Compositores
www.scoretrack.net

LEONARD ROSENMAN (1924-2008)

Trabalhos de Leonard Rosenman comentados no ScoreTrack:

Star Trek IV: The Voyage Home

Rogerio Costa

“Eu também escrevo músicas originais, vocês sabem...”

Leonard Rosenman nasceu no dia 7 de setembro de 1924 no Brooklyn, em Nova York
, e seu interesse pelas artes despertou muito cedo. Seu sonho de adolescente era o de se tornar um pintor e artista plástico, mas depois de servir na Segunda Guerra Mundial, voltou-se para a música, especificamente para o piano. Decidiu então, mudar-se para a Califórnia para estudar com o compositor vanguardista Arnold Schoenberg, criador do polêmico Dodecafonismo, ou “Técnica de Doze Sons”, processo que consiste no uso constante e exclusivo de um conjunto de doze sons diferentes. A aplicação dessa moderna técnica, que gera uma música muitas vezes dissonante, seria um dos diferenciais de sua carreira.

Rosenman já era considerado um dos mais promissores compositores da música americana, quando em 1955 foi chamado por Elia Kazan para escrever a partitura de “Vidas Amargas” (East of Eden), depois de ter chamado a atenção da estrela do filme e um de seus alunos, o jovem James Dean. Sua música atonal e contemporânea, confrontante com as orquestrações românticas da época, utilizava poucos instrumentos e alternava temas de inspiração folk e o modernismo de Schoenberg e Berg.

O inspirado trabalho para o filme de Kazan despertou o interesse do produtor John Houseman, que no mesmo ano e sob protesto do Departamento de Música da MGM, contratou Rosenman para trabalhar em “Paixões sem Freio” (The Cobweb). O drama psiquiátrico, dirigido por Vincent Minelli, foi um divisor de águas na história da música no cinema, pois foi a primeira trilha predominantemente dodecafônica escrita para um grande estúdio.

Com o reconhecimento adquirido depois desses trabalhos, os anos 50 e 60 foram intensos para Rosenman. O músico trabalhou com diretores do porte de Martin Ritt, George Cukor, John Frankenheimer, Delbert Mann e Robert Altman, utilizando suas técnicas modernas e sua versatilidade em filmes de guerra (“Lutando só pela Glória”), ficção científica (“Viagem Fantástica”, “No Assombroso Mundo da Lua”), dramas (“A Vida Íntima de Quatro Mulheres”, “Juventude Transviada”) e policiais (“O Rei dos Facínoras”). Além disso, passou a trabalhar no que viria a ser um dos seus meios mais prolíficos, a TV, criando músicas para séries como “The Defenders”, “Combat!” e “The Twilight Zone”.

Apesar de todos esses trabalhos, Rosenman nunca foi um dos mais queridos compositores de Hollywood, principalmente por fazer críticas abertas aos conhecimentos e preferências musicais de produtores e diretores com quem trabalhava. Ele também oferecia resistência às idéias “altamente originais” de alguns diretores, como quando Richard Fleischer pediu a ele que escrevesse uma trilha de jazz para o clássico “Viagem Fantástica” (Fantastic Voyage). Talvez por isso, Rosenman sempre manteve-se marginal aos grandes estúdios, assim como seu contemporâneo Bernard Herrmann.

Na década de 70, já menos ativo, Rosenman continuou às voltas com os filmes de ação e ficção científica, como “Um Homem chamado Cavalo” (onde utilizou elementos de música indígena), a vibrante trilha para a animação “O Senhor dos Anéis”, e em dois filmes da série “Planeta dos Macacos”. No entanto, foi com adaptações que conseguiu seus dois Oscars. O primeiro em 1975, pela adaptação de peças de Handel e Schubert para “Barry Lyndon”, de Stanley Kubrick, apesar de Rosenman ter demonstrado publicamente seu descontentamento com o resultado ouvido na tela. O segundo, ainda mais inusitado, veio no ano seguinte pela adaptação das canções folk de Woody Guthrie, para o filme “Esta Terra é minha Terra” (Bound for Glory), de Hal Ashby. Nesta década ele também levou dois Emmys, pelas trilhas para os telefilmes “Sybil” (1976) e “Tiro Amigo” (Friendly Fire, 1979).

Sua produção diminuiu sensivelmente nos últimos 25 anos, onde seus trabalhos de maior destaque foram os indicados ao Oscar “Retratos de uma Realidade” (Cross Creek, 1983) e o quarto filme da série “Jornada nas Estrelas”, em 1986, uma bela partitura que pouco (ou nada) se assemelhava com as vibrantes trilhas anteriores de Jerry Goldsmith, gerando descontentamento por parte dos fãs da série. Um trabalho curioso foi o feito em 89 para “Body Wars”, filme de cinco minutos dirigido por Leonard Nimoy para o brinquedo de mesmo nome no Epcot Center, em Orlando.

Desde fim dos anos 90, Rosenman sofria de Demência Fronto-Temporal, uma doença cerebral degenerativa que afeta o comportamento e as habilidades cognitivas, semelhante ao Mal de Alzheimer. Apesar de suas fragilidades, Rosenman continou trabalhando, seu último trabalho foi para o filme italiano “Jurij”, em 2001. Finalmente, no dia 04 de março de 2008, Rosenman faleceu aos 83 anos, vitimado por um ataque cardíaco.

Filmografia selecionada de Leonard Rosenman:

Ano Título em português Título original

1955

Vidas Amargas

East of Eden

1955

Paixões sem freio

The Cobweb

1955

Juventude Transviada

Rebel Without a Cause

1957

No Labirinto do Vício

The Young Stranger

1957

Um Homem Tem Três Metros de Altura

Edge of the City

1958

Lutando Só Pela Glória

Lafayette Escadrille

1959

Os Bravos Morrem de Pé

Pork Chop Hill

1960

O Rei dos Facínoras

The Rise and Fall of Legs Diamond

1962

A vida íntima de quatro mulheres

The Chapman Report

1962

O Inferno é para os Heróis

Hell Is for Heroes

1962

O Sexto Homem

The Outsider

1966

Viagem Fantástica

Fantastic Voyage

1967

Tirado dos Braços da Morte

A Covenant with Death

1968

Heróis do Inferno

Hellfighters

1968

No Assombroso Mundo da Lua

Countdown

1970

De volta ao Planeta dos Macacos

Beneath the Planet of the Apes

1970

Um Homem chamado Cavalo

A Man Called Horse

1973

A Batalha do Planeta dos Macacos

Battle for the Planet of the Apes

1975

Barry Lyndon

Barry Lyndon

1975

Corrida com o Diabo

Race with the Devil

1976

Esta Terra é Minha Terra

Bound for Glory

1977

O Espírito de James Dean

September 30, 1955

1978

O Senhor dos Anéis

The Lord of the Rings

1979

A Semente do Diabo

Prophecy

1980

Nasce um Cantor

The Jazz Singer

1980

Fuga à luz do dia

Hide in Plain Sight

1982

Fazendo Amor

Making Love

1983

Retratos de uma realidade

Cross Creek

1986

Jornada nas Estrelas IV: A Volta para Casa

Star Trek IV: The Voyage Home

1990

RoboCop 2

RoboCop 2

2001

Jurij

Jurij

VOLTAR PARA COMPOSITORES