Cine & Música
www.scoretrack.net

27 de julho de 2006

Caros leitores, o Cine & Música prossegue com a série “Instrumentos”, que visa informar mais sobre esses personagens que fazem parte da vida de todos nós.

Boa leitura!

Instrumentos: VIOLINO

O violino é um dos principais personagens da trilha sonora, pois faz parte da grande família que é a orquestra.

Trata-se de um instrumento de cordas - Cordas Friccionadas  que correspondem ao Soprano da voz humana. O timbre do violino é agudo e estridente, mas que pode ser produzido de uma forma mais macia e aveludada – e isso depende muito do encordoamento utilizado pelo músico e sua sensibilidade ao tocá-lo.

Quem, ao assistir uma orquestra, nunca reparou num violinista que levanta e toca a nota “lá”, para que todos os outros músicos possam afinar seus instrumentos? Esse músico é denominado spalla – ele fica do lado esquerdo do Maestro logo na primeira estante de partituras de Primeiro-Violino.

Por que Primeiro-Violino?

Bem, como já citei anteriormente, o violino faz parte de uma grande família, e essa família (orquestra) não é formada apenas por diferentes instrumentos, mas de instrumentos iguais mas que têm funções diferentes, que seguem o que é exigido pelo compositor em questão. Ao contrário do violão, o violino não possui trastes que separam as casas, mas isso é facilmente dominado pelos músicos, visto que a forma de quatro dedos corresponde exatamente às quatro primeiras casas do instrumentos – parece difícil, mas logo vira algo natural para o músico que pratica o instrumento.

As cordas do violino seguem a mesma seqüência das notas do violão: Mi – Lá – Ré e Sol, claro que respeitando as diferenças de oitavas do contra-baixo, violoncelo, etc. As notas de um violino são executadas com o auxílio de um arco feito com a crina do cavalo, que ao ser pressionado e deslizado contra as cortas produz o som que estamos costumados a ouvir, mas nem sempre a execução de uma nota no violino necessita de um arco, como é o caso do Pizzicato.

Técnicas do violino

Pizzicato (lê-se pitzi-cato) - Consiste em tocar as cordas com os dedos, dando pequenos puxões.

Col legno - "com a madeira", o arco é segurado de lado, de forma que nas notas tocadas a madeira do arco bata nas cordas.

Vibrato - Há três tipos de vibrato: o de dedo, o de mão e o de braço. Consiste em fazer o som vibrar, formando uma flutuação mínima na afinação da nota, para cima e para baixo. O vibrato de dedo é para passagens mais rápidas, o de mão é o mais comum e o de braço é para expressar com certa força, paixão, drama ou trecho.

Corda dupla - Significa tocar duas cordas, e conseqüentemente duas notas, de uma só vez.

Harmônicos - Notas suaves produzidas pelo toque muito leve sobre a corda.

Glissando - O violinista escorrega o dedo sobre a corda, tocando todas as notas dentro do intervalo tocado.

O Violino no Cinema

Além de títulos já consagrados como O Violinista no Telhado, O Violino Vermelho e O Violinista que Veio do Mar, há também algumas cenas antológicas a serem citadas. Uma é aquela velha cena da qual vocês, leitores do
Cine & Música, já estão cansados de ler – a famosa despedida do violinista solitário que vê o grande navio afundando. Sim, novamente falo dessa cena de Titanic que é uma das mais belas cenas já filmadas no cinema. A outra cena que julgo ser bem interessante é a disputa entre suspeitos do filme O Xangô de Baker Street, baseado no best-seller de Jô Soares, onde uma luta é travada entre violinos em fúria, e seus arcos mostram ter a força de um sabre de luz.

Fora os nomes e as cenas citados, não há dúvidas de que sem o violino as trilhas sonoras não seriam tão belas, e que temas como o do filme O Patriota de John Williams, o tema do Condado de O Senhor dos Anéis de Howard Shore e, até mesmo, o tema de Jack Sparrow composto por Klaus Badelt para o filme Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra, perderiam totalmente o sentido.

Lucas Vandanezi
lvandanezi@scoretrack.net

TODAS AS COLUNAS
VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL