Cine & Música
www.scoretrack.net

30 de setembro de 2008

E Viva as Comédias Musicais!

Desde que Moulin Rouge, em 2001, conquistou o público e a critica, trazendo de volta à cena os musicais cinematográficos, muitos filmes se seguiram desde então. Do vencedor do Oscar de melhor filme Chicago, até a aguardada adaptação cinematográfica do clássico O Fantasma da Ópera, os musicais realmente voltaram para ficar. Mas o que realmente chama a atenção é que cada vez mais as comédias musicais vem conquistando não só prêmios e crítica, como também o público. Não há como não notar que as três comédias musicais lançadas durante estes últimos dois anos, se destacaram muito acima dos demais filmes desta categoria. Hairspray, Encantada e Mamma Mia! conquistaram seu lugar ao sol e se tornaram três grandes novos filmes. Começarei a análise, então, com Hairspray, o primeiro destes três deliciosos longas a ser lançado.

Hairspray- Em Busca da Fama (2007- Dirigido por Adam Shankman)
O filme, refilmagem de Hairspray - E Éramos Todos Jovens, conta a história de Tracy Tumblad (Nikki Blonsky), jovem americana que, apaixonada pelo programa "The Corny Collins Show", se inscreve para participar do mesmo e acaba causando uma revolução nas idéias da época e do programa, ao lutar pelo direito dos negros serem respeitados como os brancos. Com um elenco fabuloso (que inclui John Travolta, Michelle Pfeifer, Christopher Walken, Queen Latifah e James Marsden), o filme concorreu a quatro Globos de Ouro, arrecadou mais de 118 milhões de dólares apenas nos Estados Unidos e faturou mais de 200 milhões ao redor do mundo. A trilha de Hairspray também fez sucesso, atingindo o segundo lugar no U.S Billboard 200, e vendendo no total 1,5 milhões de discos. Desta maneira, o filme abriu espaço para outros musicais que também exploram a comédia.

Encantada (2007- Dirigido por Kevin Lima)
Resgatando de forma surpreendente o tradicionalismo do estúdio Disney, Encantada é uma comédia que foi feita para comemorar os 70 anos do longa Branca de Neve e os 7 Anões e para satirizar os próprios longas Disney. O filme conta a história de Giselle (Amy Adams), que expulsa pela rainha Narissa (Susan Sarandon) por ser noiva do Príncipe Edward (James Marsden), vem parar na Terra, “onde não existem finais felizes”. Caindo literalmente de gaiato em Nova York, ela conhece o advogado Robert (Patrick Dempsey), que a ajudará a encontrar o caminho para casa e mais do que isso - o caminho para si mesma. Encantada realmente encantou o público, faturando mais de 125 milhões nos EUA, 340 milhões mundialmente e ganhando o Saturn Awards de melhor filme fantasia, melhor atriz e melhor trilha. Concorreu a dois Globos de Ouro, e três canções do filme foram indicadas ao Oscar de melhor canção (“Happy Working Song”, “That´s How You Know” e “So Close”). O longa, além de trazer de volta os contos de fadas (muito bem ambientados para o século XXI), ainda trouxe Alan Menken para as composições de maneira definitiva. A trilha do longa também faturou, atingindo o primeiro lugar do Top Soundtracks da Billboard.

Mamma Mia! (2008- Dirigido por Phyllida Lloyd)
Quando Björn Ulvaeus e Benny Andersson decidiram apostar no musical Mamma Mia!, em 1998, não imaginavam, que, depois de 10 anos, o musical iria se tornar um filme tão querido e famoso. Baseado na história de Catherine Johnson com as canções que Bjorn e Benny escreveram quando eram integrantes do fenomenal grupo Abba, o longa conta a história de Sophie (Amanda Seyfried), que irá se casar mas não tem a mínima idéia de quem é o seu pai. Roubando o diário de sua mãe, Donna (Maryl Streep), ela descobre que tem três possíveis pais: Sam (Pierce Brosnan), Harry (Colin Firth) e Bill (Stellan Skarsgard). Daí em diante, está iniciada a confusão, que traz momentos fantásticos como os números musicais de “Dancing Queen”, “Voulez Vous”, “Slipping Through My Fingers” e “The Winner Takes At All”. De qualquer forma o filme, que ainda está passando nos cinemas, é um verdadeiro sucesso. O musical já faturou mais de 136 milhões apenas nos EUA, já alcançou a marca mundial de quase 450 milhões, está em primeiro lugar em 44 países e é o filme mais visto do ano na Inglaterra. Mal começaram as premiações e já venceu o National Movie Awards de melhor musical e melhor atriz (Meryl Streep), e a trilha do filme chegou imediatamente ao primeiro lugar mundial, vendendo (até agora) mais de 2,5 milhões de cópias, número que só tende a aumentar. Não bastasse isto o CD Abba - Gold, voltou de maneira miraculosa ao primeiro lugar na Inglaterra, depois de mais de 16 anos. Não só por ser uma comédia musical, Mamma Mia! nos encanta, trazendo memórias para gerações do grupo Abba e nos trazendo duas horas de momentos de pura diversão.

Com estes três exemplos, dá para perceber que as comédias musicais estão aí, fazendo sucesso e chegando ao topo. Lugar de onde elas nunca deveriam ter saído.


Viviana Ferreira

TODAS AS COLUNAS
VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL