Cults & Trash
www.scoretrack.net

as bombas de hollywood

E aí scoretrackers?

Pois é, estou de volta para apresentar-lhes bizarrices e excentricidades. Espero que tenham gostado da matéria anterior e, como já dito, se tiverem sugestões, objeções ou idéias para a coluna, cliquem no link no fim do texto. Neste artigo vamos falar das "bombas" de Hollywood que, em sua maioria, se tornam trash ou cults em raras exceções. Serão analisadas algumas produções de alto teor explosivo para que você, leitor, se previna contra esse mal.

Um filme-bomba, antes de tudo, não tem a pretensão de o ser, aliás, o máximo é feito para que a produção não caia no ridículo - e ironicamente acontece o contrário. Em sua concepção são gastos milhões de dólares e o retorno na bilheteria é fraco. Um exemplo recente é Tomb Raider: A Origem da Vida (Tomb Raider: The Cradle of Life, 2003). Dirigida por Jan de Bont (mestre na arte bombástica) a um custo de 90 milhões de dólares, a continuação das aventuras de Lara Croft estava sendo tão estimada pelos seus produtores que acreditava-se um retorno de 200 milhões – arrecadou somente 20% desse valor. Ou seja, o filme ficou longe até de se pagar. Dados os resultados até animadores do primeiro filme da série, os produtores turbinaram essa continuação de verdinhas e se esqueceram de todo o resto. Absurdos como surra em tubarões, cenas de ação tiradas de filmecos B, elenco canastrão... Afinal, que produtor em sã consciência contrataria Jan de Bont para dirigir mais uma superprodução?

Porém, o fracasso de "Bomb" Raider 2 nem se compara com o de Waterworld – O Segredo das Águas (Waterworld, 1995). Esse filme se enquadra na malfadada categoria dos projetos pessoais (no qual John Travolta já foi vitima no pavoroso A Reconquista). Kevin Costner, com o ego inflado pelos Oscars conquistados por Dança com Lobos, embarca e afunda nessa superprodução ecológica que detonou 175 milhões de dólares na sua produção. O caos que envolvia as filmagens já exalava o cheiro de pólvora. Kevin demitiu o diretor e até então amigo-chará Kevin Reynolds, tirando-lhe a finalização do filme. Admito que gosto desse filme e o seu fracasso foi um tanto injusto. Costner não pararia por aqui e criaria mais uma pérola: O Mensageiro (The Postman, 1997). Muito se esperava desse filme de 80 milhões de dólares, e ele foi uma decepção tão grande que só os Framboesas de Ouro que a produção recebeu explicam a tragédia.

E as bombas não param por aí. Para a infelicidade dos amantes de quadrinhos veio Batman & Robin (idem) para animar. Existia um mundo gótico e sombrio, habitado por morcegos, gatos e outras bizarrices. Um mundo comandado por Tim Burton. Mas eis que um arco íris de cores vibrantes chamado Joel Schumacher acabou com as trevas. Por um tempo foi suportável, mas um dia tudo ruiu. Batman e Robin veio pra enterrar por um bom tempo as adaptações de quadrinhos para o cinema, sendo que só alguns anos atrás, graças a diretores como Bryan Singer e Sam Raimi, a situação mudou. Esse filme é uma bomba em todos os sentidos: orçamento gigantesco (110 milhões de "doletas"), roteiro fraco, péssimas atuações, direção de arte exagerada... tudo em conjunto com a inexistente direção de Schumacher, que consegue destruir em poucos minutos o universo fantástico criado por Burton. Mas felizmente nem tudo está perdido para o morcegão, que retorna em 2005 no aguardado Batman Begins pelas mãos competentes de Christopher Nolan (Amnésia).

Recentemente em evidência com o novo candidato a filme-bomba Exorcista: O Início, Renny Harlin se enquadra na categoria das “bombas matrimoniais”. Diretores completamente deslumbrados com a sua musa inspiradora resolvem dirigi-la (talvez para exibir o que ele tem em casa - o que nós podemos ver sem assistir filme nenhum, como comprova a foto à direita), criando verdadeiros desastres. Harlin foi uma das vítimas. Casado até então com Geena Davis, o competente diretor de filmes de ação caiu na besteira de dirigir sua amada em A Ilha da Garganta Cortada (Cutthroat Island, 1995). O filme, uma superprodução de capa e espada que sumiu com um orçamento de 92 milhões de dólares, foi um dos maiores fracassos da história de Hollywood. Como se isso não bastasse o casal repetiria a dose em O Despertar de um Pesadelo (The Long Kiss Goodnight, 1996) – essa, a bomba definitiva que supostamente acabou com o casamento dos dois.

E agora, para o seu deleite, confiram... 

AS CARACTERÍSTICAS DE UM FILME BOMBA:

- Custam grana pra caramba e acabam com o saldo negativo;

- Excessivamente vendidos como o filme que mudará nossas vidas;*

- Têm em sua maioria grandes astros atrelados no elenco;

- Diretores apaixonados fazendo veículo para suas curvilíneas esposas (o divórcio após o fracasso é 100%);

- Quanto existe, o roteiro do filme é absurdo;

- Ao final todos sabem que o filme é uma droga, e mesmo assim vão ao cinema conferir...*

Finalizando, podemos concluir que, assim como o vasto arsenal bélico dos EUA, Hollywood possui diferentes variações de bombas – dos mais variados tipos e gostos. Ao mesmo tempo em que pode ser engraçado ver um filme desse gênero a experiência, em alguns casos, costuma ser dolorosa. E desde já vou antecipando que em dezembro teremos o 1° Troféu ScoreTrash, destinado a premiar o que rolou de mais bizarro em 2004. Participe! Entre no Fórum de Discussões e vote na Categoria “Escolha do Leitor”.

Até a próxima, galera, e... maus filmes para todos!

Alex Oliveira
cinemacorp.cjb.net

PS: Foi sugerido no Fórum do Score uma matéria sobre Roger Corman, o Rei dos filmes B, e ela foi muito bem-vinda. Estou pesquisando a fundo a vida dessa lenda, para apresentar uma matéria digna sobre o grande mestre.

PS2: As opiniões aqui expostas não se tratam de uma sentença. Foram construídas através de dados e fatos. Se você aprecia alguma produção aqui exposta e não concorda com o texto, saiba que não há UMA verdade absoluta, e sim as mais VARIADAS divergências.

*Aqui se enquadra o primeiro filme de uma certa trilogia iniciada em 1999, e que não entrarei em maiores detalhes para não criar polêmica. Mas se uma pessoa atenta você é, já deve ser sacado a qual filme me refiro.


OBS: Se tiver alguma sugestão para essa seção, CLIQUE AQUI


VOLTAR PARA CULTS & TRASH