Irreversível (Irréversible, França, 2002)
Gênero: Drama
Duração: 99 min.
Estúdio: Europa
Elenco: Monica Bellucci, Vincent Cassel, Albert Dupontel, Jo Prestia, Philippe Nahon, Stéphane Drouot, Jean-Louis Costes, Mourad Khima
Compositor: Thomas Bangalter
Roteirista: Gaspar Noé
Diretor: Gaspar Noé

De trás para frente

Ao imitar o excelente AMNÉSIA, filme de Gaspar Noé perde seu impacto

Exibido pela primeira vez em competição no Festival de Cannes de 2002, IRREVERSÍVEL foi tachado de "absurdo" e "repulsivo" por boa parte dos críticos, que demonstraram ser moralistas e atrasados. Contando com uma incrível quantidade de violência explícita, o filme conta uma história polêmica e aterradora, que poderia ser bem melhor caso Gaspar Noé fosse um pouco mais humilde. O problema é exatamente que Noé, provavelmente influenciado pelo sucesso do excelente AMNÉSIA, resolveu contar a história de IRREVERSÍVEL de trás para frente. Isso destruiu as aparentes possibilidades do filme ser "chocante" ou realmente crítico contra a sociedade.

Na primeira seqüência, acompanhamos um homem furioso entrar em uma boate gay e matar de maneira absolutamente cruel alguém que, supostamente, teria estuprado sua namorada. A cena é de uma violência realmente congelante, mas não tem o mesmo apelo que teria caso se localizasse no FINAL da projeção. Então é explicada a história do casal, formado pelo tal homem da boate (Vincent Cassel) e Alex (a maravilhosa Monica Belucci, casada com Cassel na vida real) - viviam felizes, mas uma briga em um night club faz com que ela saia perigosamente sozinha à noite e seja brutalmente estuprada. Sentido, IRREVERSÍVEL faz. Infelizmente, não como deveria.

Assim como qualquer outra obra "polêmica" dos últimos tempos, apresenta cortes rápidos e montagem exibicionista, algo que funciona extremamente bem quando o choque é causado de maneira espontânea. Como aqui isso não acontece, pelo fato dos personagens não terem sido sequer apresentados na hora dos atos cruéis, tornando-se um mar de rosas abalado em sua parte final, tudo parece bem desnecessário.

IRREVESÍVEL não é um filme ruim, já que tem ótimas sacadas e diálogos de primeira linha, típicos do cinema francês. O estupro, tão famoso, é muito bem filmado, embora Belucci não tenha grande talento dramático (é linda e dispensa isso, ainda). Mas deixa uma incontrolável sensação de decepção ao final de seus 99 minutos de projeção.

O que se pode afirmar é que Noé errou feio ao inverter a ordem do filme, quase estragando a obra. Um exemplo é que, se na hora do estupro, já soubéssemos da revelação feita no final, a cena seria ainda mais cruel. Um forte ponto negativo, mesmo lembrando que "O tempo destrói tudo", como bem afirma o velho no início da projeção.

Cotação:
Carlos Massari
FILME EM DESTAQUE