O SETLIST QUE NÃO PODE FALTAR..“Stayin Alive” (Bee Gees), “Bizarre Love Triangle” (New Order), “Don’t Stop Till You Get Enough” (Michael Jackson), “Vogue” (Madonna), “What a feeling”, PRA ASSISTIR E DANÇAR Chicago (2002), Perfume de Mulher (1972), Cabaret (1972), Flashdance (1983), Os Embalos de Sábado à Noite (Saturday Night Fever, 1977), Grease - Nos Tempos da Brilhantina (Grease, 1996), Dirty Dancing - Ritmo Quente (Dirty Dancing, 1987), Moulin Rouge (idem, 2002)
 
 
 
 
 
 
 

Ok admita que  a vida já não tem mais graça . Bem que você tentou afogar as mágoas ora num caso extraconjugal, ora em infinitas horas na frente do seu videogame de última geração e até no pantanoso terreno do álcool, mas não... nada preencheu seu vazio. Antes deixo bem claro que não sou nenhum enviado de uma seita religiosa disposto a arrancar seu suado dinheirinho, mas o seu problema é tão óbvio... apesar de achar ter encontrado todas as possíveis soluções mal sabe você que ela estava tão perto e de forma tão óbvia. Vamos lá... Primeiro feche seus olhos. Pronto? Agora imagine milhares de  luzes fosforescentes, coloridas, brilhantes reluzindo constantemente num clima surreal. Conseguiu? Ótimo. Agora é a vez de seus ouvidos criarem aquela melodia que em nada se assemelha a um belíssimo score de John Williams, mas de imediato remete a um David Arnold ou Don Davis, sim... os famosos  tum-tum-tum-tum. Sintetizadores, samples, uma voz de blues/gospel repetindo frases feitas do tipo 'I just can´t let you go', 'i´m tired waiting of you', 'what a feeling' e afins. Sim você está quase lá. Agora um contingente de  pessoas enclausuradas num espaço e todas mexendo seus corpos incessantes. E o primordial. Use seus sentidos, mexa seu corpo, você está prestes a... O QUE? NÃO ACREDITO? VOCÊ NÃO... NÃO? NÃO SABE DANÇAR? Ok, ok... abra os olhos agora e concentre-se no texto! A música por um tempo era algo único que independia de uma outra arte pra se sustentar. Foi quando  perceberam que associar a arte de se mexer os corpos (a dança) com a melodia era uma forma de tornar as coisas mais felizes. Vieram as valsas, os passos, a coreografia até ao ponto de a música viver em função da dança. As melodias eram criadas visando a sua expressão em passos rítmicos.  O cinema não demorou muito para representar esta fusão em suas telas  nos proporcionando grandes clássicos, alguns trash e nossos preciosos cults. E unindo o útil ao agradável a Cults usando seu conhecimento na arte da dança, da música e do cinema...vai revisitar estas “performances” nas telas de forma diferente. Prepare-se pra dançar (e rivalizar) com  John Travolta , coloque os óculos coloridos, não se esqueça do gel nos cabelos e roupas bem confortáveis, por favor... JUST GET UP ON THE DANCEFLOOR!

O começo não é fácil. Você tímido, nunca foi muito de festas... e agora precisa impressionar a todos num duelo na pista de dança. Não há um outro segredo senão a prática. Se tem vergonha, espere aquele momento em que todos resolveram sair, despiste-os... e som na caixa. Comece sem modéstia, só pra esquentar, um ótimo filme para “esclarecer suas idéias” é o musical Amor, Sublime Amor (West Side Story, 1961), um excelente musical sobre gangues rivais e um romance a lá Romeu & Julieta, ótima pedida pra começar!

Nos filmes do gênero o clímax esperado por todos é sempre o mesmo: o famoso espetáculo em que os protagonistas arrasarão juntos na pista de dança. Chega a ser um momento tão importante nestas películas que o final em si já perde a graça. Como exemplos temos o famoso duelo auto-paródico de John Travolta (ele outra vez) e Uma Thurman em Pulp Fiction, a dança irlandesa de Jack e Rose nos porões da terceira classe em Titanic, a obstinada Alex Owens em Flashdance e até nos videogames um dos maiores momentos ocorreram em Final Fantasy VIII num fatídico balé entre um casal da trama.  Arrumar um par não será difícil . O que não pode acontecer é uma sucessão de escorregões constrangedores  e pisões doloridos, portanto  arrume uma parceira com bem mais habilidade que você ! As mulheres são excepcionais na arte de fazer com que um homem dance bem tornando seu problema muito mais fácil. Encarne o Patrick Swayse de Dirty Dance, seduza uma boa dançarina e não se esqueça dos versos... 'I Have the time of my Life'...

O mais difícil você já conseguiu, mas agora te apresentamos o  desafio maior: rivalizar com John Travolta, o rei supremo das pistas. Antes de tudo mudar seu visual  deve ser primordial. Esvazie seu pote de gel pra cabelo, saqueie o guarda-roupa do seu avô e  capriche na calça boca-de-sino  mais brilhante que encontrar Mas ainda existe o grande desafio: Ligue o som, coloque qualquer coletânea do  Bee Gees  no volume máximo, pra ajudar recomendo que coloque o filme Grease ou Embalos... pra criar um maior clima (na verdade, imite copiosamente as personagens de John) e comece: vou tentar ensinar através desta coluna, mas isto é mais uma coisa por instinto do que por palavras. Você vai sentir a música convidando seu corpo a se mexer... aí você conta   UM, DOIS, TRÊS E PÁ (sim, o pá é importante, já que ajuda a contar os tempos), uma virada, duas, três e pá e cima e baixo e lado e pá... Deixe a coisa fluir...e  arremate com a famosa passada de dedos entre os olhos  Depois que você treinar o suficiente para achar que  todos (sem exceção) se derreterão com sua performance na pista, você já está pronto para arrasar e deixar os outros comendo poeira. So... ah ah ah ah ah Stayin Alive´, Stayin Alive!

Alex Oliveira


VOLTAR PARA CULTS & TRASH