de Lavinia é visto como algo "chato", coisa de gente "infeliz". Mesmo que de maneira involuntária, o filme parece dizer que só uma vida de sexo inconseqüente, drogas e rock'n roll vale a pena. Tentar "entrar na linha" e crescer, ao que parece, é coisa de quem quer viver entediado para sempre. O filme, ao invés de fomentar alguma discussão mais inteligente sobre o assunto, enfraquece por se posicionar de uma maneira tão maniqueísta.

Por outro lado, por se tratar de um filme que não leva muito a sério temas como esses, Doidas Demais diverte por ser uma comédia repleta de momentos engraçados e nostálgicos, que apesar de serem em sua maioria calcados em lugares-comuns, funcionam às mil maravilhas e às vezes surpreendem, como na inacreditável cena em que Lavinia mostra a Suzette sua hilariante coleção de fotos polaroid de "Rock Pauleira".

Também merece destaque o fato das boas lembranças da década de 70, auge do rock'n roll, permearem todo o filme. Jim Morrisson é citado inúmeras vezes durante os 97 minutos de projeção. Outro famoso, Frank Zappa, (segundo Suzette) foi quem apelidou as duas amigas de Irmãs Doidas Demais. E inúmeros outros ídolos da música ainda têm seus nomes lembrados, seja na ótima trilha sonora, seja nos diálogos e nas situações vividas pelas personagens.

O filme lembra Quase Famosos nesse aspecto: esse período tão criativo da música é visto com grande carinho e nostalgia pelas personagens. A julgar pelo que o cinema nos apresenta, a década de 70 realmente foi inesquecível. Mas a comparação com Quase Famosos pára por aí. O filme de Cameron Crowe, apesar de tudo, é bem superior a Doidas Demais, principalmente porque sua trama divertida e inteligente não era tão unidimensional como a apresentada aqui. 

A história de Doidas Demais dá a impressão de se liquefazer durante a projeção. O que começou como uma comédia sobre ex-groupies termina como um filme sem objetivo nenhum . Além disso, a construção dos personagens também não é das melhores. O papel de Geoffrey Rush, por exemplo, não tem razão de existir, já que sua participação praticamente se resume a um fato que não tem ligação nenhuma com o restante da trama. Ao menos as atuações de Goldie Hawn e Susan Sarandon, que têm grande química em cena, minimizam a superficialidade e o maniqueísmo impresso em suas personagens.

Ao final, é essa a impressão que fica: de que Doidas Demais é um filme simpático e divertido, mas que sem dúvida alguma poderia ser muito melhor se tivesse sua boa premissa trabalhada com a paixão que Suzette e Lavinia nutrem pelos anos dourados do rock.

Cotação:
Diego Sapia Maia
FILME EM DESTAQUE