O HOMEM QUE DESAFIOU O DIABO (Brasil, 2007)
Gênero: Comédia
Duração: 97 min.
Elenco: Flávia Alessandra, Marcos Palmeira, Fernanda Paes Leme, Sérgio Mamberti, Lívia Falcão, Renato Consorte, Helder Vasconcelos, Giselle Lima, Antonio Pitanga, Rui Rezende, Juliana Porteous
Compositor: André Moraes
Roteiristas: Nei Leandro de Castro, Moacyr Góes, Bráulio Tavares
Diretor: Moacyr Góes

Herói nordestino

Novo filme do diretor Moacyr Góes é uma comédia que coloca o protagonista frente a entidades sobrenaturais, mas onde o melhor é a exuberância de Fernanda Paes Leme

Não é de todo ruim este O HOMEM QUE DESAFIOU O DIABO (2007), mais recente trabalho de Moacyr Góes. É o melhor trabalho de Góes, embora isso não signifique muita coisa vindo dele. Já adianto que a melhor coisa do filme é de longe Fernanda Paes Leme, que aparece nua da cintura pra cima. Uma coisa linda, que faz a mente da gente ficar turva e até valoriza um pouco mais o trabalho. A cena dela arrancando um prego com a vagina é outro momento marcante e que vai dar o que falar se o filme for mesmo o sucesso de bilheteria esperado pela família Barreto, pela Rede Globo e pela Warner. Eu diria que a principal falha do filme está em não conseguir um bom timing cômico. As cenas que seriam para provocar risadas são recebidas com indiferença pela platéia. O que acaba arrancando o interesse do espectador é a mudança de tom que o filme ganha a partir do momento em que Zé Araújo (Marcos Palmeira) passa a ser Ojuara, o homem que não apanha de mulher e nem tem medo de mais nada no mundo.

Antes disso, Zé Araújo era um vendedor de tecidos que chega a uma cidadezinha do interior do Rio Grande do Norte para vender o seu produto e pegar o mulherio da região. O azar dele é que ele foi pegar logo a filha do turco (Lívia Falcão), o dono da mercearia da cidade. Zé Araújo é obrigado a casar com a mulher, mesmo não gostando dela. Depois de ser ridicularizado pelo poeta da cidade, Zé Araújo toma uma decisão que vai mudar o rumo de sua vida: depois de dar umas palmadas na bunda da sua mulher valente e de humilhar o pai dela, ele resolve anunciar no cartório que José Araújo morreu. Em seu lugar, nasceu Ojuara. Assim, ele deixa a cidade montado num cavalo para conhecer todo um novo mundo ao seu redor, tendo de lidar com novas mulheres, com o diabo e com outras entidades malignas, como uma mulher que tem a vagina dentada (Flávia Alessandra).

Em seu aspecto fantástico, O HOMEM QUE DESAFIOU O DIABO é um filme interessante, mas esse interesse vem da obra original, o romance "As Pelejas de Ojuara", de Nei Leandro de Castro, que não é transposto para o cinema de modo muito acertado. Mas até que para um diretor que tem no seu currículo os filmes do Padre Marcelo Rossi, da Xuxa e da Angélica, até que houve alguma evolução. Soube que o filme teve uma boa recepção no Festival do Rio, com o lugar lotado e o público bastante entusiasmado. Mas público de festival é diferente. Mesmo assim, deve ser divertido ver o filme numa sala de público pouco exigente e mais receptivo. Lembro de quando eu vi O HOMEM NU, no Cine Ceará. O Cine São Luiz lotado, o público rindo a todo instante, muito divertido. E no lançamento comercial, o filme de Hugo Carvana foi um fracasso. Acredito que O HOMEM QUE DESAFIOU O DIABO tem muito mais chances de sucesso comercial, até por ter sido lançado com muitas cópias. Só não deve alcançar a mesma popularidade de O AUTO DA COMPADECIDA por não pegar o espectador pelo riso. Mas com certeza, os marmanjos sairão do cinema admirados com a beleza do corpo de ninfeta de Fernanda Paes Leme.

Cotação:
Ailton Monteiro
FILME EM DESTAQUE