A NOIVA-CADÁVER (Corpse Bride, EUA, 2005)
Gênero: Animação
Duração: 78 min.
Elenco: Johnny Depp, Helena Bonham Carter, Emily Watson, Tracey Ullman, Paul Whitehouse, Joanna Lumley, Albert Finney, Richard E. Grant
Compositor: Danny Elfman
Roteiristas: John August, Pamela Pettler, Caroline Thompson
Diretor: Tim Burton

Agarra o boneco

Nova animação em stop-motion de Tim Burton é mais uma de suas comédias musicais, mas desta vez quem rouba a cena são bonecos siliconados

Não é todo ano que a gente pode ver dois filmes inéditos de Tim Burton (não que eu seja fã, mas ele não deixa de ser um dos cineastas mais importantes da atualidade). Poucos meses depois do sucesso de A FANTÁSTICA FÁBRICA DE CHOCOLATE (2005), chega às telas brasileiras a animação em stop-motion A NOIVA-CADÁVER (2005). Os dois filmes têm em comum o fato de terem como protagonista o versátil Johnny Depp e de possuirem números musicais. Aliás, isso de colocar musiquinhas e coreografias me irrita um pouco. Nesse, mais até do que no filme da fábrica.

Em alguns momentos, principalmente nas duas vezes que Victor (Johnny Depp) toca piano, eu senti vontade de ver um filme sério de Tim Burton. De preferência um horror gótico que em nenhum momento quisesse ser uma paródia ou uma caricatura do gênero. Burton quase conseguiu isso em A LENDA DO CAVALEIRO SEM CABEÇA (1999), um de seus melhores filmes. Enquanto esse dia não chega, o momento é de curtir essa fase de comédias musicais do diretor. Aliás, nem sei se esse dia vai chegar, já que o espírito moleque e engraçado é característico do diretor desde o início da sua carreira, vide OS FANTASMAS SE DIVERTEM (1988), filme que guarda uma relação muito próxima com esse novo trabalho.

Em A NOIVA-CADÁVER, na Inglaterra vitoriana, Victor é um rapaz tímido cuja família lhe arranja um casamento de conveniência com uma moça de família nobre (Emily Watson), mas que está com problemas financeiros. Ele fica nervoso com a idéia de se casar e procura treinar os ritos matrimoniais no meio de uma floresta escura. Sem querer, acaba por despertar uma morta vestida de noiva (Helena Bonham Carter), que o leva para o mundo dos mortos.

Achei interessante o fato de que o mundo dos mortos é todo alegre e colorido, enquanto o dos vivos é cinzento e sem graça. Os bonecos usados no filme também são uma atração que, por si só, já é merecedora de uma espiada. Cada um desses bonecos custou 15 mil dólares, levando 9 meses para ficarem prontos. Eles são feitos com pele de silicone e esqueleto de aço e resina. O material de que são feitos exige cuidados muito especiais. Se expostos ao sol ou mesmo a uma temperatura mais quente, eles derretem. Acho que o DVD do filme vai ser interessante, se mostrar nos extras as técnicas utilizadas para a feitura da animação, bem como as casinhas criadas para os bonecos, todas cheias de detalhes na mobília.

Não lembro muito bem de O ESTRANHO MUNDO DE JACK (1993), mas acredito que o melhor filme em stop-motion de Burton ainda é o curta VINCENT (1982), exatamente por ser mais sério e passional.

Cotação:
Ailton Monteiro
FILME EM DESTAQUE