Primeira Impressão
www.scoretrack.net

Título original: Bandidas
2006, 93 min, EUA/França/México
Diretor: Joachim Roenning, Espen Sandberg
Elenco: Penélope Cruz, Salma Hayek, Steve Zahn, Joseph D. Reitman, Denis Arndt, Audra Blaser
Produção: Luc Besson
Roteiro: Luc Besson, Robert Mark Kamen
Fotografia: Thierry Arbogast
Música: Eric Serra
Estúdio: Fox

29 de junho de 2006

BANDIDAS


"Atualmente bandidos, corruptos, desonestos e falsários garantem histórias interessantes. Já lindas mulheres, não ocupam papéis que realçam seu teor único (Vilã x Zinha)"

Resumindo de A a Z, isso é o que acontece na maioria dos filmes que tem como protagonistas do "lado negro da força" o sexo masculino. Quando se trata de um western então nem se fala, cabe às mulheres interpretarem a dama a ser resgatada, ou algo do tipo. Mas Bandidas é um filme que foge a esse resumo, flui de uma maneira muito boa, prende o espectador e garante boas risadas.

Logo no início os nomes de Salma Hayek e Penélope Cruz são destacados com fontes no melhor estilo Velho Oeste, o que para mim é um detalhe muito importante. Após esse belo começo, as duas personagens são apresentadas e suas histórias são intercaladas com uma edição muito boa. A história se passa em 1878 no México, em uma época de transição, quando magnatas das grandes ferrovias americanas estão se estabelecendo e expandindo as estradas de ferro, durante o regime do déspota mexicano Porfírio Diaz.

Com freqüência terras eram roubadas de seus donos, causando miséria e morte para muitas pessoas – e isso é o que faz com que duas mulheres de personalidades tão diferentes virem bandidas leais ao lema "Robin Hoodiano". A trama que mistura comédia, drama e western, tem semelhanças com as obras de Sir Arthur Conan Doyle e as aventuras de Sherlock Holmes. Portanto, para quem busca diversão, o filme é uma ótima pedida.

Edgar Vivar

Tecnicamente falando o filme também é interessante. Além da edição, confesso que a trilha de Eric Serra, habitual colaborador do diretor Luc Besson (aqui apenas na produção), me surpreendeu. Fugindo aos tradicionalistas, Serra não ficou apenas nos violinos, violas e cellos, mas fez uso de guitarras e até mesmo sintetizadores Nota 10. A fotografia também não fica atrás, e acompanha com competência a história. Das diversas partes engraçadas do filme, uma em particular me agradou muito. Trata-se de uma brincadeira com a corda de um banjo sendo afinada, e um dos personagens tentando penetrar em um banco sem ser visto – mas isso fica para quem for assistir.

É impossível ver uma história engraçada que se passa no México sem se lembrar do seriado Chaves, de Roberto Gomez Bolamos! E por incrível que pareça, Edgar Vivar (Seu Barriga) faz uma ponta no filme, interpretando um gerente de banco. Infelizmente ele não trabalha como comediante, mas para os fãs da turminha da vila já é algo muito especial vê-lo em Bandidas.

O filme estréia dia 07/07/2006. Mãos ao alto e bom divertimento!

Lucas Vandanezi
lvandanezi@scoretrack.net

PRIMEIRA IMPRESSÃO
VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL