HOMEM-ARANHA 3 (Spider-Man 3, EUA, 2007)
Gênero: Aventura
Duração: 140 min.
Elenco: Tobey Maguire, Kirsten Dunst, James Franco, Thomas Haden Church, Topher Grace, Bryce Dallas Howard, James Cromwell, Ted Raimi, Cliff Robertson, J.K. Simmons
Compositor: Christopher Young
Roteiristas
: Alvin Sargent, Sam Raimi, Ivan Raimi
Diretor: Sam Raimi

Emo-Aranha?

Terceiro filme da franquia aracnídea é o pior, mas pelo menos possui momentos superiores às melhores seqüências dos seus antecessores

Por mais que Sam Raimi seja um dos melhores diretores dos atuais filmes de super-heróis, não sou de ficar muito entusiasmado com os filmes do Homem-Aranha. Com esse terceiro, principalmente, pois trazia três vilões, entre eles, o Venom, o vilão mais representativo dos excessos dos quadrinhos de heróis dos anos 90. HOMEM-ARANHA 3 (2007) começa bem, com uma impressionante cena de luta entre o Aranha e Harry Osborn (James Franco) entre os prédios de Nova York. Esse talvez seja o melhor momento do filme. Não sei se estaria exagerando em dizer que, naquele momento, o Homem-Aranha parecia ter nascido mais para o cinema do que para os quadrinhos. O mesmo se pode dizer da seqüência do Homem-Areia se formando. E é bonito de ver a fidelidade e o carinho com que os produtores desenvolveram esse vilão, que nem é de todo mau, na verdade.

A cena do simbionte alienígena chegando na Terra também foi bem idealizada e desenvolvida. Na verdade, o filme começa cheio de bons momentos e de boas intenções. Pena que aos poucos, ele vai perdendo a força e o número excessivo de vilões faz lembrar os filmes do Batman dirigidos pelo Joel Schumacher. A música também é outro ponto negativo, tornando as cenas sentimentais entre Peter e M. J. bem piegas. Danny Elfman, que havia feito a trilha sonora do segundo filme, não aceitou participar do terceiro e foi chamado Christopher Young, que já compusera músicas adicionais para HOMEM-ARANHA 2.

Além do mais, o cabelinho emo do Peter Parker "bad boy" foi motivo de chacota do público, que ficou o chamando de "emo", atualmente uma das ofensas da moda. Ainda assim, não é de todo ruim esse Aranha mais dark. O visual ao menos ficou muito bom e os efeitos especiais do simbionte invadindo o corpo do herói também estão entre os pontos positivos. Aliás, essa onda de tornar os heróis mais sombrios até daria pano pra manga para se fazer alguma comparação com o atual clima hostil dos Estados Unidos da era Bush, mas acredito que o filme mostra isso de maneira tão superficial que talvez fosse perda de tempo elaborar essas metáforas, já um tanto quanto manjadas.

Quanto às meninas, eu gostei da Gwen Stacy, interpretada por Bryce Dallas Howard, mais bela do que nunca de cabelos loiros. Kirsten Dunst também tem se mostrado cada vez melhor e mais atraente como a Mary Jane. Não chega a ter a perfeição estética dos quadrinhos, mas qual mulher poderia competir com a M. J. dos traços de, digamos, Mike Deodato? Já Tobey Maguire pode não se parecer com o Peter Parker dos quadrinhos, mas hoje é difícil imaginar um outro ator que funcione tão bem para o papel. Em resumo: HOMEM-ARANHA 3 é o mais fraco dos filmes do herói aracnídeo até agora, mas que possui vários pontos positivos, inclusive, momentos superiores às melhores seqüências dos seus antecessores. Vamos ver o que o inevitável quarto filme nos reservará. Provavelmente trará uma luta do Aranha contra o Lagarto.

Cotação:
Ailton Monteiro
FILME EM DESTAQUE