POSEIDON (Poseidon, EUA, 2006)
Gênero: Aventura
Duração: 99 min.
Elenco: Josh Lucas, Kurt Russell, Jacinda Barrett, Richard Dreyfuss, Jimmy Bennett, Emmy Rossum, Mike Vogel, Mia Maestro, Andre Braugher, Kevin Dillon, Freddy Rodriguez, Kirk B.R. Woller
Compositor: Klaus Badelt
Roteiristas: Paul Attanasio, Akiva Goldsman
Diretor: Wolfgang Petersen

Fazendo onda, mas não água

Refilmagem de filme catástrofe clássico, dirigido pelo especialista Wolfgang Petersen, é uma produção caprichada que garante ao espectador boas doses de suspense e emoção

Não cheguei a acompanhar o ciclo dos disaster movies da década de 70. Tive a chance de ver vários desses filmes na televisão, mas nunca com maior interesse. Por isso, prefiro não comparar O DESTINO DO POSEIDON (de 1972, produzido por Irwin Allen e dirigido por Ronald Neame) com essa refilmagem sob a batuta de Wolfgang Petersen, diretor acostumado a fazer filmes que se passam dentro d'água - O BARCO - INFERNO NO MAR (1981) e MAR EM FÚRIA (2000). Destes, POSEIDON (2006) é um de seus melhores trabalhos.

Quando vi o trailer do filme, imaginei que se tratava de um sub-TITANIC, e de certa maneira é mesmo. O mérito do filme está, principalmente, em não deixar a peteca cair em nenhum momento. O filme de Petersen tem uma duração até menor do que o original e não se preocupa em dar um pouco mais de profundidade aos personagens. Ainda assim, é possível simpatizar com vários deles, escolher os favoritos, lamentar pela morte de alguns, festejar a sobrevivência de outros. Ver pessoas em momentos de dificuldade e agindo em equipe para salvar a si mesmo e aos outros é sempre algo que me deixa comovido.

O primeiro nome a aparecer nos créditos é o de Josh Lucas, em personagem de pouco brilho mas que aos poucos ganha a simpatia por seus atos heróicos. Algo parecido acontece com o personagem de Richard Dreyfuss, um homossexual deprimido e rejeitado que pensa em suicídio justo na hora em que a onda gigante se aproxima do navio. Quem eu gostei logo de início foram das mulheres, especialmente de Mia Maestro, a latina Elena - ela é mais conhecida por interpretar Nadia, a irmã de Sidney Bristow na série de TV ALIAS. Por sua vez, a jovem Emmy Rossum, que faz a filha do ex-prefeito interpretado por Kurt Russell, pode-se considerar quase uma veterana dos novos disaster movies, já que esteve no elenco de O DIA DEPOIS DE AMANHÃ, na minha opinião o melhor dessa nova safra. Não podia faltar um personagem antipático, aquele que a gente torce para que morra logo, como é o caso de Kevin Dillon.

A cena da chegada da onda e a conseqüente destruição progressiva do navio foram feitas com capricho pela produção. Tudo bem que com um orçamento de US$ 140 milhões não poderia ser diferente, mas não é nenhuma novidade a gente ver Hollywood torrando milhões em produções que nem ao menos oferecem o básico para o espectador. POSEIDON traz seqüências de deixar a gente com falta de ar e outras que dão aquele calafrio causado pelo alívio depois da sensação de perigo. Para quem esperava alguns bocejos e efeitos digitais frios, o filme me deixou até bastante satisfeito. Quanto a O DESTINO DO POSEIDON, o original, merece uma revisão: ele está sendo lançado numa edição especial em DVD duplo.

Cotação:
Ailton Monteiro
FILME EM DESTAQUE