JUMPER (Jumper, EUA, 2008)
Gênero: Ficção Científica
Duração: 90 min.
Elenco:
Hayden Christensen, Samuel L. Jackson, Diane Lane, Jamie Bell, Rachel Bilson, Tom Hulce, Michael Rooker, Sean Baek, Katie Boland, Nathalie Cox
Compositor: John Powell
Roteiristas: Steven Gould, David S. Goyer, Simon Kinberg, Jim Uhls
Diretor: Doug Liman

Pulando de galho em galho

Após algumas aventuras eficientes de espionagem, o diretor Doug Liman pula para um filme sci fi que só impressiona pelos efeitos visuais

Doug Liman dirigiu A IDENTIDADE BOURNE e SR. & SRA. SMITH - tem currículo. Hayden Christensen virou Darth Vader na última trilogia de STAR WARS - tem minha consideração. Rachel Bilson encarnou Summer nas quatro temporadas de THE OC - ganha meu afeto. Esta combinação estelar não tinha como decepcionar certo? Errado. Os saltos são muitos, mas JUMPER não empolga.

Erraram na escolha do protagonista. Um rapaz tímido, com um pai carrasco e uma mãe fugitiva, descobre um superpoder: consegue se tele-transportar para onde quiser. É um jumper. Óbvio que ele tem um amor platônico. Uma turma do mal na cola (os Paladinos) e um companheiro mala - o jumper coadjuvante (Jamie Bell) infinitamente mais interessante que o mocinho linear. Rachel limita em ser Summer e Samuel L. Jackson é o vilão malvado que não faz muito em cena além de caras feias. Em alguns momentos JUMPER soa como se X-MEN fosse um seriado e o drama do protagonista fosse um episódio corriqueiro (com feat da Summer Roberts). Isso sem falar dos furos no roteiro.

Sorte que em Hollywood existe uma turma de nerds fissurados em efeitos-especiais, e foi para ela que o diretor (entre uma caipirinha e outra) recrutou a missão de dar ritmo ao filme. As cenas de tele-transporte são espetaculares. A trilha de John Powell também funciona. Mas enfim… é o tipo de filme que você não conta aos seus amigos que foi assistir, para não ser alvo de chacota. Após a sessão, um bom bar e vários drinks são altamente recomendados (hic).

Cotação:
Alex Oliveira
FILME EM DESTAQUE