Cine & Música
www.scoretrack.net

Cine & Música Extra: CINE BÔNUS!

Apresentando hoje o fracasso de crítica:
O BRASIL ZIDANOU!

O astro Zidane e os coadjuvantes ruins, na ironia do jornal argentino

Assim como no cinema, no futebol as pessoas também pagam suas entradas, compram seus comes e bebes e vão ao estádio à espera de divertimento. Claro que nem sempre saímos satisfeitos com o filme, mas na maioria das vezes tiramos proveito de alguma coisa, seja a fotografia, a trilha sonora, o enredo etc. Mas o que vimos no jogo Brasil vs França foi lamentável, nada valeu a energia gasta com os televisores, o dinheiro gasto com os diversos churrascos e o pior, o tempo perdido.

Ser desclassificado não é o grande problema, pois para que haja um vencedor, conseqüentemente tem de haver um perdedor – o inaceitável e ter perdido por simplesmente não entrar em campo. Grandes nomes dessa Copa como a Argentina e a Inglaterra também foram desclassificados, porém, diferentemente do Brasil, essas seleções saíram aplaudidas por suas torcidas, pois mostraram garra e vontade de vencer, sendo ambas eliminadas nos pênaltis.

Jogar contra o time da casa não é fácil, mas mesmo assim a Argentina conseguiu fazer um gol e diversas jogadas que valessem à atenção de Los Hermanos. Já o Brasil apresentou aos apaixonados pela bola um futebol digno do desafio ao galo. A França tem um time medíocre, que se classificou em segundo lugar na sua chave, empatando dois dos seus três jogos da primeira fase. E o Brasil, o que fez?

Bem, o Brasil, derrotou as “potências” do futebol Croácia, Austrália, Japão e Gana, apresentando em todas as partidas um futebol muito aquém do esperado, salvo o confronto contra o Japão, que com outra escalação nos apresentou um futebol razoável. Não esperávamos por vingança, mas sim pelo brilho de nossos jogadores, que depois dos amistosos contra timecos e exibições de focas malabarísticas ao público, nada fizeram. A atuação vergonhosa não tem um único culpado. Não é justo agora simplesmente falarmos que o Parreira é burro e que deveria ter escalado o time que jogou contra o Japão. Não, eu acho que a escalação estava correta, mas por outro lado, se em 45 minutos nada foi apresentado, as alterações deveriam ter sido efetuadas logo no intervalo.

O resultado deste filme é o que se viu: um time francês que fez pouco, mas que tinha um verdadeiro astro comandando com eficiência e arte o jogo; do outro lado, um Brasil onde os pretensos astros mereceram apenas o status de coadjuvantes - e ainda por cima, ruins.

ELENCO

Cafuso – Interpretou o Sr. Recorde, que chegaria a sua quarta final consecutiva, mas que com o desempenho de seu futebol idoso não conseguiu nada mais que um cartão amarelo.

Roberto Carma – Repetindo sua atuação de 98, desempenhou o papel do ausente que assiste ao gol como se não fizesse parte da cena.

Koko – Aclamado por muitos como a sensação da Copa, deixou de atuar no momento mais importante da competição, quando o mata-mata se fez presente.

Juninho Perambulando – A emoção em pessoa. Todos puderam presenciar as lágrimas por ele derramadas na hora do hino, agora fica a dúvida: seria emoção ou medo de enfrentar Zidane e Cia?

Ronaldinho Baúshow – Ahh, esse sim um baú de surpresas, faz milagres com a bola, todos eles sem objetivo algum. É como aquelas pessoas que falam, falam e não dizem nada. Joga muito bem sim, no Barcelona, pois a amarelinha pesa nele – alguém já viu ele fazer alguma “boa” exibição pela seleção? (caso tenham favor me enviar um e-mail).

Ronaldo Fofômeno – O maior artilheiro de todas as Copas... ufa, missão cumprida por 1 gol salvador, pois se não o tivesse marcado contra Gana, não seria com o futebol apresentado e o impulso por ele mostrado que alcançaria essa marca.

OS COADJUVANTES LÚCIO, DIDA E JUAN DEVEM SER PERDOADOS POR SUA GARRA E FUTEBOL MOSTRADO (VOCÊS ESTÃO DE PARABÉNS)

Caros cinéfilos, sei que o mundo não acabou, mas tenho certeza de que a partir do futebol vergonhoso que apresentamos, o mundo terá uma visão diferenciada da seleção brasileira. Aliás, queria deixar duas perguntas proféticas, porém óbvias:

Alguém tem dúvida de que a Alemanha será campeã?
E que Maniche (Portugal) marcará ao menos 1 gol no frangueiro do Barthez?
 

É, acredito que não haja dúvida.

Enfim, agora é só aguardar mais quatro anos e esperar a nova escalação de brasileiros europeus, que sequer acompanham o campeonato nacional.

♪♪ A taça do mundo não é nossa, com esse time, que foi pra roça ♪♪

Lucas Vandanezi
lvandanezi@scoretrack.net

TODAS AS COLUNAS
VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL