ANJOS DA NOITE - EVOLUÇÃO (Underworld: Evolution, EUA, 2006)
Gênero: Aventura, Terror
Duração
: 106 min.
Elenco
: Kate Beckinsale, Scott Speedman, Tony Curran, Derek Jacobi, Bill Nighy, Steven Mackintosh, Shane Brolly, Brian Steele
Compositor: Marco Beltrami
Roteiristas: Danny McBride, Len Wiseman, Danny McBride
Diretor: Len Wiseman

Ela é um anjo, mas...

Continuação de ANJOS DA NOITE ganha um orçamento maior e efeitos visuais mais caprichados, mas isto - e nem a bela Kate Beckinsale – não basta para tornar a história menos enfadonha

Com meia hora de exibição de ANJOS DA NOITE – EVOLUÇÃO (2006), eu já estava arrependido de não ter comprado ingresso para o melodrama com a Jennifer Lopez que estava passando na outra sala, mesmo sabendo que também não deveria ser grande coisa. Pelo menos, o melodrama não iria confundir a minha cabeça com coisas inúteis. Quando o filme vale a pena, até que eu não me incomodo de ficar queimando neurônios, mas não é o caso desta continuação de ANJOS DA NOITE - UNDERWORLD (2003), dirigida pelo mesmo Len Wiseman. Aliás, o sobrenome do diretor ("wise man") só faz sentido quando lembramos que ele acabou se casando com a beldade Kate Beckinsale, após conhecê-la durante as filmagens do original.

A presença de Kate é uma das coisas que justificam a ida ao cinema para ver o filme. Um dos melhores momentos de ANJOS DA NOITE - EVOLUÇÃO é a cena de sexo dela com o híbrido Scott Speedman. Infelizmente, o ciumento diretor fez questão de não mostrar nem os seios nem o traseiro de nossa heroína. Ainda assim, a cena ficou bastante sexy. Como eu já li em algum lugar, melhor do que Kate Beckinsale com roupa preta colante só Kate Beckinsale sem roupa.

Depois de citar a melhor coisa do filme, dá até preguiça de falar da história modorrenta e enfadonha que continua a luta dos vampiros contra os lobisomens, iniciada no primeiro filme e que deve agradar mais a fãs de RPG. O principal problema quando se começa a assistir ao filme é ver o quanto eu havia me esquecido da trama original. Nem o flashback que antecede os créditos dá conta de ajudar. É o tipo de filme que se preocupa mais com o visual do que com o conteúdo, e cujas complicações na trama só servem para disfarçar os problemas no roteiro.

Ao menos, dá para se notar que foi injetado mais dinheiro na produção. Os efeitos especiais estão mais caprichados e o grande lobisomem William, que aparece lá pelo final, chega até a assustar um pouco pelo tamanho e pela selvageria. É uma pena que, apesar de contar com elementos clássicos dos filmes de horror (vampiros e lobisomens), ANJOS DA NOITE prefira optar pelo formato de filme de ação, com muitos tiros e carros sendo destruídos. E é mais lamentável ainda que ele não funcione nem como filme de ação.

Cotação:
Ailton Monteiro
FILME EM DESTAQUE