Primeira Impressão
www.scoretrack.net

FICHA TÉCNICA
Título Original: Doogal
Gênero: Animação
Tempo de Duração: 85 MIN.
Ano de Lançamento (EUA / França / Inglaterra): 2006
Site Oficial: www.doogalmovie.com
Distribuição: The Weinstein Company / Imagem Filmes
Direção: Dave Borthwick, Jean Duval, Frank Passingham
Roteiro: Paul Bassett, Serge Danot, Tad Safran, Raolf Sanoussi, Stephane Sanoussi
Produção: Claude Gorsky, Laurent Rodon, Pascal Rodon
Música: Mark Thomas
Edição: Mathieu Morfin
Elenco (Vozes): Daniel Tay, Jimmy Fallon, Jon Stewart, Whoopi Goldberg, William H. Macy, Chevy Chase, Judi Dench, Kylie Minogue, Ian McKellen, Kevin Smith, Bill Hader, Heidi Brook Myers

31 de janeiro de 2007

O cachorro é quente mas o filme é frio

Adaptado de uma série infantil de sucesso da televisão britânica, The Magic Roundabout, Dogão - Amigo pra Cachorro é o tipo do filme feito com nítido interesse em conquistar seu público alvo - as crianças - mas prejudicado pela dificuldade em encontrar a melhor forma de o fazer. Sua premissa original não é ruim: em um universo paradisíaco, que, se não chega a ser um mundo encantado, ao menos é criado na tela para sugerir um local onde tudo é uma eterna diversão, um mago malvado aprisiona uma menininha dentro de um carrossel, cabendo ao melhor amigo desta libertá-la. E quem é o melhor amigo do homem (ainda que em versão feminina e infantil)? É o gato, mas, se os roteiristas querem fortalecer a tese de que é o cachorro, sem problema algum. E, assim, entra em cena Dogão. Um Amigo pra Cachorro.

Como um Brancaleone canino, Dogão regimenta um incrível exército composto por um trem, um coelho, uma vaca e uma lesma (!) - sendo que a lesma é apaixonada pela vaca (!!). Juntos, eles têm que destruir os planos do mago malvado e libertar a menina. Aproveitando, dá também para salvar o mundo. E lá vão eles.

O traço de Dogão. Um Amigo pra Cachorro é delicado, elaborado e colorido, seus personagens são bonitinhos e enternecedores, a trama é direta e objetiva. Mas, infelizmente, o conjunto desses fatores simplesmente não funciona, fazendo com que o filme fique estranho aos olhos do público: de que adianta o traço ser bem realizado se a estória narrada não cativa? De que adianta os personagens serem bonitinhos e enternecedores se não têm carisma algum? Há uma grande, crucial diferença entre beleza, ternura e carisma... De que serve uma trama enxuta e bem contada se esta não tem magia para seduzir a criançada? São aspectos que não podem ser tratados como meros detalhes, simplesmente porque não o são. Como ficou, Dogão. Um Amigo pra Cachorro acabou convertendo-se em um filme tecnicamente bem-feito, mas que peca por sua total incapacidade de envolver seu público alvo - as crianças - e o de ser tão frio como o mundo que seu vilão queria impor aos personagens do bem.

 

Carlos Dunham

PRIMEIRA IMPRESSÃO
VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL