FANTASMAS DE MARTE (Ghosts of Mars, EUA, 2001)
Gênero: Aventura, Ficção Científica
Estúdio: Screen Gems
Duração: 98 min
Compositor: John Carpenter
Elenco: Natasha Henstridge, Ice Cube, Jason Statham, Clea DuVall, Pam Grier, Joanna Cassidy, Richard Cetrone, Rosemary Forsyth, Robert Carradine
Roteiristas: Larry Sulkis, John Carpenter
Diretor: John Carpenter

Não é para todos

O mais recente filme do diretor cult John Carpenter deverá agradar aos nostálgicos dos anos 1970, mas carece da criatividade dos filmes do período

O diretor John Carpenter, vindo de uma série de filmes B de sucesso do final dos anos 1970/início dos 80 (HALLOWEEN, FOG, A BRUMA ASSASSINA, FUGA DE NOVA YORK), em 1981 foi contratado pela Universal para conduzir a refilmagem do clássico de FC O MONSTRO DO ÁRTICO, e o fez sem abrir mão das características de suas obras. Como resultado, o alienígena monstruoso, violento e sombrio O ENIGMA DE OUTRO MUNDO foi um fracasso de crítica e bilheteria, derrotado pela ternura do E.T. de Spielberg, lançado à mesma época.

Poucos anos depois, Carpenter mostrou que também sabia fazer filmes com alienígenas bonzinhos no sucesso STARMAN, porém é difícil de acreditar que aquele seja um filme de sua autoria. O problema de Carpenter com os grandes estúdios sempre foi esse – buscando sucesso comercial, na maior parte das vezes eles o forçaram a abrir mão das características de seus filmes – violência gráfica, humor negro, sátira, finais em aberto. Nessa linha, o ponto mais baixo de sua carreira foi a péssima comédia de FC MEMÓRIAS DE UM HOMEM INVISÍVEL (1993), onde Carpenter estava como um peixe fora d´água, tentando fazer humor com um Chevy Chase invisível.

Cansado das pressões dos estúdios Carpenter optou por preservar seu estilo, ao contrário, por exemplo, de seu colega Wes Craven, que resolveu fazer dinheiro com as séries de terror pasteurizado A HORA DO PESADELO e PÂNICO. Mesmo com baixos recursos, Carpenter vem fazendo o que realmente sabe fazer, dando origem a clássicos B como O PRÍNCIPE DAS TREVAS, ELES VIVEM e À BEIRA DA LOUCURA (que, ironicamente, tiveram seus direitos de distribuição adquiridos pela major Columbia).

Nessa linha, a mais recente criação de Carpenter, FANTASMAS DE MARTE, deve ser vista como um filme B de produção acima da média. A ação passa-se em Marte, 200 anos no futuro, e é narrada em flashback pela Tenente Melanie Ballard (Henstridge, em papel que era originalmente de Courtney Love, a maluquete viúva de Kurt Cobain), uma policial que, junto com alguns colegas, é enviada para um posto de mineração a fim de pegar o prisioneiro Desolation Williams (Ice Cube), para levá-lo a julgamento. O local inicialmente parece deserto, mas logo eles descobrem que, à exceção de Williams e de outros prisioneiros, os habitantes foram possuídos por marcianos incorpóreos, que os transformaram em criaturas semelhantes a zumbis heavy metal (falar em piercing, aqui, é brincadeira).

Como em um dos primeiros filmes de Carpenter, ASSAULT ON THE 13th PRECINCT, na maior parte do tempo os protagonistas estão sitiados e em confronto com os antagonistas, numericamente superiores. Para o bem ou para o mal, este é um típico filme de Carpenter: estão lá a claustrofobia, a ameaça que está prestes a surgir das trevas, membros decepados e cabeças idem, personagens bidimensionais. Aliás, a única personagem que recebe um pouco mais de atenção é a de Henstridge, que em mais uma das ironias de Carpenter, é viciada em drogas e isto demonstra ser decisivo para a sua sobrevivência. Infelizmente Carpenter cometeu o erro de escalar o rapper Ice Cube para um dos papéis principais, e isso indiscutivelmente prejudica o resultado final. Pelo menos há Jason Statham, que no papel do sargento Jericho Butler, quase rouba a cena (ele também pode ser visto ao lado de Jet Li em O CONFRONTO).

A exemplo de VAMPIROS, o filme anterior (e melhor) de Carpenter, FANTASMAS DE MARTE também possui algum humor negro e é politicamente incorreto. E não é tão trash como dizem por aí, já que possui um bom nível de produção e os efeitos especiais, usados na hora certa, são bons. Mas se você acha que ficará indignado assistindo zumbis “metaleiros” atacando ao som de guitarras distorcidas, fuja dele. Carpenter deve ter se divertido bem mais que a platéia, filmando a beldade Natasha Henstridge (a nova musa dos filmes B) ao lado das veteranas Pam Grier e Joanna Cassidy, e compondo e interpretando a trilha techno-metal juntamente com o grupo Anthrax e os guitarristas Buckethead e Steve Vai. Até curti o clima anos 70 da produção e da música, e me diverti com cenas como a da cabeça decepada e espetada de Pam Grier! Mas a crítica não compartilhou dessa diversão toda e fulminou o filme, que acabou fracassando nas bilheterias...

Outros fracassos de Carpenter para grandes estúdios, como O ENIGMA DE OUTRO MUNDO e AVENTUREIROS DO BAIRRO PROIBIDO, foram reavaliados e hoje são filmes de culto. FANTASMAS DE MARTE, apesar de produzido de forma independente, também foi distribuído pela Columbia... mas dificilmente será, no futuro, considerado outro clássico do diretor, já que carece da criatividade e originalidade de seus melhores filmes.

Cotação:
Jorge Saldanha
FILME EM DESTAQUE