Sci Files
www.scoretrack.net


JORNADA NAS ESTRELAS: A Hora da NOVA geração

A tripulação da Enterprise-D. No centro,
 o Capitão Jean-Luc Picard (Patrick Stewart)

A Enterprise NCC 1701-D

Locutus de borg em "The Best of Both Worlds - Part 2") 

A Nova Geração saiu em DVD no Brasil, mas não com estas embalagens

Em 1987 estreou nos EUA a série Star Trek: The Next Generation (que era exibida através do sistema de syndication), aqui conhecida como Jornada nas Estrelas: A Nova Geração. Era a chegada do primeiro spin-off da Série Original, e o criador Gene Roddenberry transferiu a ação do século 23 para o 24, quando a Enterprise-D classe Galaxy entra em atividade no ano de 2364, comandada pelo capitão Jean-Luc Picard (Patrick Stewart).

Elementos da série Fase 2 (abortada para o lançamento nos cinemas de
Jornada nas Estrelas – O Filme) foram utilizados, como o vulcano Xon que transformou-se em Data. A relação entre Decker e Ilia foi adaptada para o primeiro oficial William Riker (Jonathan Frakes) e a conselheira da nave, Deanna Troi (Marina Sirtis). O episódio em que um alien se aloja no útero de Troi, para nascer como humano, foi extraído de um enredo para a Fase 2. Um dos atrativos da Next Generation, que marca a entrada do polêmico Rick Berman como um dos produtores da franquia, é exatamente o andróide positrônico Data (Brent Spiner), que tem por meta tornar-se mais humano e, na sua jornada, temas que permeiam a humanidade há séculos são abordados por ele ou através dele. Embora Data não tenha emoções, o seu irmão robótico Lore possui uma maldade digna dos humanos. Essa maldade vem do chip de emoções que ele possui. O Dr. Noonien Song foi o responsável pela criação dos andróides positrônicos, mas um antepassado seu também andou criando encrencas para a galáxia, no século 22, como se pode ver no 4º ano de Jornada nas Estrelas: Enterprise.

Outro diferencial da
Nova Geração é o fato dela introduzir um personagem klingon regular, Worf (Michael Dorn), a bordo de uma nave federada. Nesta época o Império Klingon e a Federação estão em paz, por causa das negociações que começaram quando a lua Práxis dos klingons explodiu (evento mostrado no filme Jornada nas Estrelas: A Terra Desconhecida), e se consolidaram quando a Enterprise-C classe Ambassador salvou o posto klingon de Nerendra 3, de um ataque romulano. Quatro aves de guerra romulanas atacavam o posto, quando a Enterprise-C interveio.

A esposa de Roddenberry, Majel Barret (que também fazia a voz do computador da nave), apareceu em diversos episódios como Lwaxana Troi, a mãe de Deanna Troi. As aparições da personagem foram detestadas pelos fãs. A partir da metade da temporada inicial, a série já começou a sofrer alterações: Tasha Yar (Denise Crosby) morre, e Worf é promovido a chefe de segurança. No segundo ano, sai a médica Beverly Crusher (Gates McFadden) e entra, no seu lugar, da Drª. Pulaski (Diana Muldaur). É nesta temporada que são apresentados os Borgs, os vilões mais terríveis que a Federação já enfrentou. A personagem Guinan (Whoopy Goldberg), que é uma amiga de Picard, é uma el-auriana, uma espécie já anexada pelos Borgs. Esta espécie tem sabedoria e uma percepção apurada, inclusive consegue sentir alterações na linha temporal, como se pode ver no episódio "Yesterday’s Enterprise", da terceira temporada.

Na terceira temporada, com a entrada de Michael Piller, a série adquiriu maturidade e tornou-se um fenômeno. Riker não deixava o capitão descer nas missões avançadas, então Picard tinha suas ações somente na ponte. Mas Piller, de forma inteligente, arranjou maneiras de colocá-lo em perigo fora da nave. Nesta temporada retorna a Drª. Crusher, já que a atriz se arrependeu de abandonar a série. Realmente, a química entre Beverly e Picard é bem melhor que a dele com Pulaski (que vivia às turras com Data). Também vemos o vilão Q (John de Lancie) sem seus poderes, pedindo ajuda a Picard, que o ajuda mesmo com ressalvas. Q é um
alien com o poder de um deus, mas com uma mente brincalhona. Ele foi expulso da dimensão Q por não usar corretamente seus poderes. Q também incomodou Sisko (Deep Space Nine) e cortejou Janeway (Voyager). Somente Kirk (Série Original) e Archer (
Enterprise) não tiveram que aturá-lo.

Worf, que era um personagem bidimensional, cresce quando descobre que seu pai foi acusado de ter traído o Império durante o ataque a Nerendra 3. Com a ajuda de Picard, ele chega à revelação de que a poderosa família Duras foi quem ajudou os romulanos, mas o Conselho colocou a culpa na família Mogh para evitar uma guerra civil. Algum tempo depois as próprias irmãs Duras desencadeiam uma guerra civil, com o apoio dos romulanos, para assumir o controle do Império. Uma ação conjunta de Picard e do chanceler Gowron levam ao fim do apoio romulano para as Duras. Algo que pode-se notar é que a honra romulana foi transferida para os klingons, e os romulanos tornaram-se os traiçoeiros. Isto é uma inversão do papel dessas espécies, na forma como eram vistas na
Série Original. Das espécies nela vistas, somente humanos, vulcanos, klingons e romulanos aparecem na Nova Geração; andorianos e tellaritas ficaram no limbo até a criação da série Enterprise.

Muitos consideram "The Best of Both Worlds" o melhor episódio da série, e nele vemos vários elementos fantásticos, como a assimilação de Picard (que vira Locutus) e um ataque borg que deixou a Federação de joelhos. Das 40 naves enviadas para interceptar um único cubo borg, em Wolf 359, apenas uma restou. A ameaça borg levou à criação de novas classes de naves, como se pode ver na série
Deep Space 9, e no filme Jornada nas Estrelas: Primeiro Contato. Durante o 6º ano da Nova Geração iniciou a próxima spin-off, a já citada Deep Space 9, que mostra as aventuras do Comandante Sisko (um sobrevivente do ataque borg), a bordo de uma estação espacial. A nefanda Lwaxana Troi também incomodou Sisko e seus comandados.

Alem dos borgs também foram criados os ferenguis (vilões de pouca aceitação) e os cardassianos, que mostraram ser tão interessantes quanto klingons ou romulanos. Entre os muitos episódios memoráveis da série (alguns em duas partes) estão "Yesterday’s Enterprise", "Q Who?", "The Best of Both Worlds", "I, borg", "Redemption", "Unification", "The Inner Light" e o final, "All Our Yesterdays". Em "The Defector" (3ª temporada) vemos um capitão romulano desertando, e alerta Picard de uma base secreta que estaria sendo construída, como uma ponte para atacar a Federação. Era na verdade um engodo de Tomalak (Andreas Katsulas, o G’kar de
Babylon 5), que quase captura a Enterprise, mas o plano de Picard salva-os das naves romulanas.

A
Nova Geração também prestou homenagens à sua predecessora, através da aparição de alguns personagens da Série Original. Assim, no piloto "Encounter at Farpoint" vemos um idoso Dr. McCoy (DeForest Kelley) vistando a nova Enterprise; em "Relics", o engenheiro Scotty (James Doohan) é encontrado em suspensão e trabalha com o engenheiro da Enterprise-D, La Forge (LeVar Burton). E em "Unification", o mais célebre vulcano da franquia, Spock (agora embaixador), fica lado a lado com Picard e Data numa missão que visa reaproximar seu povo dos romulanos.

A série teve sete temporadas, exibidas nos EUA entre 1987 e 1994. No Brasil a série é transmitida unicamente pelo canal pago Universal, e em 2006 a Paramount, depois de lançar aqui todas as temporadas da
Série Clássica e de Enterprise, também começou a lançar A Nova Geração em DVD.
Após o encerramento da série a tripulação da Nova Geração protagonizou quatro filmes, e houve boatos de que ela retornaria no próximo longa-metragem da franquia - se bem que até a guerra Terra/Romulus já esteve sendo discutida como possível enredo desse filme.

Guilherme da Costa Radin

VOLTAR PARA SCI FILES