CLICK (Click, EUA, 2006)
Gênero: Comédia
Duração: 98 min.
Elenco: Adam Sandler, Kate Beckinsale, Christopher Walken, Jenae Altschwager, Sean Astin, Theresa Barrera, Jennifer Coolidge, Rachel Dratch, David Hasselhoff, Julie Kavner, Cameron Monaghan
Compositor: Rupert Gregson-Williams
Roteiristas: Steve Koren, Mark O'Keefe
Diretor: Frank Coraci

Difícil não gostar

Adam Sandler acerta mais uma vez, nesta simpática comédia que traz uma insuspeitada dose de drama e onde desponta a beleza de Kate Beckinsale

Como não tinha lido nenhuma crítica de CLICK (2006), saí do cinema surpreso e feliz da vida. Não adianta: eu tenho uma queda por melodramas. E CLICK, do meio para o final, é um melodrama. E eu achando que o filme era uma dessas comédias cujas melhores piadas já foram mostradas no trailer.

CLICK é o terceiro trabalho de Frank Coraci em parceria com Adam Sandler. Os dois primeiros foram O REI DA ÁGUA (1998) e AFINADO NO AMOR (1998). Vi o segundo, que não gostei muito. Achei que a mistura de comédia e drama funcionou muito bem no novo filme, mas é claro que há sempre um porém. No caso de CLICK, há um certo exagero na parte em que o filme procura dar uma lição de moral, mostrar o quanto é importante a família e o quanto devemos aproveitar cada segundo de nossa vida. Mas nem assim eu consigo desgostar de CLICK. Difícil não gostar de um filme que tem uma premissa tão interessante, que tem a simpatia do Adam Sandler e a beleza de Kate Beckinsale, andando de shortinho a maior parte do tempo.

No filme, Sandler é um homem super-atarefado, sem tempo pra família e que vive comendo fast food. Ele está tão por fora das coisas de casa que não sabe nem qual é o controle remoto da televisão. Uma noite, ele surta e sai de casa em busca de uma loja que venda um controle remoto universal. Assim, ele vai parar numa loja chamada Bad, Bath & Beyond, onde é atendido por um funcionário estranho (Christopher Walken) que o apresenta a um controle remoto que vai mudar a sua vida. Chegando em casa com o objeto, ele percebe que é capaz de baixar o volume do latido do cachorro, de dar fast forward nas partes chatas de sua vida e de dar pause quando necessário, entre outras coisas. No entanto, o que no começo era muito divertido acaba virando uma maldição.

Atualmente Adam Sandler anda tendo sorte com seus filmes. Este já é o terceiro dele que eu gostei de verdade. Os outros foram EMBRIAGADO DE AMOR (2002), de P.T. Anderson, e COMO SE FOSSE A PRIMEIRA VEZ (2004), de Peter Segal. Bom para ele, bom para nós. Ah, e CLICK conta com a participação especial de Dolores O'Riordan, dos Cranberries, cantando "Linger", uma de minhas canções favoritas.

Cotação:
Ailton Monteiro
FILME EM DESTAQUE