Primeira Impressão
www.scoretrack.net

Título original: Ghosts of Girlfriends Past
Gênero: COMÉDIA

Tempo de Duração: 100 MIN.
Ano de Lançamento (EUA): 2009
Distribuição: PLAYARTE
Direção: Mark Waters
Produção: Brad Epstein,Jonathan Shestack, Jessica Tuchinsky, Marcus Viscidi
Roteiro: JON LUCAS
Fotografia: Daryn Okada
Desenho de Produção: Cary White
Música: Rolfe Kent
Elenco: Matthew McConaughey, Jennifer Garner, Michael Douglas, Emma Stone, Breckin Meyer, Lacey Chabert, Robert Forster, Anne Archer, Daniel Sunjata, Noureen DeWulf, Rachel Boston, Camille Guaty, Amanda Walsh, Emily Foxler, Catherine Haena Kim

08 de junho de 2009

MINHAS ADORÁVEIS EX-NAMORADAS

Sombras do Natal (e de todos os dias) do passado

Que "Um Conto de Natal", obra-prima da literatura inglesa escrita por Charles Dickens, é um dos livros mais vezes adaptados para o Cinema, não há o que discutir - afinal, desde a primeira versão cinematográfica, realizada em nada menos que 1901, nunca, jamais, passou uma década inteira sem que tenha sido feita alguma versão cinematográfica ou televisiva da obra, seja esta fiel ao texto ou não. Até mesmo os Estúdios Disney já levaram "Um conto de Natal" às telas, em um curta-metragem indicado ao Oscar. E, das adaptações bem livres, uma das mais famosas é a estrelada por Bill Murray, em 1988, Os fantasmas contra atacam - que foi, inclusive, indicada para o Oscar de melhor maquiagem naquele ano.

Bem, ao menos em matéria de liberdade, MINHAS ADORÁVEIS EX-NAMORADAS, que estréia no próximo feriado de 11 de junho, supera - e muito - Os fantasmas contra atacam e, provavelmente, quaisquer outras adaptações da clássica obra de Dickens. O filme se permite à gafe de sequer mencionar o autor inglês e sua obra nos créditos, ignorando por completo sua fonte inspiratória. Mas fora isso, não se pode dizer que o filme cometa outros erros - não graves, ao menos: a narrativa é correta, e este novo filme do diretor Mark Waters - de Meninas malvadas e E se fosse verdade oferece exatamente o entretenimento romântico que o espectador almeja. Embora, claro, os dois filmes mencionados certamente fizessem esperar mais do cineasta que uma fitinha tão rotineira (problema agravado pelo fato do filme haver sido adaptado de uma origem tão nobre).

No filme, Matthew McConaughey - em bom desempenho e dando um show de beleza, provando que há muito está merecendo se tornar o mega-star que ainda não consegue ser - é o Don Juan Connor Mead, garanhão que não vê nas mulheres nada mais que objetos de consumo para sua satisfação sexual. Connor é o tipo de homem que não tem espaço, em seu coração, para sentimentos mais elevados que a sola do seu pé - até que, convidado para o casamento de seu tímido e romântico irmão, recebe a visita de três mulheres - as ex-namoradas do título brasileiro. Fantasmas? Não especificamente, porque, na verdade, uma delas está viva e é uma das convidadas do casamento - contradição que o filme não se preocupa em explicar. Sobre outra delas, a primeira, em momento algum tem-se a informação se realmente não está mais viva; e a terceira de suas "ex-namoradas" sequer o namorou (?) - é apenas a representação de todas as mulheres que já passaram pela cama de Connor. Bom, não estaremos revelando nada comprometedor se contarmos que essas três damas irão amaciar o coração do personagem e plantar amor e romantismo dentro dele.

É provável que muitas mulheres reclamem de uma visão machista do filme. Na verdade, quem deveria reclamar seriam os homens, pela visão estereotipada e preconceituosa que MINHAS ADORÁVEIS EX-NAMORADAS oferece do universo masculino. Mas, se for feito um esforço para se ignorar tal enfoque - que não deixa de combinar, a sua forma, com o proposto pela realização - não será difícil aproveitar os 100 minutos de entretenimento que o filme oferece. As mulheres certamente irão se fartar com a beleza deslumbrante de Matthew McConaughey. Já os homens dificilmente discordarão que Jennifer Garner é uma boa atriz, mas não tão linda quanto o papel sugeria (se bem que a aparência comum da atriz acaba por reforçar bem o resultado final do filme e a redenção de Connor). Mas, se quem é de sexo masculino não for reclamar do enfoque do qual é vítima, dificilmente irá se importar com alguma coisa. E, afinal de contas, a origem dickensiana do filme é tão intensa que acaba por falar mais alto que o restante, fazendo de MINHAS ADORÁVEIS EX-NAMORADAS um filme que, se não é imperdível, ao menos pode ser visto sem traumas.

Carlos Dunham

PRIMEIRA IMPRESSÃO
VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL