PIRATAS DO CARIBE: NO FIM DO MUNDO (Pirates of the Caribbean: At World's End, EUA, 2007)
Gênero: Aventura
Duração: 168 min.
Elenco: Johnny Depp, Orlando Bloom, Keira Knightley, Bill Nighy, Stellan Skarsgard, Jack Davenport, Chow Yun-Fat, Kevin McNally, Naomie Harris, Mackenzie Crook, Tom Hollander, Lee Arenberg
Compositor: Hans Zimmer
Roteiristas: Ted Elliott, Terry Rossio
Diretor: Gore Verbinski

Pirataria legal

Filme que encerra (?) a franquia das aventuras do pirata Jack Sparrow pode não agradar como os outros, mas recoloca a Disney no seu devido lugar

Até o final da década de 1960, a Disney era o sinônimo de grandes fantasias e aventuras. Mas veio a década seguinte e o cinema tornou-se mais sisudo, com os grandes sucessos de bilheteria representados por filmes catástrofe ou de terror animal. Isto até 1977, quando STAR WARS chegou para estabelecer definitivamente os blockbusters, que pareciam passar longe do tradicional estúdio.

Se anos depois a Disney conseguiu recuperar boa parte de sua magia nas animações, em filmes live action a sorte não era a mesma. Isso até algum gênio sugerir adaptar a atração da Disneylândia Piratas do Caribe para a telona. Apesar de a princípio parecer ridícula, pelo jeito o desespero era tão grande que o estúdio levou a idéia a sério, e o resto é história. O filme original, de 2003, foi um sucesso tão grande que o negócio virou uma trilogia, com cada filme faturando mais que o anterior - apesar de serem espinafrados por boa parte da crítica. E nesse aspecto, não há como negar: a Disney apostou certo no produtor Jerry Bruckmeyer, no diretor Gore Verbinski e no astro Johnny Depp, que fez do capitão Jack Sparrow um personagem memorável.

Nesta terceira aventura, Lorde Cuttler Beckett (Tom Hollander), da Companhia das Índias Orientais, está com o baú que contém o coração de Davy Jones, e agora controla Jones e seu navio-fantasma Flying Dutchman. Para deter Beckett, Will Turner (Orlando Bloom), Elizabeth Swann (Keira Knightley), Tia Dalma (Naomie Harris) e o capitão Barbossa (Geoffrey Rush) precisam reunir os Nove Lordes Piratas da Corte da Irmandade. Porém falta um deles, o capitão Jack Sparrow (Johnny Depp). O trio parte para Cingapura, na intenção de conseguir o mapa que os conduzirá aos Domínios de Davy Jones para resgatar Jack. No caminho entre eles e o fim do mundo está o pirata chinês Sao Feng (Chow Yun-Fat, desperdiçado).

O problema maior de PIRATAS DO CARIBE: NO FIM DO MUNDO é o que já afetava o filme anterior, mas agora agravado - excesso de metragem e falta de roteiro, o que faz com que tenhamos muita conversa e acontecimentos um tanto confusos, misturados com cenas surrealistas e lances de comédia a cargo principalmente de Barbossa e Jack. Surpreendentemente há pouca ação, limitada principalmente ao início e ao terço final do filme. Os efeitos visuais da
Industrial Light and Magic, como sempre, são fantásticos, e quando chegamos ao desfecho, vemos um longo e impressionante confronto entre o Pérola Negra e o Flying Dutchman. Infelizmente isso não basta para que esta deixe de ser a parte mais fraca da trilogia.

Alegadamente este é o último filme da franquia, apesar de deixar o gancho para uma nova aventura do capitão Jack Sparrow. Acho mesmo difícil que seja, afinal a Disney descobriu uma forma de pirataria que é legal - e muito lucrativa.

Cotação:
Jorge Saldanha
FILME EM DESTAQUE