Demolidor - O Homem sem Medo (Daredevil, EUA, 2003)
Gênero: Aventura
Duração: 103 min.
Estúdio: Fox
Elenco: Ben Affleck, Jennifer Garner, Michael Clarke Duncan, Colin Farrell, Jon Favreau, Joe Pantoliano, Frankie J. Allison, David Keith 
Compositor: Graeme Revell
Roteirista: Mark Steven Johnson
Diretor: Mark Steven Johnson

Matinê dark 

Reserve os principais concorrentes ao Oscar para a noite, porque na matinê da tarde Demolidor é uma boa pedida para adolescentes e adultos fãs de HQs

Parece que a onda de adaptações de quadrinhos da Marvel para o cinema, iniciada por BLADE em 1998, continuada em 2000 com X-MEN, O FILME e cujo ápice foi atingido em 2002 com HOMEM-ARANHA, está longe de acabar. No futuro, certamente alguma dessas produções  será uma bomba imperdoável que acabará com essa moda (os próximos a chegarem às telas neste ano são O HULK, de Ang Lee, e X2, de Brian Singer), mas ainda não foi desta vez. Porque esse DEMOLIDOR - O HOMEM SEM MEDO, apesar da descrença de muitos e da baixa expectativa, já que o Daredevil foi por muito tempo visto como um produto menor da editora, revelou-se um bom - mas apenas bom - filme do gênero.

Tendo ficado cego ao ter seus olhos atingidos por uma substância química, o garoto Matt Murdock (Scott Terra) acorda no hospital e, para sua surpresa, descobre que, apesar de não mais ser capaz de enxergar, seus outros quatro sentidos tornaram-se super aguçados. Sua audição, por exemplo, transformou-se numa espécie de radar, que lhe permite locomover-se rapidamente nos mais variados locais e, até mesmo, saltar entre os prédios (os efeitos especiais conseguem, de forma excelente, materializar este sentido de radar na tela). 

Já adulto e após anos de treino, Murdock (Ben Affleck) desenvolveu uma agilidade e força física espantosas. De dia ganha sua vida como advogado; à noite, veste-se com seu uniforme vermelho de demônio (com chifrinhos e tudo!) e, armado com sua bengala que dispara cabos, caça os criminosos que são absolvidos pela justiça. Sim, o Homem Sem Medo é um justiceiro, um super-herói politicamente incorreto que não apenas prende mas também mata bandidos. A razão de seu desejo de vingança é a mesma de praticamente todos os seus super-colegas: vingar a perda de um ente querido - no caso, seu pai (David Keith, maquiado), um lutador de boxe que, ao recusar-se a perder uma luta arranjada, é assassinado a mando do Rei do Crime (Michael Clarke Duncan). 

A vida de Matt (e o filme) muda de rumo quando ele conhece a bela praticante de artes marciais Elektra Natchios (Jennifer Garner, roubando a cena). Após um confronto inusitado em um parque os dois apaixonam-se, mas como a vida de um super-herói Marvel é, acima de tudo, movida a drama e tragédia, logo o destino coloca Elektra em confronto com o Demolidor. O pai dela também morre por ordem do Rei do Crime, assassinado por um cara curioso: o Mercenário, capaz de matar lançando nas vítimas objetos aparentemente inofensivos como clipes de papel, lápis e cartas de baralho. Mas no caso do pai de Elektra ele utiliza nada menos que a bengala do Demolidor, o que leva a bela moça a achar que o super-herói seja o assassino. 

Mas o Mercenário também tem por missão matar Elektra... e revelar mais da trama de DEMOLIDOR é tirar a graça de assistir ao filme, que é bem menos ambicioso que as outras produções do tipo que recentemente passaram nas telas, ou que estão por chegar. Fora a presença de Affleck no elenco não há grandes  astros, e a trama, possivelmente em função do orçamento restrito, evita cenas e confrontos espetaculares. Isso é particularmente prejudicial para a conclusão do filme, anti-climática e um gancho descarado para a continuação. Certo, o diretor/roteirista Mark Steven Johnson não é um Bryan Singer (X-MEN), mas consegue usar essa limitação para privilegiar a história e a caracterização dos personagens, que apesar de suas façanhas impossíveis, acabam sendo vistos pelo espectador como seres humanos comuns, cheios de emoções contraditórias. Claro, nada de muito profundo porém o suficiente para este tipo de produção.

O elenco de DEMOLIDOR pode não ser cheio de astros mas apresenta nomes conhecidos e que, principalmente, sabem interpretar. Affleck se safa no papel principal, estando menos galã e bem mais convincente do que de costume. Colin Farrell, como o vilão Mercenário, consegue ser ameaçador e engraçado em uma interpretação propositadamente exagerada e caricata (é dele, durante os créditos finais, a cena mais cômica do filme). O negro Michael Clarke Duncan é um rei do Crime perfeito, apesar de nas HQs o personagem ser branco. Mas o destaque, sem dúvida, vai para Jennifer Garner. Revelada na série de TV ALIAS (exibida no Brasil pelo SBT e pelo canal pago AXN) e vista no cinema em pequenas pontas (como em PRENDA-ME SE FOR CAPAZ), ela é uma atriz em ascensão e já se fala em fazer um filme somente com seu personagem Elektra. O que é merecido, afinal ela é totalmente convincente no papel, conseguindo compensar seus talentos interpretativos apenas medianos com beleza, simpatia e atuação física admiráveis.

Apesar de excessiva e literalmente dark (as cenas de luta, conduzidas pela mesma equipe de AS PANTERAS, passam-se todas à noite e às vezes ficam muito confusas) e de abusar, em certos momentos, da montagem estilo videoclipe, DEMOLIDOR - O HOMEM SEM MEDO agrada grande parcela de adolescentes e adultos fãs dos quadrinhos. Estes apreciam especialmente as várias referências espalhadas pelo filme, as pontas do diretor Kevin Smith (ele mesmo um fã e escritor de HQs), do próprio Stan Lee e os nomes de vários personagens que homenageiam desenhistas e escritores da Marvel. Enfim, se você é fã do Homem Sem Medo ou simplesmente gosta de uma aventura descompromissada, deixe os principais concorrentes ao Oscar para a noite. Porque na matinê da tarde, este é o seu filme.

Cotação:
Jorge Saldanha
FILME EM DESTAQUE