OS IRMÃOS GRIMM (The Brothers Grimm, República Tcheca, EUA, 2005)
Gênero: Aventura
Duração: 118 min.
Elenco: Matt Damon, Heath Ledger, Barbara Lukêsova, Anna Rust, Jonathan Pryce, Peter Stormare, Monica Bellucci, Petr Ratimec, Jeremy Robson
Compositor: Dario Marianelli
Roteirista: Ehren Kruger
Diretor: Terry Gilliam

Da carochinha

Filme de Terry Gilliam mostra os autores dos contos de fadas como heróis trapaceiros, tem um final insatisfatório, e pior - desperdiça a deslumbrante Monica Bellucci

Mesmo sem merecer, Terry Gilliam acabou ganhando a fama de maldito e ficando próximo, de certa forma, de Orson Welles. Assim como Welles, Gilliam também tem no currículo um filme problemático e inacabado sobre Don Quixote. O filme se chama THE MAN WHO KILLED DON QUIXOTE, e Gilliam garante que seu projeto não morreu. O tal filme do Don Quixote até rendeu um documentário, LOST IN LA MANCHA (2002), sobre os problemas nas filmagens, que eu gostaria muito de ver um dia.

Nunca fui fã de Terry Gilliam. Sou fã do Monty Python, o hilário grupo do qual ele participava. Tirando o seu trabalho no grupo inglês, seus filmes de que mais gosto são O PESCADOR DE ILUSÕES (1991) e AS AVENTURAS DO BARÃO DE MUNCHAUSEN (1988), mas ainda assim com restrições, com um pé atrás. OS IRMÃOS GRIMM (2005) seria um filme de concessões, mais para pagar as contas e poder depois retomar o seu projeto dos sonhos. Se bem que com o fracasso do filme nos EUA, não sei se isso vai ser fácil.

OS IRMÃOS GRIMM lembra bastante A LENDA DO CAVALEIRO SEM CABEÇA, de Tim Burton. Além da direção de arte e da atmosfera parecidas, há também a questão da descrença no sobrenatural e o pavor ao perceber que ele existe e está ali na sua frente. A história se passa numa Alemanha frágil e ocupada pela França, no início do século XIX. Gilliam apresenta os lendários irmãos Grimm (Matt Damon e Heath Ledger), criadores de contos de fada clássicos como Chapeuzinho Vermelho, A Bela Adormecida e Cinderella, como dois sujeitos trapaceiros, que ganham a vida enganando os que acreditam em bruxas e coisas do tipo. Eles são enviados à força para um vilarejo que está realmente enfeitiçado.

Os melhores momentos do filme são aqueles que mostram as crianças sendo tragadas pelas forças do mal. A cena da garotinha de chapéu vermelho é a minha preferida, mas também gosto muito da cena do poço e da lama preta. Os efeitos especiais são bem caprichados, com destaque para a cena do lobisomem. O problema maior talvez seja o final, que deixa a impressão de que não sabiam como acabar o filme e inventaram alguma coisa só para dar o assunto por encerrado. E é uma pena que a deslumbrante Monica Bellucci, como a Rainha Má, apareça tão pouco.

Cotação:
Ailton Monteiro
FILME EM DESTAQUE