BLADE: TRINITY (Blade: Trinity, EUA, 2004)
Gênero: Aventura
Duração: 113 min.
Elenco: Wesley Snipes, Kris Kristofferson, Dominic Purcell, Jessica Biel, Ryan Reynolds, Parker Posey, Mark Berry, John Michael Higgins
Compositores: Ramin Djawadi, The RZA
Roteiristas: Marv Wolfman, Gene Colan, David S. Goyer
Diretor: David S. Goyer

Trindade profana

Wesley Snipes, ao que tudo indica, dá adeus ao personagem que o consolidou como herói de filmes de ação

O primeiro BLADE iniciou, em 1998, uma série de bem sucedidas adaptações de personagens de HQs da Marvel para o cinema, e teve uma boa continuação em 2002, BLADE II, dirigida por Guillermo Del Toro (HELLBOY). A trilogia chega à sua conclusão com este BLADE: TRINITY, e tudo indica que esta será a última aventura cinematográfica do personagem que consolidou Wesley Snipes como astro de ação.

Na verdade, dá para considerar que os produtores Stan Lee e Avi Arad conseguiram tirar água de pedra com esta série de filmes. A proposta era, desde o início, fazer boas aventuras, tendo como protagonista o herói meio-vampiro que combate os chupadores de sangue e seus aliados, tudo sem maiores ambições. E considerando que Blade sempre foi um personagem de segunda (ou até de terceira) linha dentro do gibi The Tomb of Dracula, sob este aspecto ele ganhou filmes que saíram melhor do que a encomenda. 

Nesta terceira aventura, Blade (Snipes) passa a ser perseguido pelo FBI por ter matado um colaborador humano dos vampiros. Após ser preso, sua única esperança de fuga é o grupo de caçadores de vampiros liderados pela filha de seu mentor Whistler (Kris Kristofferson), a atlética Abigail (Jessica Biel) e pelo piadista Hannibal King (Ryan Reynolds). Após resgatar Blade, o grupo defronta-se com o maior vampiro de todos, Drácula/Drake (
Dominic Purcell), despertado pela vampira Danica Talos (Parker Posey).

BLADE: TRINITY (cujo título é uma referência tanto aos três filmes da série como à trinca de personagens principais) é a estréia na direção do roteirista David S. Goyer, que escreveu os filmes anteriores e é o responsável pelo roteiro da próxima aventura de Batman, BATMAN BEGINS. Goyer decidiu não inventar, com um roteiro apenas funcional e uma direção acadêmica. Como resultado, temos um filme que, a exemplo dos anteriores, agradará principalmente pelos bem dosados efeitos visuais e cenas de luta, estupendamente coreografadas ao som de música techno.

O elenco de apoio é, no mínimo curioso: no papel de Drake temos o ex-protagonista da série de TV JOHN DOE, Dominic Purcell; como Danica, a ex-musa do cinema independente norte-americano, Parker Posey - em caracterização desgrenhada; Ryan Reynolds, de O DONO DA FESTA, garante alguns momentos de humor com Hannibal; e como Abby Whistler, Jessica Biel (da refilmagem de O MASSACRE DA SERRA ELÉTRICA e CELULAR - UM GRITO DE SOCORRO), simplesmente rouba a cena.

Mesmo estando praticamente no mesmo nível dos filmes anteriores da trilogia, e sendo uma ótima pedida para um cineminha nas férias, BLADE: TRINITY afundou nas bilheterias norte-americanas, o que decretou o fim das aventuras do caçador de vampiros. Acho uma pena, já que gostaria de ver novas aventuras no universo de Blade, principalmente se protagonizadas pela sarada filha de Whistler.

Cotação:
Jorge Saldanha
FILME EM DESTAQUE