Primeira Impressão
www.scoretrack.net

Título original: Ginga
Brasil, 2004
Duração: 80 minutos
Roteiro: Hank Levine, Marcelo Machado e Tocha Alves, com a colaboração de Fernando Meirelles
Direção: Hank Levine, Marcelo Machado e Tocha Alves
Produtor: Fernando Meirelles e Hank Levine
Produção do filme: O2 Filmes e Nike,  em associação com a Wieden Kennedy Entertainment
Direção de fotografia: Raul Fernandez
Montagem: Lessandro Sócrates, Márcio Canella e Oswaldo Sant´Ana

07 de abril de 2006

GINGA

A camisa 10 é uma das principais estrelas no futebol. Jogadores como Pelé, Maradona, Zico e Platini, entre outros, fizeram com que esse número fosse imortalizado e virado referência para um craque no campo. Talvez por esse motivo o documentário Ginga escolheu contar a história de 10 pessoas diferentes, e o que o futebol representa em suas vidas.


O grande segredo do Brasil para dominar o futebol mundial não é segredo algum. Os jogadores brasileiros têm ginga – uma bossa especial para driblar, passar e marcar gols, como se os adversários nem existissem”. (Ruy Castro)

Com muito rebolado e gingado, o documentário mostra que o amor ao futebol não tem cor, sexo, classe social ou condição física, mas sim determinação. De uma forma muito original, o documentário percorre “literalmente” diversas localizações no mapa do Brasil, que apesar de diferentes sotaques e culturas são unidas por uma mesma paixão. O filme retrata de uma forma humana a luta que as pessoas enfrentam para tornarem-se atletas profissionais, além de suas batalhas na própria vida.

As histórias progridem de uma forma interessante, percorrendo da pobreza à classe média, do não deficiente ao deficiente físico, do homem à mulher e do desconhecido ao ilustre - que é um objetivo comum a todos. Duas das histórias retratadas são de jogadores já renomados: Robinho (Real Madrid) e Falcão (Seleção de Futsal). A história de Robinho mostra cenas de jogos do Santos e também um vídeo amador de quando ele tinha 8 anos – o que reforça ainda mais que o garoto nasceu para jogar futebol. Falcão conta em sua história sua breve passagem pelo futebol de campo, e a conquista do título de melhor jogador de futsal do mundo.

Além de lances empolgantes entre todos os atletas, o documentário mostra a pessoa que existe dentro de cada jogador (ser humano), e que esforço, alegrias, e decepções são sentimentos comuns a todos. A trilha sonora é muito interessante, pois segue o ritmo do documentário conforme a região na qual a história está sendo contada. Claro que, por ser uma produção dos estúdios O2 junto com a Nike, a propaganda foi inevitável. Mas para aqueles que estão acostumados a se deslumbrarem com os comerciais da Nike vai a dica...

Ginga é um ótimo filme para começar a Copa do Mundo com o pé direito, e entrará em cartaz dia 21 de abril nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

 

Lucas Vandanezi
lvandanezi@scoretrack.net

PRIMEIRA IMPRESSÃO
VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL