Primeira Impressão
www.scoretrack.net

Título Original: KNOWING
Gênero: Suspense
Pais/Ano: EUA / 2009
Diretor: Alex Proyas
Produção: Todd Black, Jason Blumenthal, Steve Tisch, Alex Proyas
Roteiro: Stuart Hazeldine, Ryne Douglas Pearson, Stiles White, Juliet Snowden, Alex Proyas
Fotografia: Oliver Stapleton
Trilha Sonora: Marco Beltrami
Distribuição: Paris Filmes
Duração: 122 min.
Elenco: Nicolas Cage, Chandler Canterbury, Rose Byrne, D.G. Maloney, Lara Robinson, Nadia Townsend, Alan Hopgood, Adrienne Pickering, Joshua Long, Danielle Carter, Alethea McGrath, David Lennie, Tamara Donnellan, Travis Waite, Ben Mendelsohn

08 de abril de 2009

PRESSÁGIO

Dizer que o filme é bom não é apenas um presságio

1959. Em um colégio recém-inaugurado, uma jovem professora passa um aprazível dever a seus alunos: fazer um desenho de como eles acreditam que será o mundo 50 anos depois - no longínquo 2009. Os desenhos irão para uma cápsula do tempo, que será enterrada no quintal do colégio e aberta somente meio século após. A tarefa é cumprida sem maiores contratempos pela esmagadora maioria das crianças, à exceção de uma - Lucinda, que preenche toda a folha com números que, a princípio, não têm relação alguma com nada, muito menos com a tarefa solicitada pela professora.

Passados 50 anos, em meio às comemorações do aniversário do colégio, a cápsula é reaberta, e todas as crianças recebem os desenhos feitos 50 anos antes - novamente à exceção de uma: justamente o triste e deprimido Caleb, que perdera há pouco tempo a mãe em um incêndio e para quem aquela relação numérica não tem significado algum.

À noite, ao manchar acidentalmente a folha, John Koestler, o pai de Caleb, percebe que um trecho da série de números diz respeito ao dia, mês, ano, hora, latitude e longitude em que as Torres Gêmeas do World Trade Center foram destruídas. Com um pouco de pesquisa, o investigador logo percebe que aqueles números são nada menos que as coordenadas precisas de tempo e espaço em que aconteceram todas as grandes tragédias dos últimos 50 anos - do assassinato do Presidente Kennedy ao incêndio que vitimara sua esposa. É quando ele decide assumir o comando da situação e investigar quem era Lucinda, a menina que, há 50 anos atrás, entabulara aquela relação numérica.

Habilmente dirigido pelo australiano (nascido no Egito) Alex Proyas, PRESSÁGIO, que estréia no próximo dia 10 de abril, se destaca por pelo menos um grande mérito: o de em momento algum tentar explicar de que forma a menina Lucinda teve a luz que a levou a escrever a lista de números fatídicos que movimenta a trama. Da forma como, na cena inicial, ela escreve a relação, a todos os dados que John Koestler destrincha no decorrer da narrativa, fica nítido tratar-se de um caso de mediunidade - conclusão a que o espectador sagaz logo consegue chegar, sem precisar que o filme "passe um recibo" a esse respeito. Tal postura fortalece a realização, permitindo que o espectador se concentre no que irá acontecer, uma vez que as últimas datas da relação de Lucinda dizem respeito aos próximos dias - e a ausência de latitudes e longitudes sugerem que uma catástrofe poderá abater toda a Terra.

O ritmo de PRESSÁGIO é forte, sua narrativa é bastante contundente, e o final do filme faz com que o espectador saia da sala de projeções com a respiração arfando e o coração na mão. Sem dúvida alguma, um dos filmes mais surpreendentes da temporada e, provavelmente, um dos melhores suspenses do ano.

Carlos Dunham

PRIMEIRA IMPRESSÃO
VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL