Compositores
www.scoretrack.net

DAVE GRUSIN

por Jorge Saldanha

Ao morrer em 1994, o lendário compositor Henry Mancini deixou como legado uma inestimável obra criada para a TV e o cinema, cuja combinação inimitável de jazz e orquestra inspirou toda uma nova geração de compositores de cinema e músicos de jazz. Entre seus grandes amigos e admiradores estava Dave Grusin, que a partir da inspiração inicial de Mancini, construiu uma carreira musical premiada, seja como compositor de Hollywood, seja como um exímio tecladista e arranjador de jazz.

Dave Grusin nasceu em 26 de junho de 1934 na pequena cidade de Littleton, Colorado (EUA). Seu pai Henri Grusin imigrara de Riga, Latvia, em 1913, e chegando na América casou-se com Rosabelle. O casal Grusin estabeleceu-se em Littleton e criaram três filhos, Dave, seu irmão Don (hoje também um conhecido pianista) e a irmã caçula Dee. Henri Grusin, além de joalheiro e relojoeiro, era um talentoso violinista. Assim, sempre havia música no lar dos Grusin. No entanto, mesmo já tendo uma sólida formação musical antes de entrar na faculdade, Dave sonhava em ser veterinário.

Em várias entrevistas, Grusin confessou que dedicou-se à música para não sentir-se culpado após seu pai ter se esforçado e investido imensamente em sua educação musical. Assim, Dave Grusin chegou a Nova York em 1959 e matriculou-se na Manhattan School of Music planejando fazer carreira como professor. Logo, uma chance para trabalhar no Andy Williams Show como regente mudou seus planos. Foi durante sua participação no programa que Grusin conheceu o futuro sócio Larry Rosen. Neste período, Grusin conseguiu gravar dois álbuns como músico de jazz, Subways Are For Sleeping e Piano, Strings and Moonlight.

Grusin deixou Andy Williams em 1964 com uma nova meta - ele queria compor trilhas sonoras para filmes. Seu primeiro trabalho no gênero foi Divorce American Style, e a partir dali novos contratos para o cinema e TV acumularam-se. Sua carreira, por fim, decolara. Paralelamente ao seu trabalho em filmes, Dave Grusin e Larry Rosen começaram a produzir álbuns de jazz contemporâneo para várias gravadoras. Ambos revelaram e produziram artistas como Earl Klugh, Angela Bofill, Tom Browne, Patti Austin, Lee Ritenour e muitos outros. Através da Grusin-Rosen Productions eles ajudaram a redefinir o jazz, levando esta forma musical sofisticada para toda uma nova geração. Sua companhia de produção acabou gerando sua própria gravadora, a GRP Records.

Em Hollywood, Dave Grusin compôs scores importantes, como os dos filmes The Graduate, The Heart Is A Lonely Hunter, Three Days Of The Condor, sendo indicado ao Oscar por Heaven Can Wait (1979), The Champ (1980), On Golden Pond (1982, recentemente selecionado pelo American Film Institute como uma das 25 melhores trilhas sonoras originais de todos os tempos) e Tootsie (1983). A tela pequena também fez parte da carreira de Grusin, integrando em currículo televisivo Baretta, Good Times, The Name Of The Game, Dan August, It Takes A Thief e aquele que talvez seja seu tema mais popular, St. Elsewhere, da série de longa duração da NBC Network Television.

Dave Grusin, durante toda a sua carreira, permaneceu sendo um dedicado tecladista, apresentando-se ao vivo em turnês, em seus álbuns solo como One of a Kind, Mountain Dance e Out Of The Shadows, e em trabalhos de outros compositores, como de seu colega Quincy Jones. Foi Mountain Dance, concebido em 1979 como uma produção totalmente digital, que convenceu  Dave Grusin e Larry Rosen que esta era, definitivamente, a tecnologia de gravação sonora do futuro. Esta filosofia digital tornou-se a pedra de toque de sua nova gravadora. De volta a Hollywood, Dave Grusin conquistou seu primeiro Oscar por The Milagro Beanfield War (1988) e teve novas indicações por The Fabulous Baker Boys (1989) e Havana (1990).

Além dos numerosos discos lançados em seu selo GRP, Grusin também gravou para Columbia, Sheffield Lab e Polygram.

Filmografia de Dave Grusin, cortesia de Internet Movie Database

VOLTAR PARA COMPOSITORES